Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  seg,   24/junho/2019     
entrevista

Eliseu da Silva volta à política com a mesma paixão de sempre

13/5/2008 07:19:09
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



Radialista consagrado, empresário do setor de alimentação, Eliseu da Silva retorna à política para realizar o sonho de ser prefeito de Porto Velho. 


 Depois de ser vereador e deputado, Eliseu da Silva – um dos nomes mais famosos do rádio rondoniense – foi escolhido como pré-candidato a prefeito de Porto Velho pelo PP. Seu nome foi lançado num jantar promovido pelos pepistas para a imprensa, marcando o retorno desse personagem da radiofonia, depois de anos, às disputas eleitorais.

“A política é tão apaixonante como qualquer outra profissão. Aliás, é a mais apaixonante das atividades humanas”, disse à IMPRENSA POPULAR, Eliseu ao explicar que nunca saiu da vida pública “para não mais voltar”.

SÓ UMA PAUSA

Eliseu tinha uma carreira vitoriosa no Legislativo. Acabou surpreendendo todo mundo – especialmente seus milhares de ouvintes – ao anunciar que não disputaria a reeleição de deputado, para dar uma pausa na atividade política e dedicar mais aos seus negócios. Na época, o então deputado estava organizando um clube do tipo balneário (banho, na linguagem local), depois de anos atuando no comércio da cidade como lojista.

E realmente o agora pré-candidato do PP parecia ter rompido definitivamente com a política.

A IMPRENSA POPULAR Eliseu explicou porque desistiu do parlamento: “Quando entrei na vida pública como vereador, eu entrei sonhando, imaginando que conseguiria revolucionar a política de Porto Velho, realizando muitas coisas reclamadas pelo povo. Vou te dizer: cai na real e vi que o legislativo municipal estava muito aquém daqueles sonhos que eu tinha para a cidade. Bom, imaginei que teria mais força se fosse legislador estadual…acabei deputado”.

Na Assembléia, afirma Eliseu, ele sentiu mais de perto os entraves para “levar avante projetos realmente importantes para modificar a sociedade de forma concreta”, porque “lá é você contra todos ou todos contra você”. Esse foi o motivo do desencanto com a atividade política que levou Eliseu a se afastar por vários anos, dedicando-se exclusivamente aos seus negócios.

REALIZAÇÕES

Apenas a possibilidade de disputar um cargo no Executivo interromperia a pausa da abstinência política em que Eliseu estava vivendo. Esta oportunidade chegou somente agora quando os integrantes do PP decidiram convida-lo a enfrentar o “enorme desafio de vencer uma campanha eleitoral” disputadíssima como deverá ser “esta sucessão municipal”. E Eliseu está pronto a superar os obstáculos: “Vamos vencer estas eleições e vamos fazer aquilo que Porto Velho precisa há tanto tempo para dar qualidade de vida ao seu povo”, disse a IMPRENSA POPULAR.

E ao falar das carências que precisam ser verdadeiramente resolvidas, “para que Porto Velho dê uma vida digna aos seus moradores”, Eliseu coloca como prioridade número um a saúde, seguida da educação, dentro de um plano global para preparar Porto Velho para o desenvolvimento.

SALA DO INFERNO

Sobre a Saúde, o pré-candidato do PP tem uma posição quase radical. Ele considera que o sistema municipal de saúde está falido a partir de sua gestão. Falando de experiência própria, Eliseu lembra que no princípio deste mês de maio acabou perdendo um irmão, “porque não houve o atendimento adequado nos postos e policlínicas de saúde do município” e ele acabou morrendo no “João Paulo II, um hospital mais parecido com uma sala vip do inferno”.

É inaceitável que um município da importância de Porto Velho não tenha um Pronto-Socorro municipal capaz de dar atendimento exemplar à população da cidade, desabafou Eliseu. “Só quem não tem dinheiro para pagar um atendimento particular sabe o tamanho do problema que é a saúde pública municipal. Ora, os hospitais do Estado atendem mal porque recebem pacientes de todo o Estado. Porto Velho não faz o dever de casa nessa questão de saúde”.

POLICLÍNICAS

Eliseu está convencido de que a administração de Porto Velho não faz o dever de casa na área da saúde. “Ora, se o prefeito não conseguiu construir um hospital municipal, poderia pelo menos ter adequado as policlínicas para atender as necessidades primarias de saúde dos moradores”.

Hoje, conta o pré-candidato do PP, “as pessoas vão cair no João Paulo II ou no próprio Hospital de Base, porque não encontram o atendimento mínimo nas policlínicas. Uma criança fratura um braço e tem de ser levado para um João Paulo. Um idoso sofre problema de pressão e tem de ir para o João Paulo porque nas policlínicas não existe nem mesmo um local onde possa ficar algumas horas em observação médica” e isso, concluiu, “é um absurdo”.

SEGURANÇA

A insegurança existente na cidade é, também, um exemplo de que a administração municipal falhou não apenas em dotar o município de instrumentos específicos para diminuir “a atividade dos marginais”, como é também a demonstração de que “o ensino municipal está falido”.

E para deixar mais claro esse ponto de vista, Eliseu constrói a seguinte imagem: “Um jovem de 14 anos que rouba ou trafica é vítima dessa incompetência do gestor municipal. Significa que ele não teve oportunidade de freqüentar a escola, de aprender cidadania, de ser incluído socialmente. As escolas e o ensino são de péssima qualidade. Falta uma política de fomento ao esporte, faltam centros de lazer e de formação esportiva para inibir esta juventude de viver na rua, de não definir horizontes”.

Então a questão da segurança “não se resolve apenas com a criação de uma guarda municipal e de policiamento comunitário”. É preciso garantir boa escola para a juventude e bons programas culturais e esportivos, “coisas que os prefeitos de Porto Velho não fazem até agora”, salientou Eliseu.

DESTAQUE

O pré-candidato do PP acha que tem “o mesmo sonho da maioria da população”, que espera ver a capital do estado como uma cidade “influindo nas grandes decisões de Rondônia”.

Embora vocacionada para o trabalho, dinâmica e possuindo todos os instrumentos para ter um crescimento que se traduza em benefícios para todos, Porto Velho sofre a influência dos dirigentes políticos do interior, “de onde praticamente vieram todos os governadores do estado”.

Essa situação é o exemplo de que “até agora a cidade não teve um administrador que se projetasse no estado”, vai dizendo Eliseu, “porque não construiu nada verdadeiramente importante, consentâneo com o papel de capital de estado de Porto Velho, significando que os administradores até agora não passaram do trivial”.

Eliseu acha ser este o melhor momento para fazer da administração de Porto Velho “uma referência estadual” a ponto de num futuro próximo ganhe importância política para “ter uma liderança política capaz de ser, por exemplo, governador do estado”.

Ao se expressar dessa maneira, Eliseu da Silva deixou claro que “o desenvolvimento de Porto Velho, dentro do conceito de desenvolvimento com qualidade de vida, tem sido muito modesto”.

FRONTEIRAS

Certo de que as potencialidades de Porto Velho são enormes, Eliseu acha que falta criatividade nos prefeitos que tivemos “para que o crescimento fosse mais acelerado nos últimos anos”. Em sua visão, “tivemos prefeitos que confundiram inchaço com crescimento econômico e social”. É preciso crescer, inclusive, no aspecto cultural e político, sentenciou o pré-candidato do PP.

O bom desenvolvimento de Porto Velho, na opinião de Eliseu, “é aquele que projetará o nome da capital fora de suas fronteiras, como uma cidade preocupada com a qualidade de vida de seus habitantes; sendo motivo de orgulho de todo o estado”. Isso daria conseqüência à capacidade das lideranças políticas da capital influenciar nas grandes decisões do estado, com respaldo para ocupar posições chaves de comando na gestão estadual, acentuou.

Porto Velho é muito importante para continuar recebendo apenas migalhas das demais instâncias de poder. Porto Velho tem um povo interessado no trabalho, interessada em se afirmar como sociedade progressista, solidária, pronta a influir em seu próprio destino. Para conseguir essa transformação precisa, afirmou o pré-candidato do PP, um bom prefeito. “Vou entrar nessa campanha com a responsabilidade de ser o melhor prefeito que Porto Velho já teve”, concluiu Eliseu da Silva.


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: