Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro


 

Porto Velho,  ter,   24/outubro/2017     
COLUNISTA: Gessi Taborda

Em Linhas Gerais: não muda nada

27/4/2011 22:52:16
taborda@enter-net.com.br
 
  
TUDO COMO DANTES

Nada vai mudar em relação à denúncia feita pelo suplente de vereador e agente da Polícia Federal João Bosco contra o vereador Jaime Gazzola, apontado como mais um político distribuidor de dinheiro público a fantasmas. Bosco, como se sabe, estava ocupando a vaga deixada por Gazzola na Câmara Municipal, no período em que o mesmo ocupava o cargo de secretário municipal (arre!) de Turismo (???).

Depois de quase 5 meses (por que demorou tanto, Bosco?) na função de vereador, o g-men da PF decidiu exonerar “os mais de 18” funcionários fantasmas contratados por “Jaiminho” para cuidar de seus afazeres particulares sem nunca aparecer na Câmara, como disse o Bosco.

Se depender da Câmara, o vereador Jaime Gazzola não sofrerá nenhum tipo de punição. A denúncia feita por João Bosco não foi sequer anotada em nenhum nicho de controle interno do parlamento mirim que, como se sabe, não tem uma corregedoria interna. Assim, se prevalecer a costumeira falta de interesse do Ministério Público em apurar casos como esses o vereador Jaime está livre para entupir ainda mais o seu gabinete com gente que não precisará fazer nada pelos cidadãos da capital para ganhar um bom salário pago com o dinheiro do exaurido contribuinte municipal.

Sujeito rico, herdeiro de uma das maiores instituição privada de ensino universitário, Jaime bem que podia custear seus cabos eleitorais com o seu próprio dinheiro e não com o dinheiro público, conforme a denúncia de Bosco.


CIDADE DE TODOS

Coisas que a propaganda do prefeito tenta esconder. Porto Velho tem uma das piores educação básica das capitais, o que precipita nossas crianças no abismo da ignorância em plena era do conhecimento.

Na saúde, os idosos e crianças que expõem as suas vidas para obter uma senha madrugando nas calçadas de postos e clínicas municipais dizem tudo: da falta de médicos aos remédios básicos; das ambulâncias prematuramente sucateadas que não atende a demanda dos necessitados. Porto Velho é a única capital que não tem um hospital municipal de pronto-socorro.

A soma desses longos anos de gestão do prefeito e de seu antecessor obriga, a nós portovelhenses, a vivermos como condenados a enfrentar congestionamentos e um trânsito cada vez mais letal e maluco; condenados também à desordem de nossas ruas (sem ao menos ter placas de identificação), na sujeira do lixo mal recolhido, dos buracos em todo canto, da insegurança e medo pelas nossas vidas e dos nossos filhos.

O sr. Prefeito municipal, que tanto torra dinheiro numa propaganda destinada a mascarar a realidade de nossa capital, tem gasto recursos municipais numa profusão de projetos inconclusos ou mal elaborados (como praças sem jardins, arborização e banheiros públicos), e pequenas ações assistencialistas que servem apenas para a ampliação da dependência e do clientelismo nas periferias, em nada contribuindo para nos dar a dignidade de uma cidade plena.

O que parece funcionar é a política de cooptação de lideres comunitários e de atendimento dos interesses dos petralhas e seus aliados. Os que não integram esse grupo dos seus ''amigos'' que o digam, na espera infinda de obras que nunca chegam.

A tal cidade de todos, essa invenção mentirosa do marketing, está indo para além do caos, da insegurança e do sofrimento da maioria dos seus habitantes. Essa desastrada gestão leva Porto Velho a perder posições no contexto regional e nacional, atrasando o desenvolvimento rondoniense pelos seus indigentes índices de mobilidade, educação, segurança, saneamento e limpeza.

Para mim está claro que essa gestão compromete o nosso futuro e inferniza o nosso presente de modo irremediável.

Entretanto há um pensamento de alívio: não há mal que sempre dure. Esse período de perseguição, de atraso e de mentira está chegando ao fim. E o fim virá pelas mãos dos mesmos que agora, abandonados, mentidos, traídos na suas esperanças e perdidos, penam no caos em que se transformou a nossa amada Porto Velho.

Agora, vivendo uma vida nababesca e se acostumando a curtir férias na Europa – logo você que ainda recentemente vivia numa pobreza de dar dó – certamente vossa excelência deve sonhar com o momento de afivelar as malas para as longas temporadas de Itália, França e etc.

Tomara que esse tempo não demore e que quando lá estiver estique ao máximo sua permanência pois verá que sua presença aqui não faz a menor diferença.



CORRUPÇÃO

A institucionalização da corrupção vai minando todas as instituições do país. O próprio Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, admite agora que a situação é muito séria, especialmente na Polícia. "Não se combate crime organizado com corrupção policial. Temos de ter corregedorias que punam com rigor policiais que se desviam", afirmou Cardozo. "Existem boas corregedorias, não quero generalizar, mas infelizmente o nível de corrupção ainda é alto'', admitiu o Ministro.



PÉSSIMA CONDIÇÃO

Não é exagero afirmar que a BR que liga Guajará à BR-364 está em péssimas condições. Para uma estrada que liga o estado à fronteira com a Bolívia e a cidade de maior vocação turística de Rondônia ela está numa condição de abandono pelo poder público. Aliás, aquela estrada há muito anos é alvo de interesses mesquinhos de políticos. Por isso uma ponte de concreto que deveria ter ficado pronta a 20 anos até hoje não passa de um esqueleto. Bem que a classe política de Guajará deveria se mobilizar para tirar aquela estrada da condição de rodovia sem cuidados.



COMANDO DAS FEIRAS

A posição empresarial do grupo liderado pelo jurisconsulto Orestes Muniz vai ganhando novos pontos e se consolidando como uma dos grandes conglomerados industriais do estado. A marca Dydyo já chega ao exterior e deverá se consolidar como a grande patrocinadora de feiras agropecuárias no Estado.
Para isso, o grupo fechou um acordo com os donos da Schincariol e passará a ser o responsável pela distribuição da cerveja dessa marca em toda a Rondônia.


Nenhum comentário sobre esta coluna

Mais colunas de Gessi Taborda

22/8/2011 18:54:01 - Hoje é a minha vez de filosofar

27/4/2011 22:52:16 - Em Linhas Gerais: não muda nada

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13


Últimas Matérias
Publicidade: