Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  seg,   6/abril/2020     
reportagem

Ceron vai processar fornecedor que superfaturou passagens

2/10/2005 14:49:24
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



O presidente da Centrais Elétricas de Rondônia, Eurípedes Miranda Botelho, confirmou que a estatal descobriu superfaturamento de preços no fornecimento de passagens aéreas praticadas por agência de viagens da capital. 


 Os problemas da Ceron na compra de passagens aéreas começaram com a suspensão do pregão presencial 057/2004, por decisão liminar da Justiça. Uma empresa que tinha apresentado preços superiores aos concorrentes acabou se convertendo na fornecedora de passagens aéreas para estatal, mesmo enquanto o tal pregão teve seus efeitos suspensos por decisão judicial. Segundo consta, o edital de compras publicado pela Ceron exigia que o fornecedor de passagens tivesse uma filial da agência na cidade de Ji-Paraná, embora a sede da estatal seja em Porto Velho.

AUDITORIA DETECTOU IRREGULARIDADES

O presidente da Centrais Elétricas de Rondônia, o ex-deputado federal Eurípedes Miranda, explicou para Imprensa Popular que a exigência de um fornecedor com “filial em Ji-Paraná”, que constava do edital, “não tinha objetivo de direcionamento das compras de passagens”. Ele explicou que “a intenção era a de facilitar o atendimento às necessidades do pessoal da empresa que atua no interior e que fazem os seus deslocamentos a partir de aeroportos como o daquela cidade central do Estado”.

Sobre as irregularidades praticadas pelo fornecedor das passagens aéreas utilizadas pela Ceron, principalmente através do superfaturamento de preço, o presidente Eurípedes Miranda garante que a estatal está tomando as providências para ressarcir “os valores pagos a maior”, isso depois de garantir que a irregularidade foi constatada pela “própria auditoria da Ceron”.

TAM CRIA DIFICULDADES

De acordo com as informações do presidente da Ceron a Imprensa Popular, a empresa que andou praticando preços superfaturados na emissão das passagens foi Turistravel, de Amarildo Horeay.

Assim que a auditoria da Ceron percebeu a existência de irregularidades nos preços, a estatal tratou procurar informações junto às empresas áreas, para confirmar o superfaturamento.

Eurípedes garantiu que a Varig atendeu com rapidez “as indagações da Ceron” mas o mesmo não aconteceu em relação à TAM, que tem em Alcir Nazário o seu representante local: “Estamos decididos a entrar com uma medida judicial para que a TAM nos preste estas informações necessárias ao processo de ressarcimento que a Ceron deverá abrir para não ficar no prejuízo”.

Segundo informações do setor, a Turistravel tem uma relação especial com a TAM como uma de suas operadoras mais importantes na capital rondoniense.

CONTRATO SUSPENSO


De acordo com Eurípedes Miranda Botelho o contrato com a Turistravel foi suspenso assim que a auditoria da Ceron identificou a prática do superfaturamento e agora, enquanto não se realiza outro pregão, a estatal está comprando passagens aéreas “de uma forma emergencial”.

O fato, disse o presidente da Ceron, ainda não está completamente resolvido porque, acrescentou, “para tomarmos todas as medidas necessárias ainda estamos aguardando que a TAM se digne a nos prestar as informações pedidas”. Acrescentando, Miranda afirmou que “a Turistravel ainda tem dinheiro para receber da Ceron, mas o acerto final só acontecerá quando tudo estiver devidamente esclarecido, com a apuração das responsabilidades”, e com o ressarcimento dos prejuízos sofridos pela estatal.

O presidente insistiu na tese de que “esta situação não se tornou conhecida por denúncias externas” e sim pela percepção do próprio pessoal da empresa que acompanha a execução dos contratos com os fornecedores”.

RIQUEZA RÁPIDA


Empresários do segmento de turismo consideram Amarildo Horeay um homem de muita sorte. Alguns destes empresários ouvidos por Imprensa Popular lembraram que Amarildo surgiu no setor como um funcionário de Aires do Amaral, nos tempos em que este era homem do forte do governo e se iniciava como empresário neste concorrido segmento.

Amarildo não teria trabalhado muito tempo com Aires para iniciar, com a Turistravel, seu próprio negócio. E sua agência de viagens cresceu rapidamente. Com os lucros do negócio o ex-empregado de Aires do Amaral tem hoje uma ação diversificada no comércio. Segundo consta ele é um dos grandes franqueados da Americel e tem ainda um bloco desses que vendem o tal do abada, batizado de Hakuna Matata.

ABAV


Agora, sempre de acordo com fontes do setor, Amarildo vem procurando obter apoio para se tornar o presidente da seção rondoniense da Abav, entidade representativa dos agentes de viagem que terá eleição para a nova diretoria no próximo dia 27. Deverá encontrar resistência, porque a entidade pretende reforçar sua imagem ética junto à sociedade e aos órgãos públicos.


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: