Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  dom,   27/setembro/2020     
política

Cassol cobra de Confúcio explicação de desculpas para não pagar fornecedores

28/2/2011 16:43:49
Por Marco Antônio - da assessoria
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar

O senador Ivo Cassol (PP-RO) encaminhou ofício ao governador Confúcio Moura (PMDB) pedindo informações sobre o saldo bancário deixado no Poder Executivo no dia 31 de dezembro de 2010 e os valores inscritos em restos a pagar processados e não processados.

Cassol justificou a iniciativa porque assessores e o próprio chefe do Executivo têm espalhado na mídia que o Governo está com dificuldades de pagar despesas provenientes de restos a pagar de exercício anterior.

Um exemplo foi o pronunciamento do secretário de Agricultura, Anselmo de Jesus, que no sábado passado, durante solenidade de em Vilhena, acusou os ex-governadores Ivo Cassol e João Cahulla de terem deixado dívidas impagáveis para a atual administração, o que não é verdade, tanto que foi publicamente desmentido na mesma solenidade pelo deputado Walter Araújo, presidente da Assembléia Legislativa, além da imprensa local ter divulgado que o próprio governador Confúncio havia dito que recebeu o estado saneado.

Cassol lembra que foi governador até março de 2010 e foi sucedido por João Cahulla e que os dois sempre “primaram pelo cumprimento da lei”, portanto, considerou inaceitáveis tais declarações na imprensa.

Cassol alertou aos fornecedores do Estado que não aceitem parcelamento dos pagamentos dos serviços prestados e bens fornecidos porque há recursos disponíveis em caixa. Ele lembrou que neste mês de janeiro a arrecadação subiu 45% em janeiro comparado com o mesmo mês do ano anterior, conforme pode ser observado no Ofício 116/2011 encaminhado pelo Gabinete do Senador.




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: