Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  qua,   30/setembro/2020     
artigos

Em Linhas Gerais - e você, refletiu?

23/3/2008 11:02:06
Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 


 E VOCE, REFLETIU?

Fim da páscoa. Neste jornal pouco se falou sobre o assunto. Mas, repetindo aquilo que é comum aos colunistas, quando falam desse assunto, afirmamos, também, que páscoa é uma oportunidade de rever erros, de arrepender-se e começar uma vida nova. E por falar em erros, tem um que cometemos diariamente. É essa nossa mania de reclamar dos políticos. Oras, quando criticamos os políticos, estamos criticando a nós mesmos. Porque o problema não está no político e sim em quem o elegeu. Político, aliás, não se elege sozinho; nós é que votamos neles. Então, a única saída concreta para mudarmos esse cenário desanimador, que atrasa a comunidade e o próprio Brasil, para pela educação do povo, por programas voltados para a sua politização. Enquanto isso acontecer, esperar transformações realmente importantes é uma ingenuidade. O que se pode esperar de um povo que só pensa em levar vantagem em tudo? Um povo que valoriza a esperteza e não o trabalho. Um povo que é fã ardoroso e conhece a fundo a vida dos "brothers" televisivos, mas não sabe o nome de um único escritor brasileiro. Um povo que se julga esperto por puxar um gato da Ceron. Um povo que sonega tudo o que é possível e até o que não é possível. O que esperar de um povo que não sabe o significado da palavra pontualidade? Que joga lixo pelas ruas e reclama da prefeitura. Que comete infrações e reclama de ser multado. Que dirige o carro sem respeitar o pedestre. E que sempre reelege políticos afastados sob a acusação de desvio de verbas públicas. Tomara que nesta Páscoa você, leitor, tenha para uma reflexãozinha. Não aquela reflexão infantil de tentar adivinhar que tamanho seria o fiofó do coelho que bota um ovo, por exemplo, número 21. Tomara que você tenha refletido sobre o que temos feito com o nosso voto. Pois quem planta milho, colhe milho e quem planta mandioca, colhe mandioca. Enquanto nosso voto for destinado aos Barrabás, é por esse tipo de político que continuaremos sendo governados.

APAGÃO SEM FIM

Já tivemos apagão da energia elétrica, do álcool combustível, do transporte aéreo, do gás e pode vir por aí um novo apagão elétrico. Todos passam. Só esse maldito apagão de ética na política parece não ter fim...

VITÓRIA DISTANTE

Continuo achando que a corrupção é que continua sendo a pior desgraça desse país e a que mais afeta diretamente a vida dos brasileiros. E mesmo com o trabalho constante da Polícia Federal e do Ministério Público no combate a esse câncer social, estamos longe de comemorar uma vitória. Afinal, como acreditar que ela vai diminuir, quando vemos políticos apontados como corruptos em escândalo como o do “sanguessugas”, serem anunciados como candidatos no próximo pleito, com todas as chances de uma nova vitória? Aliás, quem foi pego com a boca na botija, pela “Operação Dominó”, e está pelo menos com o pé na porta do xilindró? Mas não quero perder as esperanças: um dia, se nós brasileiros, revestidos com o poder de eleitor, resolvermos dar um basta e não tolerar mais ver, por exemplo, a impunidade ou a pura e simples premiação dos corruptos, a corrupção poderá diminuir um pouco. É terrível ver a facilidade com que os larápios do erário escapam do julgamento público. E muitos, com a maior cara-de-pau, voltam rindo da gente nas próximas eleições. Enquanto o eleitor brasileiro der moleza para os corruptos, votando neles sem o menor pudor, não deixaremos essa condição de republiqueta de banana e honestidade continuará sendo encarada como “coisa de otário” nestes tempos de dissolução.

NO FIM


Faltam poucos meses para o fim do mandato do prefeito. Ele prometeu muita coisa quando foi candidato. E nem vou falar das grandes obras, tipo a ligação através de uma ponte colossal, entre os bairros Milagres e Nacional. Também não vou falar das grandes obras de drenagem de áreas sujeitas à alagações, até porque nesse caso, áreas onde o prefeito gastou dinheiro às pampas, como é o caso do cruzamento entre a Vieira Caula e a Guaporé, basta uma chuvinha para alagar tudo de novo. Na verdade, acho que a maior execução do prefeito vai ficar mesmo na propaganda. Coisas como a nova rodoviária, as melhorias no transporte coletivo, o resgate da saúde pública, o anel viário, parques temáticos com enorme área verde e equipamentos de lazer, reurbanização de áreas de risco, etc, etc, tudo isso não vai acontecer mas servirá para outras promessas quando os palanques estiverem montados.

LIMPANDO GAVETAS

Da formação atual da Câmara, amigos analistas políticos já apostam que apenas cinco vereadores têm alguma chance de se reeleger em outubro desse ano. Um ou dois por mérito próprio, os demais por estarem ligados a facções religiosas ou por manterem entidades assistencialistas próprias de onde brotam seus votos. O jeito então é o pessoal já pensar na arrumação das gavetas porque o ano eleitoral passa rapidinho.

AVANÇO

Os sonhos mudam com o tempo. Antes, o cidadão sonhava apenas em ser indicado para um cargo comissionado no serviço público. Hoje, além do cargo, sonha em ser agraciado também com um cartão de crédito corporativo.

TORNEIO ACADÊMICO

Com apoio da cúpula diretiva da Universidade Federal de Rondônia, a Unir, os estudantes de medicina realizarão entre os dias 17 e 21 de abril, aqui em Porto Velho, o I Intermed, um torneio poliesportivo que reunirá estudantes de nove escolas de medicina, distribuídas por 4 estados. Eles disputarão onze modalidades.

TURBULÊNCIAS ANUNCIADAS

Fonte da mais credível contou a IMPRENSA POPULAR sobre um novo período de turbulência previsto para acontecer na rua Major Amarantes, onde casualmente fica a sede do Poder Legislativo estadual. A temporada pode repetir os raios e trovoadas acontecidas com a “Operação Dominó”.

SEM REPERCUSSÃO

As denúncias do tinhoso Raimundo Nonato de que a prefeitura (leia-se Roberto Sobrinho) andou dando chá de sumiço em 04 milhões de reais do IPAM não chamou a atenção de praticamente nenhuma autoridade com obrigação de fiscalizar coisas desse tipo, punindo quem costumeiramente passa por cima das leis. Roberto, como se sabe, governa sem qualquer oposição. Assim, na Câmara o assunto não foi sequer tocado. Esperar uma CPI para apurar a denúncia, só se for deitado em berço esplêndido. Raimundo Nonato, que já foi petista de carteirinha, está pensando em pedir ajuda da Polícia Federal.

CARA DE PAU

Como contribuinte fico sempre apreensivo com a tolerância do MP e quejandos diante da avalanche publicitária do prefeito na mídia televisiva, especialmente quando fala da “revitalização do centro” usando pessoas humildes e despolitizadas que no vídeo fazem o festival de puxa-saquismo em favor do alcaide. É duro ver o dinheiro que a gente paga de impostos custeando uma publicidade divulgando obras que sequer foram concluídas. Talvez seja mais bobo do que os promotores da Justiça Eleitoral e, por isso, acabo ficando com a sensação de que aquilo não passa de campanha política antecipada. O foco das propagandas da Administração Municipal deveria ser com campanhas de conscientização da população em relação à economia de água, limpeza pública, combate a dengue e outras informações de interesse dos cidadãos.

LADAINHA DE SEMPRE

Pense bem se você já não viu esse filme antes: no primeiro ano de mandato, quase nada é feito e as desculpas são sempre de que o antecessor deixou dívidas e que a administração pública é excessivamente burocrática, dificultando a tomada de decisões. No segundo e no terceiro anos, como o eleitor praticamente já se esqueceu de tudo o lhe foi prometido (e até em quem votou), asfalta-se (no estilo casca de ovo) uma rua aqui, ajeita-se o visual de uma praça ali e chovem aqueles malditos anúncios de que farão isso e aquilo, anúncios que, é claro, nunca serão levados a sério. A famosa tática do anuncismo, é um procedimento que já faz parte do manual de todo político profissional. Finalmente, no último ano de mandato, o político vem a público com aquela velha e surrada ladainha de que precisa de mais quatro míseros aninhos para realizar aquelas grandiosas obras que um dia chegou a prometer. M-i-s-e-r-i-c-ó-r-d-i-a, gente! Tudo bem que faço parte do Zé-povinho, mas daí a pensar que sou otário já é querer demais, né?

DEPUTADO CORAJOSO

Verdade seja dita: o deputado Miguelzinho Sena, do PV, está na lista dos políticos corajosos. Ele não se limita a colocar o dedo na ferida de poderosas instituições apenas quando discursa, na tribuna da Assembléia. Sena, que está sonhando em ser prefeito de Guajará-Mirim, começa a distribuir a revista “Miguel Sena em Ação” com pesadas acusações contra autoridades e instituições, como o Tribunal de Contas do Estado. O deputado coloca o dedo na ferida daquilo que considera mordomias e privilégios inaceitáveis para o baronato do serviço público.


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: