Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro


 

Porto Velho,  ter,   21/novembro/2017     
COLUNISTA: Adaídes Batista

O PT não aceita perder o governo do Estado de Rondônia

3/2/2010 18:22:08
adaidess@bol.com.br
 
  

Todos sabem da capacidade de articulação, do esforço e empenho do ex-senador cassado Expedido Junior (PSDB) numa campanha política. Ele realmente se entrega de corpo e alma chegando a parecer que sequer dorme ou come para não perder tempo em busca do voto. Daí seu apelido: “Ligeirinho”. E mais: ele faz como ninguém - isso também é sabido de todos - o seu forte, que é a tal campanha do corpo a corpo. Nessa prática, que é a mais difícil para muitos políticos, para ele é brincadeira, é como tomar uma copo com água quando se está com sede. Por isso, acredita-se que ele sai na frente, na preferência do eleitorado de Rondônia. 

Outro candidato que nas análises entra como um que realmente pode está na disputa do cargo majoritário do Executivo rondoniense, é o atual vice-governador João Cahula, (PPS). Mas esse não tem méritos próprios, é uma possível “estrela” teleguiada pelo o “afoistismo” do governador Ivo Cassol, que sempre imaginou o Estado de Rondônia, como uma grande fazenda de sua propriedade. Também sabe-se que transferência de voto é algo muito difícil, mas, de nada pode-se duvidar vindo dos desejos do senhor Ivo Cassol. 

O primeiro candidato a se lançar ao governo do Estado foi o empresário Acir Gurgacz (PDT) que desponta com grandes possibilidades de sentar na cadeira do chefe do palácio Getúlio Vargas. Tem a seu favor, se souber usar, a vantagem de ser um político que tem uma prática diferente dos demais, até por ser um empresário bem sucedido e que poderá despertar o interesse da população por ter possibilidade de pautar seu governo pelo incentivo e fortalecimento do empreendedorismo sustentável e a geração de emprego, pontos que deveriam, de forma competente e profissional, nortear sua campanha. Portanto, um candidato com grandes chance de vencer o pleito majoritário de 2010...isso. lógico, se topar a parada dura de ser realmente candidato. 


Os outros ditos candidatos são: Confúcio Moura (PMDB), Melki Donadon (PHS), Neodi Carlos (PSDC), professora Rosângela Cipriano ( PSOL) e Abreu Bianco (DEM). Dentre esses deve-se levar em conta, Confúcio e Bianco, pelo passado político e pelos partidos que representam. Mas no pano de fundo, todos, com exceção da candidata do PSOL, estão dependendo de como as pedras serão arrumadas no tabuleiro político do Estado. Inclusive isso serve também para os três primeiros analisados.

Mas tudo isso é somente para alertar todos esses interessados que o PT não vai querer perder o Governo do Estado de Rondônia. Prestem muito atenção nisso. O jogo será pesado, sem dó e nem piedade dos adversários. Todas as armas possíveis serão utilizadas para esmagar os pretendentes e tomar o comando da área estratégica onde estão localizadas duas das principais obras do Governo Lula - as usinas de Jirau e Santo Antônio, e que será o suporte energético para o país na próximas décadas. O candidato do PT, deputado federal Eduardo Valverde, homem da linha de frente do Lula no Congresso Nacional, sabe disso. Assim como sabe disso Dilma Roussef e o presidente Inácio Lula da Silva.

O aviso está dado.

Jornalista Adaídes Batista – Dadá



Nenhum comentário sobre esta coluna

Mais colunas de Adaídes Batista
Publicidade: