Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  dom,   25/outubro/2020     
política

Deputado renova críticas ao prefeito: “Não retiro nenhuma vírgula das denúncias contra Roberto Sobrinho”

14/3/2008 08:04:48
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



O deputado Valter Araújo está se lixando para a queixa-crime apresentada contra ele pelo prefeito Roberto Sobrinho. E garante que vai cobrar novamente do Ministério Público investigações para apurar “os rolos” da administração de Porto Velho. 


 “Tenho procurado exercer o mandato de deputado de maneira séria e comprometido com a verdade dos fatos. Meus pronunciamentos são feitos dentro dessa ótica e por isso, não vou mudar uma vírgula do que falei da prefeito Roberto Sobrinho e sua gestão”. Palavras do deputado Valter Araújo, com exclusividade para IMPRENSA POPULAR, ao tratar da queixa-crime apresentada pelo prefeito de Porto Velho contra ele. O deputado disse que “novas audiências” irão acontecer na Justiça e ele vai ratificar todos os pronunciamentos feitos na tribuna da Assembléia Legislativa sobre “os lamentáveis fatos” acontecidos na gestão petista da capital.

Valter está convencido de que “o apadrinhamento e a troca de favores e benesses tem limites na administração pública”.

FALTA DE PREPARO

O deputado Valter Araújo, do PTB, considera que a decisão do prefeito em apresentar queixa-crime contra ele na Justiça, “foi uma demonstração de sua falta de preparo e de conhecimento” do múnus público. Para o parlamentar, uma pessoa como Roberto Sobrinho, “que viveu praticamente toda sua vida funcional pendurado em gabinetes” na própria Assembléia e que chegou “a ficar um tempo na Câmara Municipal, embora na suplência” deveria saber “que o deputado tem imunidade sobre aquilo que fala em seus pronunciamentos na tribuna da Casa”.

Valter enfatizou disse “não temer nada” sobre as denúncias feitas no plenário da Assembléia, entendendo que cabe ao prefeito “provar para o povo que não tem nenhum comprometimento com as ações criminosas que denunciei”.

RECONHECEU

Valter Araújo contou para IMPRENSA POPULAR que o próprio prefeito Roberto Sobrinho acabou convalidando suas denúncias durante uma entrevista que deu à Rádio Rondônia FM, “onde reconheceu publicamente que havia rolo sobre a área do shopping dos canadenses, com a redução do IPTU e que ele tinha tomado as providências”.

E que providências o prefeito tomou? Quem ele demitiu? Quem assinou a redução desse imposto? Foi algum funcionário comum da prefeitura? Estas foram perguntas que o parlamentar deixou no ar para fazer a seguinte observação: “Ora, o prefeito sabe, assim como todas as pessoas medianamente informadas que funcionário comum da prefeitura não aleatoriamente fazendo redução de impostos de ninguém. É lícito acreditar que a ordem só pode ter partido do próprio gabinete do prefeito”.

CPI E MINISTÉRO PÚBLICO

Reiterando que não modifica “uma vírgula” sobre o que falou do prefeito, Araújo frisou que vai pedir novamente ao Ministério Público estadual providências para a apuração dessa e de outras eventuais improbidades administrativas na administração municipal.

Na visão do deputado petebista a população de Porto Velho tem o direito de saber exatamente o que acontece na administração municipal, sobretudo das relações promíscuas com barões da iniciativa privada que lesionou o erário.

O parlamentar chegou a argumentar sobre a criação de uma CPI capaz de desmontar “a farsa da probidade” sobre a gestão municipal, altamente comprometida com o “negócio do shopping” que, para ele “é um dos casos mais nebulosos da capital”. Num desabafo, o deputado sentenciou:

- Não é justo ficarmos de braços cruzados diante dessa promiscuidade, quando a gente vê o nosso povo humilde sofrendo. Agora mesmo a gente vê a situação do povo de União Bandeirantes, que está ali trabalhando, produzindo, vivendo há mais de cinco anos cercado de todas as privações, ser escorraçados, expulsos do lugar onde plantaram mais de 60 mil pés de café pela polícia. Eles são vítimas da omissão, da inércia e da morosidade de todos os níveis de Poder. Mas o rigor aplicado contras estas famílias humildes não é vale contra grupos de interesses econômicos de fora que grilam áreas públicas, acabam com áreas de preservação permanente, aterram nascentes de água, como é o caso que nós denunciamos e o Ministério Público até agora não fez nada. Talvez seja mesmo a hora de pensarmos numa CPI.

DOSSIÊ

Valter Araújo contou a IMPRENSA POPULAR ter um vasto dossiê que aponta para irregularidades diversas da gestão de Roberto Sobrinho. “Devo ter mais ou menos umas 10 mil páginas de processos sinalizando irregularidades. Muitas dessas denúncias, encaminhei ao Ministério Público e até à Polícia Federal. Aliás, a PF já está fazendo averiguações sobre estes fatos. Agora, o que estou cobrando é uma ação mais profunda do Ministério Público”.

A cidade de Porto Velho caminha graças à determinação de sua gente e ao esforço da iniciativa privada. A prefeitura, na opinião de Valter Araújo, “é uma coisa estática, quase parada”. E para ilustrar esse pensamento, o deputado sublinhou: “Veja o caso do teatro que já faz quatro anos que está sendo construído e até agora não está pronto; fora as reformas, mau feitas, das praças, o restante das obras não andam. Nossa infra-estrutura é péssima em todos os sentidos. O prefeito só andou fazendo reformas de policlínicas, também no estilo capenga, mas não construiu nenhuma outra, não construiu nem um hospital. O trânsito é um caos e nada se faz, isso sem falar na história dos viadutos que deveria estar acontecendo mas até agora tudo não passa de falácia. Ora, um prefeito que tem na sua retaguarda o presidente da República e todos os Ministros, só não está fazendo as coisas acontecerem porque não tem capacidade administrativa, não tem competência. O pior é que a partir de abril e maio não se empenha mais nada porque já entramos no período eleitoral. Porto Velho está vendo o cavalo passar selado mas não pode montar por falta de capacidade administrativa”, concluiu.


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: