Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro


 

Porto Velho,  seg,   21/agosto/2017     
COLUNISTA: Gessi Taborda

Em Linhas Gerais: cidade sem prefeito

30/4/2011 14:34:09
taborda@enter-net.com.br
 
  
CIDADE ESQUECIDA

Chega a ser patética a maratona cumprida à exaustão pelo prefeito Roberto Sobrinho às emissoras de rádio e televisão. Até parece que Roberto se imagina candidato no próximo ano. São tantas entrevistas, com tantas desculpas além da sucessão de promessas; que fica claro o desespero desse prefeito de triste figura, um dos últimos no ranking da avaliação de prefeitos de capitais.

Qualquer cidadão sabe que as promessas do prefeito não têm nenhum valor e nenhum sentido. A cidade está cheia de exemplos de que esta é a gestão da incompetência e da tergiversação. A cidade prometida pelo prefeito só aparece em truques de mídia, em propaganda destinada a livra-lo de vaias onde, lamentavelmente o prefeito gasta milhões do dinheiro público e só destina as “campanhas” para a chamada mídia amestrada onde ninguém pode criticá-lo sem o risco de ver a grana sumir.

A sorte desse lamentável prefeito é que os habitantes de Porto Velho são pessoas solidárias, bem humoradas e até mesmo calorosas. O povo sabe o tipo de prefeito que tem, reza para vê-lo sair da vida pública e mesmo assim ainda não sai por ai em movimentos vaiando o alcaide que torra milhões de reais na veiculação maciça de suas campanhas perfeitamente dispensáveis, autêntico presente para aqueles que omitem a verdade cruel de uma capital chafurdada no abandono.

É lamentável, não resta dúvidas, que todo esse dinheiro usado para sustentar uma farsa seja o mesmo que falta na Saúde, na Educação, na Segurança, na prevenção dos dramas das chuvas, etc. A verdade é essa, a “Cidade de Todos” inventada pelo prefeito é uma grande mentira. O prefeito só não é importunado pela imprensa porque esta se acostumou a viver da extração da grana do erário.


ANDREZA REVOLTADA

Vivendo na cidade real e não na da propaganda do prefeito, Andreza de Oliveira, moradora da rua Governador Valadares, 3961, no Bairro Conceição, tem uma mensagem de revolta e ao mesmo tempo de apelo para alguma autoridade sensível capaz de obrigar esse prefeito a trabalhar. Veja o que ela diz:

“Venho através deste pedir ajuda a jornalistas sérios para nossa situação. Não sei mais o que fazer, e onde procurar.... a rua onde eu moro está impossível de andar, seja de carro, moto, bicicleta, a pé, enfim está impossível. Minha mãe tem que fazer uns exames e não tem como sair de casa. Meu vizinho sobrevive trabalhando em um bar, e agora está impossível de trabalhar, pois a rua não tem condições e por isso perdeu seus fregueses. Seus filhos estão matando aula, pois não tem como sair pela rua. A água da rua esta entrando dentro das nossas casas, aquela lama fedida, que pode até nos causar uma doença, alguns carros tenta sair, mas ficam atolados no meio da rua... Suplico ao Ministério Público e aos vereadores que façam alguma coisa por nós. Não dá mais para agüentar essa situação.


O PREFEITO SABE

Mesmo sendo um prefeito mais voltado para o turismo, Sobrinho deve conhecer de perto a situação descrita acima. Afinal no trecho a Rua João Paulo I com a rua Tamareira (próximo do Colégio Bela Vista) caminhões usados nessa sua mania de anunciar obras que nunca acabam andou jogando carradas de cascalho em verdadeiros monturos abandonados a semanas, bloqueando qualquer tipo de passagem e transformando as vias num enorme lamaçal que os vizinhos de Andreza chamam de “palhaçada da prefeitura”.

Certamente lá no Jardim Conceição os marqueteiros do prefeito não irão colher declarações de gente humilde favoráveis ao alcaide, mesmo ao preço do dia como deve acontecer em outras áreas da cidade.


TRUQUE DE MADAME

É decepcionante ouvir novamente essa eterna ladainha sobre a porcaria da BR-364. Desse vez é a mulher dos mais 60 mil votos a entoar a cantilena, ou seja, a deputada federal Marinha Raupp, mulher do senador Raupp e, se isto não bastar, do vice-presidente nacional do PMDB. Com tudo isso, com os longos anos de puxa-saquismo dos governantes petistas e especialmente desse Ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, um político em queda livre no Amazonas, a questão do DNIT em Rondônia é lastimável.

Vem agora a dona Marinha Raupp (como essa mulher subiu na vida pública em Rondônia!) dizer que está apelando ao Ministro para que a BR-364 não se acabe, pois intransitável ela já está em muitos de seus trechos. Tudo isso, é claro, não passa de mais um truque de madame da classe política rondoniense. Dona Marinha pode saber conquistar, mas eu não me recordo de nenhuma coisa marcante, estrutural, realizada em Rondônia por sua iniciativa.

Nesse negócio de rodovia é bom lembrar que Rondônia chegou a por no comando do DNIT um camarada falante que, com sua prosa, chegou a mandar na Fiero, virou deputado e vice-governador e não fez praticamente nada em termos da BR-364. Ai é claro, não foi truque de madame, não. Foi enganação pura daquele que nunca teve indústria e mesmo subiu na vida mandando na Fiero.


QUEM ESTÁ DORMINDO

Pela gravidade do fato, certamente alguém está dormindo de toca no governo do estado ou no Ministério Público. Ta certo que no nosso estado a contratação de pessoal para o serviço público (em praticamente todos os níveis de poder) se faz mais pela famigerada tática do servidor comissionado, normalmente alguém com um pistolão, um cabo eleitoral ou mesmo um “laranja” para montar e executar esquemas contra o erário.

Como é que um governo pode ser permitir contratar alguém mantido preso pela Interpol no exterior para dirigir (deve ser gozação) para dirigir o Núcleo da Coordenadoria de Atendimento ao Adolescente em Conflito com a Lei, uma das divisões da Secretaria de Estado da Justiça? O pior é que não aconteceu nada, até agora. Há um verdadeiro complô do silencio nos órgãos de controle do poder público.

E assim, o tal do José Andrade, que está preso na Bolívia está recebendo seu polpudo salário do governo rondoniense desde 1º de Janeiro. Me recuso a acreditar que o dr. Confúcio Moura tenha tido essa iniciativa. Como homem ético que é, com uma boa biografia política deve, evidentemente, deixar de ser refém do mau caratismo de assessores que metem o governo nessa esparrela.

Se continuar assim, esse governo pode correr o risco de ser minado por um deputado jovem, como é o Jean de Oliveira, inexperiente mas que tem atrás de si o tão espero Carlão de Oliveira, esperto ao ponto de andar livre, rico, sorridente e solto, apesar das dezenas de anos de condenação da Justiça.


NÃO É PIADA

A tal prefeitura incapaz de tomar medidas verdadeiras para melhorar o trânsito da cidade, no aspecto de fluidez, de segurança, de sinalização e fiscalização está garantindo que vai participar, juntamente com o Detran/RO, de um coisa chamada “Década de Ação Pela Segurança no Trânsito”. E quem deve estar à frente dessa invenção digna dos três porquinhos será, nada mais e nada menos, do que Williames Pimentel, o inefável chefe da caótica Saúde municipal que acabou vetado por deputados na Assembléia quando tudo já estava acertado para o moço comandar a Saúde do estado. Isso está mais parecendo uma apologia à maneira criminosa com que se mantém o trânsito de Porto Velho como um dos piores e mais letais do Brasil...

FLORESTAL

Denis Baú, o presidente da Fiero vai quebrar um pouco as barreiras que tornam difícil o acesso até ele e vai aparecer na abertura, dia 5, de um Seminário promovido juntamente com a Unir, sobre o setor florestal rondoniense e as implicações do Código Florestal que deve ser votado nos próximos dias em Brasília.

Segundo Baú, o seminário é de vital importância, pois vai oportunizar aos empresários do segmento industrial da madeira de Rondônia se inteirar de muitos assuntos do interesse. “Este evento estadual vai tratar dos anseios do setor, configurando comunhão de objetivos entre instituições e a classe produtiva”.

TEMPO PERDIDO

Se o tal seminário servir para madeireiros e políticos rondonienses ficar batendo na tecla de sempre, tentando desqualificar órgãos como Ibama, Força Nacional de Segurança e Polícia Federal, pouca coisa terá de proveito para pelo menos balizar a atividade nos próximos anos no estado.
Esses discursinhos de gente como o tal deputado Newton Capixaba, de que esses órgãos praticam terror contra os nosso “santos desmatadores” com suas operações de fiscalização já chegou ao esgotamento. Polícia é para andar armada mesmo. Não é para entrar em nenhum estabelecimento suspeito levando rosas não. Tem que multar que não cumpre a legislação e depois de multar prender aqueles que depedram o meio-ambiente sem o qual ninguém viverá na face da terra.


Nenhum comentário sobre esta coluna

Mais colunas de Gessi Taborda
Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13


Últimas Matérias
Publicidade: