Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  dom,   8/dezembro/2019     
reportagem

Zona Leste e Zona Sul culpa prefeito pela escuridão

15/11/2004 17:47:53
Por Janiele Viana
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



Embora todos paguem taxa de iluminação pública, a escuridão domina maior parte das ruas de Porto Velho. Os moradores, como Rubens da Silva, não têm dúvidas: o culpado é o prefeito Camurça que, vaticina Rubens, “não ganha nem para inspetor de quarteirão”. 


 Moradores da Zona Leste e Zona Sul afirmam pagar taxa de iluminação pública e nunca desfrutar desse beneficio. Alegam sofrer agressões e assaltos pelos vândalos que aproveitam da situação de “escuridão” que domina a maior parte das ruas de Porto Velho.

O morador Rubens da Silva, da rua Anastácia Barbosa, localizada no bairro JK I, está indignado por morar há 18 anos no mesmo local que nunca teve iluminação pública e ser obrigado a pagar o carnê do IPTU, pago anualmente, e a taxa de iluminação, cobrada mensalmente na conta de luz da Ceron. As duas cobranças superam os R$ 100 reais.

Ele reclama do abandono dos bairros periféricos e desabafa: “A culpa é do prefeito que teve dois mandatos e deixou a gente na lama e aqui Carlinhos Camurça não ganha nem para inspetor de quarteirão”.

Já a moradora Maria das Dores, do bairro São Francisco, diz morar na principal rua do bairro, pagar em dia a taxa de iluminação e o IPTU e, mesmo assim, viver na escuridão. Segundo ela, não vale a pena pagar tudo isso (quase R$ 200) e não ter benefício algum. Sua esperança de melhorias é o novo prefeito eleito Roberto Sobrinho.

PAGANDO PELO QUE NÃO RECEBEM

O mesmo acontece na Zona Sul. Para os moradores a situação não é diferente, pois todos pagam taxa de iluminação e IPTU em dia para viver a “Deus dará”. A moradora Rosilene Garcia, da rua Arueira, no bairro Conceição, diz que conseguiu iluminação em sua rua porque seu vizinho trabalha em uma empresa particular da área de eletricidade e ajuda na iluminação da via. “Se não fosse meu vizinho todos nós estávamos na escuridão”.

Imprensa Popular procurou o assessor da diretoria técnica da CERON (Centrais Elétricas de Rondônia), Paulo Lucena, para saber melhores informações sobre o assunto. Lucena afirma que a CERON nada tem a ver com a manutenção da iluminação pública das ruas e sim com o arrecadamento que é repassado para a prefeitura. Ele também diz que a taxa de iluminação é cobrada pela EMDUR (Empresa Desenvolvimento Urbano), que é uma autarquia da prefeitura.

Procuramos a EMDUR e não encontramos nenhum responsável para falar sobre o assunto.


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: