Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  dom,   13/outubro/2019     
artigos

TABORDA: A marca registrada da ALE em momentos de crise: se esquivar

26/11/2011 13:51:15
Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar
NOVAS DISSIMULAÇÕES

A marca registrada da Assembléia Legislativa diante dos constantes escândalos envolvendo “nobres” parlamentares é a de se esquivar. Ali a “síndrome do Avestruz” impede investigações profundas sobre a gestão de deputados colocados no comando da Casa, praticamente desde a sua instalação. É esse corporativismo que resulta em duro revés para a representação popular, respingando mesmo na instituição.


PRÉVIA

Não precisava ser o gênio da lâmpada para constatar, numa visão prévia, que o desencadeamento de uma Operação Termópilas – ou qualquer outra para investigar chefões do Parlamento – levaria pessoas ligadas ao arrogante presidente à vexatória situação de passar algum tempo no xilindró da Polícia Federal. Ora, todos os aspectos do “milagroso” e rápido enriquecimento do líder cristão “irmão Valter” sinalizavam para a formação de quadrilha, a lavagem de dinheiro, os descaminhos, a perseguição e à falsa publicidade.

Mas enquanto o tal presidente da Casa exercia o poder de forma imperial, pisando nas pessoas, suprimindo direitos e tomando decisões que transcendem a gestão colegiada, os demais deputados preferiram fechar os olhos para o descalabro, e não tomou posições firmes nem quando, só para citar um exemplo, o tresloucado presidente decidiu incluir na sua cota de privilégios carros blindados, coisa que antes dele nem se falou.


CASTIGO DE FORA

Não pode existir democracia sem um legislativo atuante e verdadeiramente republicano. Por isso torna-se intolerável para a opinião pública a presença de homens frouxos que, mesmo com a delegação do voto popular, preferem se omitir em apurar as denúncias, para proteger “colegas” devassos, mentirosos, corruptos e especialistas em cooptar os mais fracos. Quem deveria dar a resposta republicana à sociedade civil deveria ser a maioria dos deputados estaduais rondonienses. Como mais uma vez eles falharam na sua obrigação, coube ao Ministério Público Estadual dar essa resposta, promover a aplicação do castigo que os traidores do povo, do estado merecem.


CUIDADO NEODI

Escolheram o ex-presidente da Assembléia, o deputado Neodi, para elaborar o relatório sobre a posição da Assembléia em relação à custódia ou a manutenção da prisão de Valter Araújo. O relatório será votado no plenário. Ontem (25), o deputado Neodi recebeu a manifestação da defesa do Valter e preferiu esperar respostas do Judiciário as várias indagações (algumas de cunho técnico) para, só assim, elaborar o tal parecer.

A população certamente espera um relato feito sem a influência do corporativismo. Esperar, no entanto, posição firme do deputado Neodi é mais ou menos a mesma como esperar uma tempestade no deserto.


SUSPEITAS

No período de Neodi Carlos as dissimulações eram constantes, especialmente com relação a uma falaciosa devolução de dinheiro ao tesouro do estado. As denúncias, inclusive de compras ilícitas de bens e serviços, em áreas tão díspares como a de informática e a de transporte, nunca foram devidamente apuradas.

Neodi concluiu um melancólico período como presidente com os costumeiros descasos com a transparência. Ora, só mesmo uma investigação externa (como essa do MP) poderá revelar para a opinião pública, um sem-número de manobras para garantir aos deputados rondonienses vida de nababos, estipêndios extraordinários, privilégios inimagináveis, orgias no gasto do dinheiro público (como o abusivo sistema de manipulação da verba publicitária), fazendo do cargo dado pelo povo instrumento de enriquecimento rápido e ilícito.


MUITO MAIS COISA

E a investigação que resultou na prisão do presidente da Assembléia, o deputado “irmão Valter” poderá chegar a muito mais coisas erradas praticadas pelo grupo sustentado com o tal “mensalinho” do homem de ouro dos contratos com o governo, como vem sendo apontado o ainda presidente (preso) pela Polícia Federal.

É claro que Neodi sabe disso pois são fatos com viés em gestões passadas. Coisas assim, como funcionários fantasmas contratados sem concurso, servindo como cabos eleitorais ou agentes dos esquemas criminosos de desvios infindáveis.

Para elaborar um relatório sem dissimulação basta o deputado Neodi ler a sentença do desembargador negando HC ao pivô desse novo escândalo e mantendo-o na cadeia. Fora disso, seu relatório será só tergiversação de um parlamentar que nunca mostrou muito interesse com a transparência.


CASTIGO DUPLO

Valter Araújo é daqueles tipos que a gente espera não ver nunca mais quando se descobre o seu verdadeiro “imo”. Mas, claro, não dá nenhum prazer a quem realmente entende como dom maior de Deus o perdão, saber que sua companheira, mulher de fina educação, acabou presa pela PF quando tentava levar um celular ao homem hoje apontado como chefe de perigosa quadrilha em Rondônia. Que ela supere com tranqüilidade esse trauma. Certamente conquistas antigas do “Bonitão” (codinome usado por quem recebia grana do chefão) estão rindo a toa, pois se sentem enroladas por ele até hoje.


COOPTAÇÃO

Na verdade já corre nos bastidores daquele poder a existência de manobras para cooptar deputados e pessoas que atuam na imprensa, no sentido de advogar uma nova eleição para todos os cargos da mesa (e não só para os dos deputados afastados em decorrência da corrupção) com o objetivo de colocar (Deus nos livre) o próprio Neodi naquela posição.

Certamente isso não deve prosperar. O deputado Hermínio está no cargo porque este é o seu luar agora. Ele não eleito vice-presidente do facinoroso Valter Araújo. Ele foi eleito vice-presidente do Poder Legislativo. E assim como Sarney assumiu in-totum a presidência do Brasil em decorrência da morte de Tancredo, o deputado Hermínio é o presidente da Assembléia diante impossibilidade de Valter voltar ao cargo.


LÁUREAS

A concessão de honraria por instituição pública nem sempre é fruto de um reconhecimento da ampla parcela da sociedade. Então a Medalha Mérito Forte Príncipe da Beira, recebida pelo senador (sem votos) Acir Gurgacz não significa muito coisa em se tratando de reconhecimento por realizações em favor do Estado. Recentemente, o Estado de Minas Gerais concedeu sua mais importante honraria (a Medalha Tiradentes) ao ex-deputado cassado e presidente de honra do PTB, Roberto Jefferson, o homem que levou junto consigo o Zé Dirceu, apontado como líder de quadrilha por seu envolvimento no mensalão.


MAIS SUJEIRA

Dessa vez a casa caiu para os larápios do DNIT. Ali aparentemente funciona um ninho de mágicos, por isso tanto dinheiro evapora-se para a alegria dos seguidores de Alfredo Nascimento. Não foi lá que reinou um bom tempo o “industrial” (alguém sabe onde fica a indústria desse sujeito?) Miguel de Souza ???


BOLA DA VEZ

A cigana me contou que a bola da vez nessas operações de combate aos corruptos, ao crime organizado, aos parasitas das instituições públicas vai agir na direção do “trono” burgo-mestre Bob, o mais novo milionário do Jardim das Mangueiras.


O AMOR DE RICARDO

Uma declaração especial de amor ao município de Cacoal. É esse o conteúdo principal da mensagem distribuída ontem pelo chefe da Casa Civil, dando parabéns à cidade pelo seu 34º aniversário. Ricardo Sá fez questão de destacar sua condição de procurador concursado da prefeitura da “Capital do Café”.


AVISO PRÉVIO

A lei que amplia o aviso prévio dos atuais 30 para até 90 dias já está valendo, permitindo aos trabalhadores demitidos sem justa causa a ter direito a três dias extras de aviso prévio por ano trabalhado, até o limite de 90 dias. Porém, quando pedir demissão o trabalhador não precisará cumprir um aviso prévio maior que 30 dias independentemente do tempo de registro em carteira.


CÂNCER
Domingo é o Dia Nacional de Combate ao Câncer. A data será comemorada em Porto Velho com evento destinado a arrecadar fundos para importante hospital de combate à doença localizado no interior de São Paulo. Sobre o elefante branco em que se transformou o “Hospital do Câncer” de Porto Velho, ninguém, como sempre fala absolutamente nada. Os milhões arrecadados do povo, de empresas e do próprio governo enterrados naquele imenso prédio que não serve para nada, garante a felicidade apenas de quem se aproveitou do negócio para aumentar sua própria riqueza.



Comentários (1)
Rabo de Palha

Se o Neodi possuísse discernimento ele renunciava a relatoria do caso Valter, ele se encontra todo enrolado na operação dominó, na terça feira dia 22.11 o TJ recebeu a denúncia constante da Ação Penal N. 0000364-37.2010.8.22.0000, que lhe pode render 12 anos de reclusão, por sua participação no esquema de desvio de recursos da Assembléia por meio de folha de pagamento paralela. Sendo que pesa sobre o mesmo a licitação imoral do prédio do Poder Legislativo sem projeto executivo, ganha pela enrolada ENGECOM, a qual o site Rondonotícias se encontra proibido de falar de suas falcatruas por determinação judicial – o dito popular diz que: quem tem rabo de palha não pode atear fogo. Cai fora Neodi.

Alan Kardec - Porto Velho / RO.
Enviado em: 27/11/2011 20:08:17  [IP: 201.2.29.***]
Responda a este comentário

Mais Notícias
Publicidade: