Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  sáb,   4/julho/2020     
artigos

Coluna EM LINHAS GERAIS, de Gessi Taborda

3/11/2008 17:12:37
GTC
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 


 VAI SE MEXER

A fonte conhece bem os bastidores da Assembléia Legislativa. Nem por isso o que andou ventilando pode ser confirmado pelas vias oficiais. Se, por um milagre divino, aquilo que deixou escapar vier a se tornar realidade, os servidores do legislativo estadual poderão ter motivos para voltar a sorrir. Explico: no setor público estadual, a Assembléia Legislativa é quem paga os piores salários. Os vencimentos estão achatados há muito tempo. Somando-se a isso há vencimentos garfados em função de perdas salariais (decorrentes de planos) nos últimos anos e, como se afirma, o não pagamento de decisões da Justiça favorável aos servidores. A presente legislatura da Assembléia vangloria-se de ter economizado muito dinheiro nesse tempo. Estaria, como se afirma, na iminência de devolver parte desse dinheiro ao Executivo. Diante desse cenário, essa fonte afirmava que alguns deputados estão se mexendo para minimizar a grotesca distorção salarial em que se debatem os servidores da Casa. Se isso verdadeiramente acontecer, os barnabés da Assembléia poderão deixar de ser os mais mal pagos servidores do estado.

AQUI VALE TUDO

Parece incrível, mas o Governo mudou o Plano Geral de Outorgas, para tornar possível a compra da Brasil Telecom pela Oi – que, embora fosse proibida por lei, já tinha até financiamento público acertado com o BNDES. É a primeira vez na história desse país em que um negócio ilegal é acertado e depois, com base no acordo entre comprador e vendedor, a lei é modificada para torná-lo legal.

RELIGIÃO NA POLÍTICA


A insistência de Joel Holden em meter a religião na política acabou colocando-o numa situação no mínimo desconfortável junto aos seus colegas da cúpula da Assembléia de Deus. Tido como o mais iluminado líder da poderosa igreja, ele chegou a aparecer no horário eleitoral este ano pedindo votos para candidatos “evangélicos”. Apareceu até do lado do recém converso Castelo Branco na esperança de “influenciar” os “irmãos” a eleger o advogado que se tornou evangélico, coincidentemente, um pouco antes das eleições. O resultado eleitoral foi totalmente adverso para os “candidatos da igreja”. Como nenhum candidato apoiado por Joel logrou resultado, sua jubilação como líder político no meio evangélico certamente virá antes da jubilação eclesiástica.

PEIXIN MUDA DE DONO

O “Peixin”, restaurante criado e implantado na avenida Calama, por Eliseu da Silva, mudou de dono. O restaurante nasceu depois que o ex-deputado perdeu a concessão do restaurante da Assembléia Legislativa. O “Peixin” tinha como proposta tornar-se um point da inteligentsia de Porto Velho, reunindo artistas, políticos, jornalistas e intelectuais em torno de boa bebida e cardápio especializado em peixes, sobretudo peixes pequenos do tipo lambari, servidos como tira-gosto. Antes de passar o restaurante à frente, Eliseu tentou construir naquele local a candidatura de prefeito. Terminou saindo candidato a vereador, numa aliança com Roberto Sobrinho, obtendo pouco mais de mil votos. Após a derrota, não se sabe ainda qual será a próxima tacada do “moreno sensual” que detém grande audiência no rádio com seu programa de música sertaneja.

ORESTES ESTÁ FORA


É pura perda de tempo dos caciques do PMDB os esforços para trazer novamente para a política o dr. Orestes Muniz. Realizado como empresário e como advogado, Orestes não cogita nenhuma hipótese de deixar o exercício do Direito para voltar à atividade onde, como se recorda, obteve também muito sucesso, quer como deputado federal ou como vice-governador.

O GRANDE DESAFIO

Dinho, o novo prefeito de Candeias do Jamary, tem um enorme desafio pela frente. Tirar o município que antes foi comandado pelo seu sobrinho, o atual prefeito Lindomar Garçom, da crise política que se instalou com no último mandato de Chico (Deus que nos livre!) Pernambuco, que foi amplamente derrotado pela vontade da população, amargando um terceiro lugar. Será preciso sanear a administração pública, ouvir os diversos setores da sociedade candeiense e construir um projeto que resgate a importância do município no desenvolvimento rondoniense atendendo, especialmente, a população que mais necessita do governo. Candeias voltará a ter um prefeito capaz de promover o desenvolvimento com sustentabilidade, tanto no aspecto social como no ambiental. Ao eleger Dinho, do Partido Verde, o povo de Candeias do Jamary fez uma opção por um administrador que defende a cultura da paz, pondo fim a um período de perseguições e truculência que chegou a inviabilizar a circulação de Imprensa Popular na cidade, após forte ameaça promovida por trogloditas a serviço da gestão derrotada pelo povo.

CASSAÇÃO AJUDOU


O vereador Zequinha Araújo, um dos campeões de voto da cidade de Porto Velho, confessou ter sido beneficiado pela cassação do mandato, por infidelidade partidária, quando cedeu sua cadeira, por menos de dois meses, ao Edmilson da Dimples, político do PSDB que mais uma vez não conseguiu vitória eleitoral. A cassação de Zequinha foi revertida pela própria Justiça. Ele foi reeleito com uma votação superior ao pleito passado. Agora o campeão de voto trabalha no sentido de se tornar o próximo presidente da Câmara Municipal. Além da imensa votação, Zequinha tem a como cacife estar na base do prefeito Roberto Sobrinho, de quem é íntimo, e ter, ainda, a simpatia do senador Valdir Raupp.

VÁRIOS CANDIDATOS

Já começou as articulações políticas visando a eleição do próximo presidente da Câmara Municipal, aquele que irá substituir o vereador petista reeleito José Hermínio. Quem conhece do riscado acredita que Roberto Sobrinho, o prefeito reeleito, não terá dificuldades em “fazer” o presidente do Legislativo. Mas isso não inibe candidatos eleitos por partidos de Oposição. Há pretendentes para todos os gostos. Entre os nomes mais citados estão os novos vereadores Epifânia, do PT, Jean Oliveira, do PSDB, Marcelo Reis (PV) e até Ellis Regina Batista, do PCdoB. Ainda é cedo para afirmar quem tem mais bala na agulha. Em algumas vezes, o presidente da Câmara saiu das minorias, como foi o caso do próprio Ignácio Azevedo, hoje importante executivo da Ceron.

GARÇOM NÃO PARTICIPA


O deputado federal Lindomar Garçom não participou do jantar oferecido pelo seu colega no parlamento, Moreira Mendes, deputado da bancada do PPS, no último dia 29, em Brasília, em apoio ao paulista Michel Temer, do PMDB, que sonha em ser o novo presidente da Câmara dos Deputados. Acontece que José Sarney está na boca do forno para presidir o Senado. E se isso acontecer, a candidatura de Michel Temer fica praticamente eliminada. Mesmo assim, o deputado rondoniense convidou para o seu regabofe o filho de Sarney, que é deputado federal pelo PV, partido de Lindomar Garçom.


Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: