Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  sáb,   4/julho/2020     
reportagem

Aposentados devem se previnir contra golpistas

25/7/2009 19:17:04
Por Milton Dallari
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 


 

Uma almofada térmica que “prevenia” infartos, AVCs, além de combater a insônia, o nervosismo e a depressão virou caso de polícia no Rio Grande do Sul. O apetrecho “milagroso” era vendido aos aposentados com a promessa de que o valor seria abatido em prestações no contracheque do INSS. O problema é que na hora de fechar o negócio eles não desconfiavam de que ao fornecer seus documentos estavam na verdade oferecendo dados valiosíssimos que seriam utilizados para empréstimos em bancos. Mais de 100 pessoas procuraram o Procon gaúcho para reclamar do golpe.

O caso acima é apenas um entre muitos exemplos de falsários que se apresentam aos aposentados com ofertas imperdíveis para melhorar a saúde e as finanças domésticas. Quem nunca ouviu falar do golpe do bilhete premiado? Meses atrás, uma senhora foi abordada por um homem com sotaque do Interior, que procurava uma lotérica em um bairro da Zona Sul de São Paulo para trocar um jogo da Loteria Federal.

Enquanto ela explicava o caminho, apareceu um homem de terno e gravata sugerindo que o outro cidadão vendesse o bilhete. Por um instante, ela sentiu-se atraída pela proposta de dividir aquele prêmio. A ambição e a ganância falaram mais alto nesse momento, sobretudo porque sua filha estava prestes a se casar e ela enxergou no negócio uma oportunidade de ajudar com a entrada de um apartamento.

O sujeito bem vestido tirou alguns dólares do bolso e disse a ela que precisavam completar o valor para dar ao simplório homem que estava na frente deles. Ela disse que não tinha dinheiro em casa. Insistiram, então, para que ela fosse ao banco. Só nesse momento é que a ficha caiu. Ela se despediu da dupla e prometeu nunca mais dar atenção a estranhos na rua. O pior é que ainda teve de agüentar a chiadeira dos filhos reclamando de sua inocência diante do ocorrido.

Mas nem todos têm a mesma sorte dessa senhora, que escapou por pouco de ver suas economias na mão dos larápios. Infelizmente, algumas pessoas só percebem que foram lesadas quando não há mais condição de recuperar o que foi perdido. Em alguns casos, dão tudo o que tem em troca de nada. Ficam de mãos vazias e cabeça cheia. Os idosos e aposentados são os que mais sofrem na mão dos golpistas. Talvez porque acreditem que nessa fase da vida ninguém terá coragem de passá-los para trás. Ou mesmo porque são do tempo em que se preferia confiar nas pessoas antes que elas provassem o contrário.

De um jeito, ou de outro, tenha sempre em mente que almofadas “milagrosas” e bilhetes “premiados” não caem do céu. Antes de assumir qualquer risco, consulte os amigos e os filhos para não se arrepender no futuro. Não dê atenção a estranhos que falam em nome de companhias ou institutos públicos como o INSS. Tenha certeza que se alguém quiser realmente lhe oferecer algo de valor, se utilizará de outros meios para isso, como um anúncio no rádio ou na televisão. O conto do vigário de tempos passados é reinventado diariamente porque tem que gente que ainda cai na conversa de bandidos com cara de mocinhos. Abra o olho.




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: