Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  dom,   25/outubro/2020     
política

Cahulla assume garantindo eficiência em planos para bem comum no estado

6/4/2010 17:54:13
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



O novo governador deve prosseguir no que foi bem feito até agora por Ivo Cassol procurando multiplicar os acertos dessa administração. 


 

Toma posse e começa a governar o estado de Rondônia a partir desse mês de abril o senhor João Cahulla. E até mesmo aqueles desafetos do governador que saiu para disputar uma cadeira no Senado afirmam ver com esperança essa nova fase da administração do estado rondoniense.

CARACTERÍSTICAS DE CAHULLA

É claro que a política (tida por uns como arte e não apenas ciência) não é uma ciência exata e nem uma arte fácil. É verdade. Afinal, na mão dos políticos está o destino de muitas pessoas, para não dizer do estado inteiro e até do país.

João Cahulla está na política há muito tempo. Será, como se diz, candidato pela primeira vez. Será certamente um candidato debutante com a força de antigos medalhões do cenário político rondoniense, podendo surpreender a todos.

Na verdade João Cahulla foi escolhido por quem era o titular de fato da administração rondoniense porque demonstrou estar apto a agir como um bom político.

O bom político precisa se concentrar não só na capacidade de disputar eleições, mas também de ter dotes adquiridos na experiência de vida, na experiência administrativa, para ser eficiente nos planos e ações capazes de servir ao bem comum.

Estas características estão presentes no novo governador.

Por onde passou até hoje, especialmente na vida pública, João Cahulla deu mostras de liderança, habilidade de negociação, capacidade de aglutinar pessoas competentes e conduzir esforços para efeitos práticos.

Na administração de Ivo Cassol, o novo governador sempre foi uma espécie de coringa, isso desde os tempos que Ivo era apenas prefeito de Rolim de Moura.

No governo do estado, nos últimos tempos, Cahulla é quem cuidava e resolvia boa parte dos problemas da rotina do Executivo, de forma discreta em respeito ao verdadeiro comandante do estado, que ficava com as melhores recompensas dos esforços nas vitórias obtidas.

João Cahulla, se comparado a todos os vices governadores do passado, foi de longe o melhor elemento humano que passou pelo Palácio Getúlio Vargas desde quando Rondônia se transformou em estado.

NOVOS DESAFIOS

Agora João Cahulla, que é filiado ao PPS, vai exercer esta capacidade de liderança e ação num plano maior e mais efetivo, onde poderá fazer muito mais. E o que se espera é que tenha êxito para bem de todos nós.

É claro que há muitas dificuldades para manter e ampliar o desenvolvimento rondoniense. O novo governador sabe que os problemas existem. Há muito que fazer ainda e não será fácil encontrar solução para tudo. É preciso prosseguir no que foi bem feito até agora e multiplicar os acertos anteriores.

Na segurança pública não possível que prossigamos com a insegurança crescente que mantém muito alto o índice de furtos e homicídios até mesmo na capital. Precisamos de mais união de nossas polícias no combate ao crime, principalmente aquele que busca sua mão de obra entre os mais jovens.

O ensino é a mais importante força para impulsionar o progresso de qualquer país moderno. É preciso atacá-lo em todos os níveis, para que nosso Estado saia na frente, dando oportunidade aos trabalhadores de ocupar os postos especializados, cujas ofertas sobram, porque não há candidatos à altura.

No aspecto do Judiciário, é preciso aperfeiçoar o sistema prisional, como já vem sendo feito, para que a pena não seja apenas uma punição do Estado, mas um meio de recuperação dos que erraram. O estado precisa evitar novas tragédias como as acontecidas no passado e chegou a levar Rondônia para o banco dos réus dos tribunais internacionais.

Ivo Cassol ganhou notoriedade em todo o País depois que denunciou autoridades locais (deputados) que cobravam propinas do governo. Certamente o novo governador vai zelar pela moralidade pública, que é o fundamento e a base do sucesso de qualquer administração.

FUTURO POLÍTICO

O novo governador terá muito trabalho pela frente e, neste novo desafio, joga seu futuro político.

Uma administração de sucesso vai colocá-lo em maior evidência no estado, abrindo-lhe o caminho para postos mais altos, que sem dúvida merece e poderá alcançar, como tornar-se governador por mais 4 anos com o respaldo do voto popular.

Há muita coisa necessária que precisa ser feita. Recursos são sempre escassos. Sabemos que faltam meios, verbas e gente capaz. Haverá momentos de solidão, angústia, incompreensões e dificuldades. Mas não faltam ao novo governador discernimento e capacidade. Saberá na certa tornar possível o necessário, para que Rondônia cresça e progrida em suas mãos, talvez até depois do final desse ano.

Publicado na edição nº 128, de 28/03/2010.




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: