Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  qui,   13/agosto/2020     
cidades

Vereador pede motovias e estacionamento regulamentado. O drama é muito maior

2/11/2009 16:40:35
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



O líder do prefeito na Câmara Municipal, verador Marcelo Reis (PV), deveria pedir a mudança da secretária municipal de Trânsito. Esse sim, um dos núcleos do problema. 


 

Como líder do prefeito na Câmara Municipal, o vereador Marcelo Reis, do PV, certamente tem todas as informações sobre as competências do Legislativo e do Executivo na gestão da coisa pública. Mesmo assim o vereador, preocupado com o caos cada vez maior do trânsito de Porto Velho, apresentou uma proposta para minorar os problemas, submetida à apreciação do plenário da Câmara, onde foi bombardeada pelo líder do PT, vereador Cláudio Carvalho, considerando que a proposta de Marcelo era completamente inconstitucional, “porque apenas o Denetran pode legislar sobre o segmento do trânsito”, bradava Carvalho que ao ser líder do PT, também serve aos desígnios do prefeito (que é do PT) Roberto Sobrinho, a quem serve o “Verde” Marcelo.

PEDIDO INÓQUO

Mais do que qualquer morador de Porto Velho o vereador Marcelo Reis sabe que não se resolverá o problema do trânsito da capital rondoniense com medidas meramente paliativas, como a implantação de motovias ou de estacionamento regulamentado de motos, apenas no centro da cidade, como era o desejo do líder do prefeito.

Os problemas do trânsito da ainda pequena capital rondoniense começam pela falta de uma política de governo para o setor. Agrava-se pelo aparalhamento político da Semtran, secretaria que não possuí técnicos especialista no assunto trânsito e é dirigida por uma moçoila sem nenhuma experiência ou formação acadêmica na área de engenharia de trânsito. Dizem que a dona Fernanda não tem nem mesmo habilitação na categoria profissional.

Mas há outros problemas que levam a não acreditar na adoção das medidas propostas pelo vereador que além de prefeito é um dos formadores de opinião da TV local, onde mantém uma programa que vai além de abordar apenas os fatos policiais, como se propunha.

Marcelo sabe como ninguém que a atual administração não consegue sequer manter pintadas a sinalização de solo nos cruzamentos (mesmo nos principais) da cidade. Não consegue sequer pintar com a tinta própria as lombadas existentes.

Até hoje essa administração conseguiu compreender que em ruas como a Amador Aguiar não deveria ser permitido, há muito tempo, estacionamento dos dois lados, pois trata-se de uma via muito estreita, com grande fluxo de trânsito e com uma quantidade enorme de motoqueiros e ciclistas. Ai está um dos motivos de ser o local de alta incidência de acidentes de trânsito.

Há, na verdade, falta de fiscalização mas o problema maior é a própria incompetência que domina a Semtran. Ora como imaginar a adoção de motovias numa cidade onde não existe sequer faixas destinadas a ciclistas?

Como imaginar estacionamento regulamentado de motos (no centro) sem a regulamentação de estacionamento de carros?

Aliás, como imaginar alguma coisa de uma administração que se sustenta na mentira a na propaganda mentirosa, como acontece com a que procura dar a entender à população que a implantação de um novo sistema viário junto à BR-364, baseado em viadutos, é uma obra da prefeitura quando lá, no local das obras e uma grande placa informando que aquilo se trata de obra do governo federal, o tal PAC que é também outra armadilha de marketing?

PODE SIM

É claro que a prefeitura pode sim, legislar sobre o sistema de estacionamento da cidade e sobre a implantação de vias especiais (ciclovias, motovias, vias expressas, etc,etc) sem depender da União. Quem define a política de utilização do solo urbano é a prefeitura. Ora, se a prefeitura permitiu durante tantos anos a invasão da via pública por botequeiros que acabaram premiados com um próprio municipal, sem ao mesmo terem de participar de concorrência pública, porque a prefeitura não teria como implementar motovias e estacionamento regulamentado de motos?

O que não tem jeito é romper a mediocridade se não se fizer uma mudança nos critérios de escolha dos administradores municipais. E nisso os vereadores já demonstraram que não têm qualquer influência. A maioria deles já pediram a cabeça de dona Fernanda e também de Jair Ramires (chefe da Secretaria de Serviços Públicos). Ficaram desmoralizados. O prefeito nem se triscou e nem mexeu. Mostrou que não tem nenhum respeito pelos vereadores da Câmara Municipal de Porto Velho, nem por aquele que é, no momento, o seu líder na Casa.




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias

23/11/2012 20:12:09 - SINDCONTAS ganha novo portal

Publicidade: