Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  dom,   25/outubro/2020     
reportagem

Para a Secretária de Educação, 2005 foi um ano muito positivo

21/12/2005 21:02:03
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



Ao fechar o relatório das realizações da Secretaria Municipal de Educação, Epifânia, a titular da Pasta, garante que as metas foram alcançadas. 


 Num depoimento especial para Imprensa Popular, a Secretária Municipal da Educação, Epifânia Barbosa da Silva, apresentou dados que comprovaram um salto de qualidade na Educação, com tendência de melhorar muito mais no ano de 2006. O otimismo de Epifânia se justifica não só pelo aumento do número da oferta de vagas na rede municipal, tanto no ensino infantil, como no fundamental e na educação de jovens; mas principalmente porque um dos problemas fundamentais do ensino público no Brasil, a falta de qualidade, foi enfrentado com coragem pela administração do prefeito, professor Roberto Sobrinho.

Assim, a jovem secretária enfatizou os esforços feitos para a formação dos professores, principalmente no sentido da qualificação para transmitir com mais eficiência aos alunos o aprendizado da leitura e da escrita, considerada por ela como um dos grandes gargalos quando o assunto é qualidade de ensino: “Queremos que os nossos alunos saibam realmente ler e escrever quando deixarem nossas escolas”, sentenciou Epifânia.

Sendo mais explícita, a titular da Secretaria explicou que “um aluno que chega à quarta série sem saber ler de direito, sem saber manejar as operações básicas da matemática é um aluno que não consegue completar o seu processo de cidadão. Para isso a pessoa precisa adquirir o conhecimento e fazer uso desse conhecimento”, sublinhou.



MAIS DE 9 MIL ALUNOS NESTE ANO


Graças à preocupação do prefeito, que considera o ensino público uma prioridade de sua administração, foi possível atender durante este primeiro ano de sua gestão a mais 9.950 alunos. Com isso o número de alunos matriculados na rede municipal durante 2005 chegou a 106 mil.

Cumprindo um compromisso de campanha, a gestão do professor Roberto Sobrinho, sempre de acordo com as informações da Secretária Epifânia, chegou a garantir vagas para 3.359 alunos na educação infantil, número que superou os 3050 da educação fundamental. Isso sem contar que neste ano a prefeitura possibilitou também a matrícula de 2259 jovens, através do programa “Pró-Jovem”, programa do governo federal que conta com a contra-partida do município. Em Porto Velho o “Pró-Jovem” funciona em 16 núcleos espalhados em todas as regiões da capital.

Esse programa atende jovens de 18 a 24 anos que vivem em situação de risco social. São jovens que por um ou outro motivo não conseguiram terminar o ensino fundamental mas chegaram a concluir a 4ª série. Com o “Pró-Jovem” eles têm a oportunidade não só de concluir o ensino fundamental mas de adquirir, em 12 meses, aprendizagem profissional e conhecimentos de informática para a inclusão digital, recebendo durante o período do curso (12 meses) uma bolsa escolar de R$ 100 por mês.



ORÇAMENTO QUASE DOBRA


Gastar bem os recursos da Educação é preocupação predominante da Secretaria Municipal. Nada de desperdício, nada de gestão perdulária. Neste ano de 2005 o nosso orçamento chegou a R$ 45 milhões, explica Epifânia, mas só com a folha de pagamentos dos quase 3 mil servidores da Educação gastamos algo em torno de 30 milhões. Então o que resta tem de ser aplicado em programas efetivamente comprometidos com a Educação, com a escola e com a qualidade do ensino, concluiu.

É isso que acontece por exemplo com escolas comunitárias, onde a prefeitura chegou a gastar R$ 445 mil reais.

Por isso Epifânia decidiu não mais gastar dinheiro com o Festival de Fanfarras se o evento não estiver realmente ligado à questão educacional, “mesmo sabendo que esse festival já existe a uns 15 anos”.

Considerando que no próximo ano “o número de alunos e de salas de aula irá aumentar”, forçando o município a contratar novos professores para atender o aumento da demanda e para preencher as vagas que não foram supridas em 2005”, Epifânia espera ter um orçamento de 63 milhões de reais, “o que possibilitará não só o crescimento em quantitativo mas também o qualitativo do ensino publico de Porto Velho”. Ela diz que tanto a direção da Secretaria, por orientação do prefeito Roberto Sobrinho, “como o professor que é quem está na ponta do ensino” tem como meta atingir um padrão de qualidade que faça do ensino municipal portovelhense um referencial na região e no país.



TRANSPORTE ESCOLAR

Outro segmento da Semed que evoluiu muito em 2005, quando comparado a 2004, foi o transporte escolar. Dos 3.500 alunos atendidos em 2004, o número passou para 6.500 neste ano. O número de linhas de transporte subiu de 17 para 37 linhas.

Com este apoio decisivo a Secretaria conseguiu trazer de volta para a sala de aula alunos que já tinham desistido de estudar. O sistema de transporte de alunos que funcionou neste ano de 2005 garantiu a permanência dessas crianças nas escolas, reduzindo a evasão a um número praticamente insignificante.

Este é mais um dado que revela a determinação do prefeito com a prioridade para o ensino, assumindo a responsabilidade de garantir ofertas de vagas para todos no ensino fundamental e infantil.



NOVAS ESCOLAS

A atual administração recebeu as escolas “bastante deterioradas”. A grande maioria estava sem reforma a muito tempo. Até mesmo a Escola Padrão não escapou ao sucateamento, embora no papel conste que ela foi “reformada em 2004”, afirmação que não corresponde à realidade. Mas este e outros casos envolvendo 12 outras escolas já sofreram sindicância especial do Tribunal de Contas e as providências legais para apurar responsabilidades estão sendo tomadas.

Por determinação do prefeito Roberto Sobrinho tudo foi feito, dentro da real possibilidade orçamentária do município, para que estas escolas funcionassem sem maiores problemas durante o ano que se encerra. Praticamente nada foi construído.

No próximo ano, como já está definido, a prefeitura vai ampliar a rede física com a construção de duas novas escolas de ensino fundamental, uma no Jardim Socialista e outra no Bairro Tiradentes. Além destas novas unidades, a prefeitura vai ampliar em 26 o número de salas de aula nas unidades existentes.



CONCURSO E MATRÍCULAS

Com a ampliação de novas vagas nas escolas e salas que serão feitas no primeiro semestre do próximo ano e com a contratação de novas escolas comunitárias e filantrópicas necessárias para suprir a demanda de novos alunos, a prefeitura de terá de fazer novas contratações.

Em 2005 a Semed contratou 594 novos professores. Para 2006 há uma previsão de que precisarão ser contratados um pouco mais de 200. Segundo a titular da Semed o prefeito já decidiu que “será aberto concurso público” para as novas contratações. Mesmo assim, afirma Epifânia, haverá necessidade da contratação de novos emergenciais, pelo menos para trabalhar durante o período entre a realização do concurso e a posse dos aprovados”.

Com referência às matrículas dos novos alunos para o período de 2006, Epifância explicou que elas serão feitas no período de 15 a 30 de janeiro, de forma unificada, na prefeitura municipal. Afirmou a titular da Semed que não faltará vagas para ninguém. “E se alguém tiver algum tipo de problema bastará procurar a Semed que a gente vai encontrar a solução”.


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: