Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  dom,   19/janeiro/2020     
opinião

E Rondônia, quando terá uma operação da PF contra corruptos?

15/11/2004 17:41:27
Imprensa Popular
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



É claro que Rondônia tem servido também, a exemplo de outras unidades da Federação, de palco para fraudadores da coisa pública. Aqui, até agora, aqueles que saqueiam o dinheiro público continuam sem punição e cada vez mais poderosos. O estado precisa urgentemente de uma dessas operações especiais da PF para conter a voracidade dos fraudadores. 


 Assim como os demais brasileiros, os rondonienses, diante das constantes informações da ação da Polícia Federal em operações feitas em diversos estados na busca de fraudadores que durante muitos anos transformaram o país num grande cenário de desperdício do dinheiro público, sem punição, anseiam para que este vento benfazejo sopre também por aqui onde, a olhos vistos, fortunas são construídas da noite para o dia, sem maiores explicações, sempre por pessoas que de uma ou de outra maneira mantém grande vínculo com o Poder.

Fala-se que a Polícia Federal já promove, nesse momento, uma investigação especial que ainda não ganhou um apelido criativo das operações desse gênero, como a “Pororoca”, aqui no Estado de Rondônia, voltada principalmente esclarecer indícios de fraude contra agentes ligados à área da receita, contra políticos do alto-escalão e até contra empresários (e ai o zumzumzum fica intenso quando foca distribuidoras, negócios de lazer, empresas do setor de informática e outros segmentos suspeitos de sonegação e lavagem de dinheiro) que conseguiram, rapidamente, milhões de reais de origem duvidosa.

Mas, se esta investigação está mesmo em andamento pela Polícia Federal, seguindo, como é sua praxe, os ritos judiciais, ela acontece no mais absoluto sigilo. Até nossas melhores fontes se fecharam em copas.

É claro que não existem fraudadores apenas no Amapá, na Roraima, no Pará, no Rio de Janeiro e em outros estados onde as operações especiais da Polícia Federal estão gerando manchetes de jornal. Aqui também, com certeza, esta atividade criminosa tem feito a alegria de alguns espertalhões que vivem aparecendo nas colunas sociais e alguns novos ricos que, neste quadro de dificuldades, exteriorizam uma facilidade incrível para ganhar muito dinheiro, saindo de um patrimônio zero para uma vida nababesca.

Certamente os espertalhões que agem na manipulação dos recursos públicos no Estado de Rondônia não devem ser mais espertos do que os fraudadores dos demais estados. Claro que procuram fazer suas maracutaias sem deixar furos, usando laranjas confiáveis, tornando difícil as denúncias consolidadas. Todavia, agindo dentro da lei, da ordem e da Justiça, a Polícia Federal tem demonstrado capacidade para desvendar até mesmo as grandes fraudes, feitas em conluio com autoridades e funcionários públicos e, assim, não será aqui que esta roubalheira continuará escondida, caso a Polícia Federal resolva agir.

Será que Rondônia está livre da ação dos fraudadores de combustíveis, uma praga desmantelada agora pela Polícia Federal no eixo Rio-São Paulo? É claro que não. Indícios fortes de ação desse pessoal já levou à prisão, aqui mesmo em Porto Velho, donos de grandes postos de gasolina que inexplicavelmente continuam operando sem a garantia de que a malandragem não continua sendo utilizada.

Na área da administração pública é fácil descobrir os espertalhões. Poderemos citar, mais para frente, o nome de vários que vivem com estilo de vida muito superior a seus ganhos em empregos públicos (onde atuam como aspones) e privados (sempre com influência no setor público). Serão estes aqueles que, quando a Polícia Federal estiver agindo com uma operação especial em Rondônia, serão presos em mansões ou apartamentos de cobertura, em bairros exclusivos, onde a roubalheira gosta de ficar “escondida”.

Precisamos, como sociedade tão preocupada com a reconquista dos valores da honradez como os demais brasileiros, de uma dessas operações a Polícia Federal, dentro da lei, da ordem e da Justiça, agindo em Porto Velho. Precisamos de uma força-tarefa que revele para o povo de onde veio o dinheiro daqueles que ampliam todo dia o seu poder em áreas como a da comunicação, da publicidade, das megas-construções de casas noturnas, da compra de grandes concessionárias de veículos, de imensas fazendas, tudo isso dentro de um enredo mais parecido com a formação das quadrilhas mafiosas. Embora Rondônia seja considerada um rincão nacional, aqui também há muita poeira que precisa ser levantada com a competente ação da Polícia Federal.

Se uma dessas operações especiais voltar-se para o tenebroso lado da mídia, certamente vamos acabar sabendo detalhes como é possível manter funcionando grandes publicações carregadas de anúncios a preços aviltados (que não cobrem os custos) quando não são publicados pelo sistema de meras permutas.


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: