Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  ter,   7/julho/2020     
reportagem

Região de RO e AC ficarão parte do domingo sem energia

22/7/2009 15:53:56
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



A Ceron vai interromper o fornecimento a pedido da Eletronorte. 


 

No próximo domingo, 26, a Ceron irá interromper o fornecimento de energia elétrica para Guajará-Mirim, Nova Mamoré e região, no período das 7h às 11h, em atendimento à Eletronorte, para fazer os trabalhos de conexões do linhão de 230 kV à subestação rebaixadora para 69 kV, de 30 MW, para atender o consórcio Energia Sustentável do Brasil. Durantes a execução dos trabalhos, o estado do Acre também ficará sem o fornecimento de energia elétrica.
A subestação de 30 MW foi construída pelo consórcio Energia Sustentável do Brasil, para atender ao canteiro de obras da Usina Hidrelétrica Jirau, empreendimento que integra o Complexo Hidrelétrico do Rio Madeira, o qual utilizará dois terços da capacidade instalada, ou 20 MW.
Segundo informações de Inácio Azevedo, procurador da Presidência da Ceron, com o rebaixamento será construída uma linha de transmissão de 69 kV para atender ao canteiro de obras da Usina. Será construída ainda outra linha de transmissão de 69 kV, cuja tensão será rebaixada para 13,8 kV – ideal para a distribuição ao consumidor final – para atender à cidade de Nova Mutum, ao alojamento do canteiro de obras de Jirau e futuramente ao distrito de Jacy-Paraná.
Interligação ao SIN
Já na próxima segunda-feira, 27, os estados de Rondônia e Acre serão interligados ao Sistema Interligado Nacional – SIN, através de uma conexão entre o linhão da Eletronorte e a linha de transmissão (LT) Jauru-Vilhena. Essa integração proporcionará aos dois estados vários benefícios, entre eles um sistema mais estável com menos probabilidade de interrupções, que se tornarão menos freqüentes e de menor duração.
Além disso, Inácio Azevedo explica que Rondônia ficará mais atrativa para as grandes indústrias que desejarem se instalar no estado. “Com a interligação ao SIN, nós não teremos mais limitações no fornecimento de energia, pois não dependeremos mais apenas das fontes geradoras locais, poderemos ir ao mercado e comprar quanta energia for necessária para garantir o desenvolvimento econômico do Estado de Rondônia”, comemora.
O procurador da Presidência da Ceron aproveitou para frisar que a empresa terá condições de melhorar seu planejamento em longo prazo. “Com uma maior oferta de energia, a Ceron prevê a interligação de quase todo o Estado, restando apenas 13% que permanecerá isolado, por questões geográficas. Com isso, iremos também desativar a maioria das usinas térmicas que estão em funcionamento hoje, resultando em uma drástica redução na queima de óleo diesel e consequentemente trazendo ganhos ao meio ambiente”, concluiu Inácio Azevedo.




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: