Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  sex,   23/agosto/2019     
entrevista

Quem disse que o PFL não tem nomes?

6/3/2005 22:02:05
Por Imprensa Popular
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



Na opinião do ex-senador a derrota eleitoral do PFL aconteceu pelos erros da articulação. Para 2006 o partido conta com nomes expressivos até para disputar o governo. Entre as lideranças ele destaca até o ex-prefeito de Ouro Preto, Carlos Magno. 


 Determinado a disputar uma cadeira de deputado federal em 2006, o ex-senador e empresário Moreira Mendes acha que seu partido, o PFL, poderá mostrar competência e até ganhar as próximas eleições se “não cometer os erros de articulação” verificados na disputa das eleições municipais do ano passado.

Para ele o partido tem em seus quadros “nomes de grande expressão política” que podem disputar de igual para igual com as outras siglas o governo do estado e a vaga para o senado. Ele destacou os nomes do atual prefeito de Ji-Paraná, José Bianco, e o do ex-prefeito de Ouro Preto do Oeste, Carlos Magno. Também se referiu ao nome do atual presidente do diretório regional, o deputado Carlão de Oliveira, presidente da Assembléia Legislativa.

Moreira Mendes está confiante “numa grande renovação” da bancada de deputados federais de Rondônia, mas preferiu não opinar sobre quem deve perder a cadeira na próxima eleição. Em sua opinião o PT não ficará sem representação na Câmara dos Deputados, só que “deverá sofrer perdas”.

PT SEM CANDIDATO

Fazendo previsões para 2006 Moreira Mendes imagina “um PT sem candidato próprio, porque isto não parece ser o melhor caminho para o objetivo maior, que é a reeleição de Lula”. Certamente a direção nacional do PT vai abrir espaços para os tais “partidos aliados” numa composição montada na cúpula. Lá em cima, deixa claro o ex-senador, ninguém se importa em remover “os amigos” para fazer acertos políticos. Uma demonstração disso, na visão de Mendes, foi à substituição de Odair Cordeiro por Júlio Miranda, para agradar o PL.

Nas análises que vai fazendo do cenário político rondoniense o ex-senador acha que só há uma certeza até agora: “a de que Cassol tentará a reeleição, e Nilton Capixaba, do PTB, tentará o Senado”.

Mesmo assim Moreira Mendes considera que o PMDB não irá abrir mão de apresentar um candidato próprio, sendo Suely Aragão o nome mais provável, em sua opinião.


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: