Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  sex,   15/janeiro/2021     
política

Ivo ultrapassa a fase do Big Brother, lançando pacote de obras

1/8/2005 02:51:13
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



Confessando-se teimoso e persistente, o governador Ivo Cassol apresentou a agenda positiva de seu governo, com “o maior pacote de obras dos últimos 20 anos”, com o qual pretende transformar o Estado num canteiro de obras “com princípio, meio e fim”. 


 O governador Ivo Cassol não está preocupado com o quadro de incertezas políticas de Rondônia. Ele reuniu lideranças de todo o Estado, no auditório do Senac em Porto Velho, no último dia 19, para o lançamento de um pacote de obras capaz de levá-lo a fechar o seu mandato como o governador de melhor desempenho que Rondônia já teve. Ao fazer este lançamento, com a presença de praticamente todos os prefeitos rondonienses, Ivo procurou dar uma resposta àqueles que ainda apostam no seu afastamento do cargo e vaticinam que dificilmente ele terminará o seu mandato.

PÁGINA VIRADA

Na abertura do “Pacote de Obras” onde o Estado pretende investir mais de R$ 200 milhões de recursos próprios, o discurso do governador foi uma declaração de que no Palácio Getúlio Vargas não há espaço para preocupações com a crise já que o momento é de tratar da conjuntura do desenvolvimento do Estado. “A página do ‘big brother’ já passou”, disse Cassol, referindo-se ao episódio das gravações de fitas denunciando deputados que foram à sua casa pedir propinas para apoiá-lo na Assembléia Legislativa.

Pela maneira como se expressou, inclusive reafirmando seu caráter pessoal de “homem teimoso e persistente”, Cassol demonstrou estar convencido de que não será arrastado pela crise política instaurada no Estado, mesmo respondendo a diversos inquéritos e procedimentos na Justiça. Depois da tormenta, o desejo do governador, como se expressou para os prefeitos que foram ouvi-lo, é o de promover “um tempo bom, mostrando que Ivo Cassol não é de fazer as coisas pela metade”.

MAR DE CORRUPÇÃO

Engana-se, no entanto, quem julgar que o tema corrupção não afeta o governador rondoniense. Nas suas declarações do dia 19, Ivo Cassol acha que seu papel no mar de corrupção do Estado foi “o de dar exemplo para o Brasil”. Suas ações objetivaram “defender os 52 municípios de Estado”, destacou. E nesse momento, o governador aproveitou para alfinetar o PT e sua crise nacional:

— O que nós estamos assistindo em nível nacional é uma vergonha, algo desesperador para qualquer um. Não dá para aceitar o lixo colocado debaixo do tapete enquanto o povo fica de pires na mão, pedindo esmolas. Quando era prefeito de Rolim de Moura eu defendia todos os quatro cantos da cidade. Agora, como governador, defendo os seus 52 municípios e os distritos. Jamais vão me ver fazendo discursos para salvar a população do Haiti, salvar isso e aquilo, enquanto a população de Rondônia, o povo do Brasil, não tem perspectivas de uma economia melhor, de um emprego melhor, de uma mesa farta melhor. Nós temos de nos preocupar é com o nosso Estado, é com o povo do nosso Brasil...

O PT JÁ ERA

Ao afirmar que não estava no auditório do Senac para criticar partidos políticos, mesmo estando sem partido no momento, Ivo Cassol não deixou de ironizar o PT com afirmação de que ele “foi por água abaixo, depois de se apresentar como a salvação do Brasil”.

O governador destacou “nunca ter defendido cor partidária” diante da opção de “defender o cidadão”. Por isso, acrescentou que seu pacote de obras vai atender “prefeitos, vereadores e lideranças, não importando a cor partidária de cada um”, todos convidados a somar forças com o governo em prol do pacote lançado para reativar a economia e gerar empregos em todo o Estado. E assim, Cassol acrescentou:

— ‘Carne de pescoço’ e mal pagadores têm em todos os partidos. Agora o que nós precisamos é do povo de bem. Estes é que precisam nos ajudar. É esses que eu peço para vestirem a camisa que eu visto, a camisa que representa um milhão quinhentos e noventa mil habitantes de Rondônia. Esta é a nossa luta, a luta que não é só minha.

O PACOTE

Para descolar a sua imagem da crise, rompendo o cerco político em que foi envolvido, o pacote lançado por Ivo Cassol tem o objetivo de mostrar que não existe paralisia administrativa no Executivo rondoniense. O próprio evento de lançamento do pacote já causou um impacto positivo à imagem do governador. Até a vice-prefeita de Porto Velho, a comunista Cláudia Carvalho, aplaudia entusiasmada o discurso do governador.

O pacote garante a realização de obras em todos os setores e em todos os municípios. Só de asfalto novo nas estradas, o governo garante que fará mais de 265 quilômetros. Na Educação, a previsão é que 113 obras serão realizadas, incluindo a construção de várias novas escolas.

Para produzir boas notícias nesta estratégia positiva que deverá durar até o final de seu mandato, Cassol pretende construir novos hospitais, terminar as obras de quatro unidades em construção, ampliar e reformar as unidades existentes. Neste setor, o governo se comprometeu a edificar centros de referência da mulher, além de novas unidades de urgência e emergência.

Para atender o setor agrícola especificamente, o pacote do governo programou 12 obras para atender demandas da Secretaria da Agricultura e da Emater.

Na área que afeta a Secretaria de Cultura, Esportes e Lazer estão programadas obras de reforma de ginásios de esportes, iluminação de quadras e as reformas dos CEDELs de Porto Velho.

A Segurança Pública é outro segmento com forte destaque no Pacote de Obras. Assim, a Seapen foi contemplada com a construção de um mini presídio, reformas em unidades do interior e obras no Urso Branco, em Porto Velho, aumentando a confiabilidade de sua segurança. Ainda neste setor o governo anunciou reforma e ampliação do quartel do Corpo de Bombeiros e a construção de Ciretrans no interior.

O maior volume dos recursos previstos no “Pacote” destina-se ao setor rodoviário. Aí o governo Cassol se comprometeu asfaltar seis rodovias estaduais, corrigir, recuperar e patrolar 3.307 quilômetros de estradas da malha viária do Estado; construir 1.250 metros de pontes de concreto e madeira, criando 58 frentes de trabalho nesse segmento.

DESTRAVANDO

Com o anúncio do “Pacote”, o governo Ivo Cassol dá início a uma política econômica capaz de destravar o investimento em Rondônia. Com a adoção dessa agenda positiva, mesmo sem estar filiado a partido político, o governador sinaliza a busca de uma coalizão representativa das forças que podem apoiar sua eventual disputa pela reeleição, principalmente a partir dos prefeitos.

Pessoas ligadas a Ivo Cassol confessaram a Imprensa Popular que “esta plataforma de mudanças econômicas, levando Rondônia a recuperar o seu dinamismo” contribuirá para a mobilização do movimento social rondoniense em apoio ao governo e, nesse novo quadro, Cassol não terá dificuldades de se reeleger mesmo que tenha de fazer uma opção partidária por uma sigla menor.

---------------------
LEIA TAMBÉM:
Dizendo-se um “grande conquistador”, Ivo elogia Assembléia

Governador garante que é feliz


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: