Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  dom,   8/dezembro/2019     
entrevista

Revelada vantagens e mordomias do alto clero do Sintero

2/5/2005 08:55:21
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



A “boa vida” do alto clero do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Rondônia está sendo revelada pelo site www.oestadoderondonia.com, dirigido pelo jornalista Rubens Coutinho. 


 O Programa de Habilitação e Capacitação (Prohacap), oferecido para os professores que estão concluindo o terceiro grau, virou uma verdadeira farra no meio sindical.

As bolsas de estudo destinadas àqueles professores de menor renda estão sendo rateadas entre os dirigentes, que beneficiam seus parentes e amigos. O ex-vereador Manoel Batista (PT) entrou como bolsista integral do Prohacap, ou seja, enquanto os colegas que não são sindicalistas precisam pagar, ele tem 100% de desconto.

Porém, o festival não termina em Manoel Batista. A mulher do vereador José Wildes de Brito, também do PT, tem bolsa integral.

Wildes é ex-presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sintero).

OS PRIVILEGIADOS

Também têm direito à bolsa completa a diretora do Sintero sindicato e Sintero-saúde, Gilka Rodrigues; o assessor de um deputado estadual do PT, que acumulava cargos, professor Domingues Izel; o funcionário do Sintero, Carlos Vanderli; o integrante da chapa 1 do Sintero-Saúde, José Francisco; e a diretora do Sintero em Pimenta Bueno, Maria Luiza, entre outros entre outros amigos e parentes dos diretores do maior sindicato de Rondônia.

Os trabalhadores em Educação que não são ligados ao PT ou aos demais dirigentes do Sintero são obrigados a pagar mensalmente pelo curso oferecido à categoria pela Fundação Riomar, que acusa o Sindicato de lhe dever uma cifra astronômica.

BOA VIDA

Considerada como pessoa de confiança do presidente do Sintero, João Duarte, a sindicalista Claudir Mata Magalhães aproveitou a liberação de 40 horas para atuar como dirigente sindical e conseguiu a liberação de mais 20 horas pela Prefeitura de Ji-Paraná, também para trabalhar no sindicato, acumulando 60 horas de “trabalho” no Sintero, enquanto seus colegas que não têm a mesma boa vida cumprem uma carga horária pesada de 40 horas semanais em sala de aula.

MOTORISTA PARTICULAR

A mordomia ainda vai mais longe. O presidente do sindicato, João Duarte, tem motorista particular para transportar a família Seu filho está bem empregado no Sintero sindicato e no Sintero Saúde. Outro dirigente muito influente no Sintero, conhecido por Haroldo, empregou a filha Naedje na Assembléia Legislativa, lotada no gabinete de deputado petista.

Enquanto isso, a turma do ex-aliado Jorge Lourenço, os sindicalistas José Domingos, Mario Jorge, Inodizia, Mara, Maria José, Angelita, Marizeth, Valmor, Augusto, Reinaldo, Juarez, Haroldo, Romão, Rovilson e Manoel estão sendo isolados e alguns denunciam até ameaças de morte.

ENXURRADA DE DENÚNCIAS

O Sintero – o maior sindicato de representação de trabalhadores do serviço público rondoniense – não é mais aquele. A imagem de vestal foi desfeita numa enxurrada de denúncias, onde se destacam as seguintes: Desde 2003 o sindicato não apresenta prestação de contas e tem prorrogado a data constantemente, inclusive a de 2004 deve ser feita agora em Abril, mas até o fechamento desta edição não havia confirmação de que ela seria realizada.

Boa parte dos diretores do Sintero estão politicamente comprometidos com algumas esferas de poder, porque têm parentes lotados em gabinetes de deputados do PT ou na prefeitura municipal. Sobre isso, o jornalista Rubens Coutinho publicou que filhos dos dirigentes sindicais: Gisele, filha da Claudir Mata Magalhães (secretaria geral); o Marido da Rosana, de Alta Floresta; o cunhado de João Duarte, que é motorista durante todo o dia no sindicato sem possuir vinculo algum com a entidade, bem como o filho de Gilka, que é dirigente no Sintero- Saúde; e a filha de Eneide, dirigente por Presidente Médice, são beneficiários do esquema de lotação em gabinete petista da Assembléia.

No nível municipal, o jornalista Rubens Coutinho revela que Domingos Izel e Haroldo Felix têm contratos na Prefeitura de Porto Velho. João Duarte tem contrato de 40 horas no Estado e está à disposição do sindicato , tendo também contrato de 25 horas no município, sendo as 25 horas de lotação na escola Ermelindo Brasil, onde ganha uma gratificação de mais 50% do salário por ser zona rural, e como não vai lá, paga 200 reais para alguém dar aula no seu lugar. A escola fica do outro lado da balsa. O filho do sindicalista, Bruno, está lotado na Prefeitura com contrato especial, e a esposa, Lierge, tem cargo de confiança na Secretaria Municipal de Saúde. O ex-vereador Manoelzinho do PT está lotado na Semac.

PUBLICIDADE

De acordo com uma denúncia recentemente publicada por Rubens Coutinho, o Sintero gasta milhões em publicidade. Ele lembrou que a denúncia foi feita pelo próprio Secretário de Estado da Educação, César Licório, afirmando que a direção do Sindicato usou cerca de R$ 3 milhões para custear uma campanha na televisão, denegrindo o governador, dinheiro que deveria ser utilizado para pagar o Programa de Habilitação e Capacitação de Professores (Prohacap), realizado pela Fundação Rio Madeira (Riomar). O Ministério Público Federal, segundo consta, solicitou uma auditoria nas contas da Fundação Riomar.

O grande volume de dinheiro gasto pelo Sintero com publicidade passa pelas mãos de seu assessor de imprensa que, conforme afirmou, “é o dono da Agência Imprensa, responsável pela conta de publicidade do Sindicato”. A mulher de Adércio, segundo o próprio confessou, também é lotada num gabinete petista da Assembléia onde, de acordo com a informação publicada pelo jornalista Coutinho, nunca foi vista.


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: