Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  ter,   7/julho/2020     
política

Maurinho deseja um estado meritocrático e com uma agricultura forte

8/8/2010 09:00:53
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



Contrário à construção do “Palácia Legislativo” o deputado disse ser mais importante para atender a população pobre, com obras de saúde, saneamento, moradia, educação e segurança. 



Clique para ampliar
Para ele o dinheiro aplicado na construção de um verdadeiro Palácio do Legislativo, pela mesa diretora dirigida por Neodi Carlos, não tem cabimento, “diante da carência existente em Rondônia” em instituições de atendimento à população mais humilde, especialmente na área da Saúde.

Estas posições assumidas por Maurinho durante seu primeiro mandato, acabou revelando sua independência em relação à maneira perdulária de como se gastou o dinheiro público da Assembléia pelas decisões de um presidente que preferiu trazer “um cidadão” Paraná para administrar a Casa, como se em Rondônia não existisse alguém qualificado para o cargo.


PRÓXIMO GOVERNO

Maurinho falou com exclusividade à Imprensa Popular sobre esse momento eleitoral. “Entendo que o próximo governo de Rondônia precisa manter o foco na erradicação da miséria, pois se quisermos viver bem é preciso que todos os rondonienses vivam bem. A erradicação da pobreza somente se dará, de maneira sustentada, com uma educação de qualidade, em tempo integral, associada à pré-profissionalização no ensino médio e quando o professor for valorizado”.

Ao se expressar dessa forma, o deputado disse ser plenamente favorável à instalação da Universidade Estadual e mudanças no sistema de ensino, implementando escolas com o viés técnico-profissional:

“O próximo governo precisa cuidar e incentivar as nossas crianças e jovens a buscarem a mobilidade social pelo estudo, ou seja, mostrar que pelo estudo e profissionalização podem subir na vida. Temos que ter um estado meritocrático e profissional”, destacou.


PERIFERIAS

O parlamentar disse que não se justifica gastar uma fortuna para fazer uma nova Assembléia, enquanto as periferias de nossas cidades continuam abandonadas, com gente precisando de investimentos em saúde, educação, moradia, transporte e segurança.

Ele acha que o próximo governo precisa dar ainda mais apoio à agricultura, “com um programa de aquisição de alimentos, estoques reguladores, garantia de safra, política de preços mínimos permanente e persistente, assistência técnica, acesso a maquinas e insumos, ampliando e fortalecendo as atividades de extensão tecnológica aos produtores rurais”.

Os próximos deputados precisam compreender que as desigualdades devem ser combatidas com desenvolvimento e inovação tecnológica, avançando na inclusão social e cultural. E isso “não se faz só com propaganda” mas com leis que de incentivo à industrialização, que estimule a geração de riqueza ampliando, com ela, as oportunidades de trabalho.

Na opinião do deputado, Rondônia precisa, com a exploração de suas matrizes energéticas, aproveitar para construir um estado sustentável no longo prazo, e com real distribuição de renda. O próximo governo “deve trilhar o caminho da alta tecnologia, do desenvolvimento do turismo, da execução de projetos planejados para atender a maior parte do povo, enquanto a Assembléia assumir, de fato, o seu papel fiscalizador, prestigiando as boas iniciativas e combatendo mazelas como a corrupção, o aparelhamento das instituições e as decisões que vão contra o estado meritocrático, acentuou.



Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: