Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  seg,   24/junho/2019     
reportagem

Prefeito que ameaçou matar jornalista não compareceu perante Juizado

1/4/2005 16:26:05
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



Autor de agressão e ameaça de morte ao jornalista Gessi Taborda, o perigoso prefeito Chico Pernambuco, de Candeias do Jamary, não compareceu perante o Juizado Especial Criminal. O processo vai ser julgado no Tribunal de Justiça. 


 Como já era previsto, o prefeito Chico Pernambuco, de Candeias do Jamary, não compareceu à audiência realizada no dia 21, no Juizado Especial Criminal, em Porto Velho, para dar explicação sobre a agressão e ameaça de morte, praticada por ele e mais dois capangas, contra o jornalista Gessi Taborda, na madrugada do dia 4 de março, quando o jornalista supervisionava a distribuição de Imprensa Popular, naquele município vizinho da Capital.

Apenas o jornalista vítima da truculência do perigoso prefeito, acompanhado do advogado Fernando Maia, compareceram à audiência. Pernambuco preferiu usar sua prerrogativa de prefeito, que lhe garante fórum especial. Em virtude disso, o feito correrá no Tribunal de Justiça que poderá marcar a primeira audiência a qualquer momento.

CONTO DA CAROCHINHA

Além do processo criminal, o truculento prefeito de Candeias deverá responder também, conforme explicação do advogado Fernando Maia, a ações cíveis, por ter dirigido calúnias e injúrias ao jornalista de Imprensa Popular em entrevista concedida a apresentadores da Rádio Transamazônica FM (comunitária), no dia 7 de março, tentando esquivar-se da responsabilidade do gesto tresloucado cometido com a ajuda de dois capangas armados.

Chico Pernambuco tem notoriedade no submundo como adepto da violência, desde os tempos em que impunha verdadeiro terror na área de garimpo, em Porto Velho. Naquela época, quando estava distante da política, suas aparições em inferninhos da capital já causavam medo. Ele sempre se fez acompanhar de “seguranças” fortemente armados.

Na entrevista dada a repórteres da emissora, como Vitor Júnior, Lucivaldo Souza e Robson Oliveira, o bronco personagem da política candeiense, inventou um verdadeiro conto da carochinha, tentando atribuir a Taborda os métodos que o ex-garimpeiro sempre usou. “Quem conhece o jornalista Taborda – explica o advogado Fernando Maia – sabe que ele nunca usou uma arma, nem mesmo de brinquedo. Ora, se na noite em que foi agredido e ameaçado de morte Taborda estivesse armado, certamente Pernambuco não estaria vivo para divulgar as invencionices e as calúnias e injúrias contra o jornalista”.

O advogado Fernando Maia disse que está analisando a fita da entrevista para identificar os crimes cometidos pelo prefeito agressor, para elaborar as ações cíveis que serão propostas no Judiciário. Ele informou também que oficiou ao comando geral da PM rondoniense sobre os fatos, pedindo segurança para que a distribuição de Imprensa Popular em Candeias do Jamary não sofra solução de continuidade.

Nesse mesmo sentido, Fernando Maia está solicitando ao Ministério da Justiça “garantias de vida” para que o jornalista não seja impedido de continuar realizando suas atividades profissionais em Candeias do Jamary, onde Taborda teme aparecer sem proteção especial porque, como vem sendo constantemente alertado, “o Chico Pernambuco não é de matar com a unha”.

CONDENAÇÃO

Vários advogados consultados sobre estes episódios acreditam que “o prefeito será condenado pelas agressões e ameaças” praticadas contra o jornalista.

O criminalista Marcos Soares acha que “nestes crimes, principalmente quando há um laudo de corpo de delito confirmando as agressões”, dificilmente o agressor “deixa de ser condenado pela Justiça”, mesmo que invente histórias absurdas sobre a vítima.


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: