Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  dom,   19/janeiro/2020     
reportagem

Primeira dama: ela tem sua força e sua grandeza na construção do estado

25/12/2007 18:55:52
Por Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



Quando se está perto de dona Ivone Cassol da para sentir que ela é um ser emotivo e transparente, cujo principal objetivo é ajudar as pessoas mais carentes da sociedade. 


 A primeira dama do estado de Rondônia falou a Imprensa Popular neste mês de dezembro quando participou de um evento no Banco do Brasil destinado a contribuir com a campanha do “Natal Solidário”, promoção do voluntariado rondoniense liderado por ela.

Dona Ivone acompanha sempre o marido, o governador Ivo Cassol, mas nem por isso teve, em qualquer momento, o desejo pessoal de formar com ele uma dupla política. Mesmo sem ter interesse pessoal na política, ela sempre participou ativamente das campanhas disputadas pelo marido, lembrando que nesses embates, o que mais a marcou foi a maneira como sempre foi recebida pelas pessoas.

Embora seja uma mulher de personalidade marcante, dona Ivone é apontada como possuidora de hábitos simples e modestos. Não gosta de luxar. A primeira-dama de Rondônia fala com todos indistintamente.

Embora não se interesse por qualquer partido e qualquer cargo, dona Ivone Cassol se tornou uma figura freqüente não só nos comícios do marido, mas também (quando já não há mais campanha) nos bairros mais pobres, onde está sempre procurando desempenhar um trabalho de assistência social aos mais necessitados.

SEM MUDANÇAS

E quanto a ser primeira-dama? Pergunta o repórter de Imprensa Popular. A resposta é sincera: “É gostoso porque sou o que sou. Continuo a mesma”. Dona Ivone só faz vida social quando imposta pelos compromissos do marido. Prefere, como dizem fontes de sua proximidade, continuar orientando a família, acompanhando as atividades dos filhos a freqüentar o “higth-society”.

Na verdade dona Ivone sempre foi interessada pela assistência social e pelas entidades públicas ou particulares que as promovem, mesmo antes de ser primeira-dama. “Eu sempre disse para mim mesma que é muito bom ajudar as pessoas, que isso dá prazer pra gente. Então ser primeira-dama é bom porque você tem mais chances de ajudar a muito mais pessoas”, confessa a mulher do governador.

Os amigos de dona Ivone acham que ela é uma mulher de muito equilíbrio, organização e bom humor, sem deixar de lado o emocional.

No dia em que falou com Imprensa Popular a primeira-dama estava particularmente feliz com o sucesso crescente, a cada ano, do “Natal Solidário”, coordenado por ela.

Particularmente agradecida à Tânia Pires, responsável pelo voluntariado ligado à Uveron, a primeira-dama fez questão de enfatizar que “as ações como o Natal Solidário só são possíveis porque a população rondoniense é verdadeiramente solidária com os seus semelhantes”. Dona Ivone ressaltou que os apelos que faz são sempre bem recebidos por diversos segmentos sociais, tanto na campanha de Natal como nas outras. Ou, ainda, quando alguma cidade do estado enfrenta algum tipo tragédia, como já aconteceu em períodos de enchentes, quando dezenas de famílias perdem seus bens.

O ENCERRAMENTO

Certamente dona Ivone Cassol tem motivos para estar feliz com a campanha desse. Encerrada no evento “Bingão Solidário” realizado dia 16, no Cetene, com a presença de aproximadamente 25 mil pessoas, o Natal Solidário deverá distribuir, na capital, cerca de 100 toneladas de alimentos. Vale dizer que pelo menos 10 mil famílias de Porto Velho receberão uma cesta de natal.

O sucesso da iniciativa, segundo Ivone Cassol, é fruto do esforço de uma equipe grande de pessoas e também de muitos doadores, às vezes pessoas do povo que também se sensibilizam “em ver a alegria estampada no rosto de milhares de crianças que sem essa ajuda passariam um natal praticamente sem nada”. O povo de Porto Velho, na opinião de dona Ivone, tem compreendido que uma cidade é feita por todos e que somente juntos vamos torna-la socialmente mais e economicamente menos desigual”, concluiu.


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: