Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  ter,   7/julho/2020     
reportagem

“Unha de gato”, planta amazônica, pode salvar vítimas da dengue

1/2/2010 00:48:44
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



O princípio ativo da planta atenua a inflamação causada pela doença. 



Clique para ampliar

Quando o tema é Amazônia, sempre há alguma esperança de cura na sua rica diversidade.
Agora, uma pesquisa da Fiocruz mostrou que tem uma planta que pode salvar. É a unha-de-gato (Uncaria tomentosa), típica da Amazônia, que pode servir como matéria-prima para um remédio destinado a controlar os efeitos da dengue.

O estudo indicou que o princípio ativo da planta atenua a inflamação causada pela doença e poderá evitar complicações como pressão baixa e hemorragia.

O remédio ainda tem de passar por vários testes. Mas é a primeira vez, segundo a Fiocruz, que se detecta a possibilidade de evitar as complicações da dengue.

Um alerta: a pesquisadora e bioquímica Ligia Valente explica que a unha-de-gato está em risco de extinção. Motivo: o corte indiscriminado da planta numa ação destruidora dos extrativistas, interessados em sua comercialização devido as propriedades medicinais.

A espécie corre sério risco de desaparecimento e ainda não está na lista oficial do Ibama da flora ameaçada de extinção.



AMAZONIA E AS CHUVAS

O Pnuma avisa: o desmatamento da floresta amazônica pode causar prejuízos de US$ 1 trilhão.

Além do órgão de meio ambiente da ONU, outras 29 institui­ções de pesquisa em todo o mundo alertam que as chuvas gera­das no Centro-Oeste brasileiro e nos países do Cone Sul vêm em grande parte da evaporação de água da região amazônica.

Um desmatamento que comprometa essa evaporação, portanto, afetaria o ciclo de águas e toda a produção agrícola dessa região.

Daí o alerta do  chefe da divisão econômica do Pnuma:

- O Brasil precisa pensar a preservação da Amazônia como uma questão econômica que terá impacto direto em suas exportações e produção agrícola nos próximos 50 anos.

Um detalhe científico: levantamento do cientista Antônio Nobre, do Inpa, aponta que 20 bilhões de toneladas de água evaporam todos os dias da região amazônica.




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: