Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  ter,   21/novembro/2017     
entrevista

Cassol explica porque é contra a candidatura de Expedito: “Ele não tem perfil de administrador!”

6/4/2010 18:04:09
Por Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



Nem por isso Ivo Cassol deixou de reafirmar que Expedito foi o melhor senador que Rondônia já teve. 



Clique para ampliar

Verdadeiramente o governador Ivo Cassol deixou seu cargo para disputar o Senado sem esconder sua decepção com o rompimento político entre ele e o senador cassado Expedito Júnior. Na verdade, Ivo transmitiu esta posição nas últimas entrevistas dadas na TV antes de deixar o cargo.

Ele chegou a acreditar que Expedito aceitaria disputar as eleições deste ano com o objetivo de retornar ao Senado (de onde saiu ao ser condenado pela justiça por compra de voto), como segundo voto na chapa liderada por Ivo Cassol, e com os dois apoiando o nome de João Cahulla (vice governador que assumiu os últimos 9 meses do mandato de Cassol) para o próximo governo do estado.

O governador tem declarado que “o rompimento político” não é motivo para que ele se torne inimigo de Expedito. Mas certamente na disputa eleitoral “ele passa a ser um adversário”.

Cassol garante que “se Expedito fosse candidato único” ao governo não teria, mesmo assim, o seu voto. Mas isso não aconteceria por um motivo de rixa pessoal: “Muito antes do Expedito ter ido para o PSDB eu já explicava a ele porque não apoiava sua pretensão de disputar o governo, explicando que ele não tem perfil executivo e nem traquejo para manter o ritmo do desenvolvimento do Estado, conservando as conquistas de nosso mandato e garantindo um governo cada vez mais transparente e eficiente na solução do grandes problemas que o estado ainda tem”.

Em lados opostos, com Ivo Cassol dedicando todo seu apoio à candidatura de João Cahulla, o governador que começa a trabalhar agora sua pré-candidatura ao Senado, não deixou de afirmar nestas últimas entrevistas que Expedito Júnior “foi o grande representante de Rondônia enquanto esteve no Senado”, superando os outros dois senadores rondonienses.



RAUPP: UMA DROGA

Cassol andou destacando que nem todo bom parlamentar “consegue ser um bom Executivo” mas todo “executivo acaba sendo um bom senador, um bom parlamentar”.

Ivo Cassol deixou claro numa dessas últimas entrevistas ainda como governador que Valdir Raupp é bom exemplo desse seu ponto de vista. “Ele fez uma porcaria de governo mas certamente tem tido um bom papel no Senado”. Foi no período em que o senador do PMDB foi governador de Rondônia que aconteceram os casos mais emblemáticos de perdas do Estado, como a falência do Banco do Estado de Rondônia (Beron), a venda da Ceron para a União. Também foi em seu governo que se registraram os primeiros grandes casos de corrupção, levando à prisão membros do alto escalão do Executivo.


Publicado na edição nº 128, de 28/03/2010.




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: