Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  ter,   21/novembro/2017     
entrevista

Artista plástico explora fronteiras do abstracionismo em exposição na Ivan Marrocos, até dia 11

8/11/2009 16:41:30
Por Aldrin Willy
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



Até o próximo dia 11, é possível apreciar um pouco do trabalho do artista plástico porto-velhense Carlos Maia, que navega entre as nuances da arte abstrata na exposição “O colorido e as suas trajetórias em diversas formas”. 



Clique para ampliar

Nascido primogênito em um família com cinco irmãos, foi na figura do pai, Francisco, que Carlos Maia encontrou incentivo e inspiração para ingressar no mundo das formas e das cores. Ainda cedo estudou Desenho Técnico e Arquitetura, mas só recentemente, a partir de 2008, entrou definitivamente no mundo da pintura.

Ele conta que sempre apreciou artes plásticas, mas demorou a migrar de seu trabalho mais técnico para o artístico. “Meu interesse pelas artes vem de muito tempo. Trabalho desde 1973 com desenho arquitetônico, topográfico e agrimensura e em meados de 2008 comecei a trabalhar com a pintura”, conta.

Suas primeiras pinceladas foram dadas bem antes. “Sou funcionário público municipal e onde trabalho o horário é corrido. Então eu sempre tinha as tardes livres e precisava ocupar esse tempo com alguma atividade, porque se não a pessoa começa a pensar bobagem”, diz Maia.

Uma experiência foi determinante para sua transição do desenho mais técnico para o artístico. “Na virada entre 2007 e 2008, fui a Fortaleza [CE] e lá visitei a Casa Dragão do Mar, a casa de cultura deles, e vendo as pinturas que estavam ali expostas eu percebi que eu também podia fazer aquilo, eu também tinha condições de produzir arte”.

E desde então, Maia vem produzindo telas, com especial dedicação às em acrílico. A exposição na Casa de Cultura Ivan Marrocos é a sua estréia como pintor profissional. Seus trabalhos mostram uma inconfundível tendência ao abstracionismo, corrente artística surgida no início do século XX, na Alemanha.

Segundo o historiador da arte Rudolph Arnheim, esse tipo de pintura pode ser definido como a combinação de formas, cores e linhas que cria composições que têm algum grau de independência das formas visuais que conhecemos do mundo exterior. Em outras palavras, é uma forma de arte que não se prende à representação da realidade concreta das coisas.

Algumas telas de Maia também lembram uma variação dessa corrente, conhecida como expressionismo abstrato, que ganhou notoriedade com os trabalhos do pintor americano Jackson Pollock (clique aqui para saber mais).

Abaixo você tem uma amostra do que pode encontrar na exposição “O colorido e as suas trajetórias em diversas formas”, em cartaz
na Casa de Cultura Ivan Marrocos, até o próximo dia 11.

SERVIÇO:
ONDE: Casa de Cultura
Ivan Marrocos (Av. Carlos Gomes, nº 600, esq. c/ Rua Rogério Weber).
QUANDO: Dia 1º a 11 de novembro/2009, das 8h às 22h (o artista está no local das 17h às 19h)
CUSTO: Entrada franca


 

 


Pintura de Carlos Maia


Pintura de Carlos Maia





Pintura de Carlos Maia




FOTOS de Aldrin Willy




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: