Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  qua,   28/outubro/2020     
artigos

Na Assembleia, um verdadeiro marco divisório com Hermínio

21/1/2012 15:07:29
Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar
MARCO DIVISIÓRIO

Participei de duas importantes reuniões políticas para a vida rondoniense nessa primeira semana de retorno do rápido périplo que fiz pela região andina americana, percorrendo várias cidades da Argentina e Bolívia. Que fique claro uma coisa: ao contrário das longas e constantes viagens internacionais do ilustre casal Raupp, influentes políticos rondonienses, as minhas curtas incursões por endereços turísticos de nosso continente são custeadas pela minha economia pessoal. Até hoje ainda não fui premiado pelas mordomias que fazem de nossos políticos uma casta caríssima, sustentada com nossos impostos.

Bem, este é assunto para outra hora. Agora quero registrar, isso sim, minhas observações sobre o comportamento do deputado José Hermínio, presidente em exercício da Assembléia (o titular continua foragido da Justiça e – posso garantir – não está homiziado em nenhum dos dois países por onde passei), decidido a se constituir num marco divisório, recolocando o Poder Legislativo estadual no lugar de onde nunca deveria ter saído, da representatividade responsável, livre de bandidos que – crendo na impunidade – buscam proteção para sua atividade criminosa na tal imunidade parlamentar.

Numa outra coluna falarei da questão indígena, motivo de preocupação para Candeias do Jamari, diante da possibilidade de ampliação da reserva indígena a partir da expulsão de produtores rurais ali estabelecidos por décadas.


SEM MAQUIAGEM

José Hermínio é o autêntico político saído das bases, completamente em sintonia com o modo popular de agir e pensar. Quem jogou esse moço na vida pública não foram os interesses capitalistas ou grupos fechados em busca de um representante no meio parlamentar para garantir benesses e “status-quo”. Foi, isso sim, os mais humildes, a ralé, o povão, o responsável por levar erHesse pernambucano à liderança sindical, à Câmara Municipal e, agora, ao legislativo rondoniense onde tem a responsabilidade, agora, de restabelecer naquela Casa valores éticos, morais, democráticos e de respeito ao povo, erodidos pela bandidagem ferida em ações como “Dominó” e “Termópilas”, graças às determinações do Judiciário.

Foi assim, sem maquiagem, sem verborréia, sem discurso ensaiado que Hermínio reuniu na quinta-feira (19) quase toda a imprensa da capital para dizer com as palavras do “sertanejo” aparentemente ingênuo que pretende ter o apoio da mídia no combate às mazelas tão prejudiciais “a todos os rondonienses”, estabelecendo um marco divisor na triste história do mais importante poder político rondoniense.


OFIDIÁRIO

A maioria dos “jornalistas” presentes ao encontro com o presidente Hermínio compôs a blindagem da qual se valeu o “irmão” Valter para montar, sem nenhuma vigilância ou oposição da chamada grande mídia a sua colossal quadrilha e tornar-se – como depois revelou a investigação da Polícia Federal – um dos grandes “capos” das máfias especializadas em fazer fortuna roubando o erário. Um verdadeiro ofidiário que, claro, deve ter interpretado o gesto do novo presidente como um ingênuo.

Hermínio pode não ser letrado, mas não tem nada de bobo. Ele estendeu a mão até aos mais vibrantes lacaios do chefe de quadrilha desaparecido (fugindo do mandado de prisão) porque sabe que combater a corrupção não é um desafio para uma pessoa só.

O novo comandante da mesa da Assembléia não deixou de ser sincero, todavia, no caso de algumas daqueles “cobras” permanecer com a idéia de organizar um golpe, anulando o preceito legal que faz dele o presidente de fato na medida em que o presidente efetivo, pego na bandidagem não pode mais ficar no trono, terá como ser isolado e contaminado pelo seu próprio veneno.

Mais uma vez Hermínio me surpreendeu mostrando um lado que poucos ainda souberam dimensionar: Ele é político. E por ser político vai conseguir freiar, nem que seja minimamente, o desejo insaciável dos donos de certos jornalões e redes multimídias sempre dispostos a assegurar para sim o melhores bocados do bolo plublicitário da Casa.


SAÍDA PARA OS PARES

Li num desses “sites” mais tendentes à torcida do que à análise que o principal Senador rondoniense pretende tomar de qualquer jeito “a presidência da Assembléia” para colocar lá alguém de seu partido e assim, obrigar a dar mais espaço à sua sigla. Quanta besteira. O país ainda vive no império das leis. Então não há de se falar em “de qualquer jeito”.

Hermínio está presidente por direito. E nessa tsunami toda, ele é o único capaz de tirar o Legislativo rondoniense desse pantanal fétido em que se meteu se, como se espera, seus pares quiserem ter ainda alguma credibilidade perante a sociedade do estado.

O presidente Hermínio pode não ter o um “lord” inglês, mas é um político reconhecidamente com compromisso social, que não deixa essa praga da corrupção tomar o vulto dos últimos tempos. E, ao contrário do pensamento de quem não o conhece (julgando-o radical) Hermínio sabe dinamizar a convivência, especialmente no sentido de dar aos pares a condição para desenvolver seu papel representativo sem precisar apelar para jogadas espúrias.

Foi assim que agiu na Câmara Municipal, especialmente nos mandatos de presidente daquela Casa.


PARAR DE IMPLICÂNCIA

Este é, na verdade, o momento de todos os envolvidos nessa nova tarefa de recuperar o legislativo estadual para com implicância contra o deputado Hermínio a quem agora se atribui a responsabilidade de colocar a locomotiva nos trilhos.

Os deputados que escaparam da contaminação da rede criminosa liderada pelo “irmão” Valter são tão importantes nesse processo como o próprio Hermínio. Mesmo quem – não por motivos nobres – permanece fiel ao jogo realizado pelo deputado fugitivo enquanto esteve no comando da mesa, devem procurar prejudicar menos esse trabalho de recuperação institucional se não quiseram responder perante a opinião pública depois.

Quanto ao time da mídia reunido na chamada “sala do rachachá”, Hermínio saberá quem é que tem credibilidade para somar o esforço dos deputados aos interesses populares, abrindo mão dos esquemas de negociações nas coxias do poder.

No geral, o deputado José Hermínio demonstrou ter capacidade para reunir ao seu lado a maioria dos parlamentares que, como ele, quer uma Assembléia limpa, capaz de ser orgulho dos rondonienses.


COM P MAIUSCULO

O povo rondoniense não pode seguir órfão de verdadeiras lideranças parlamentares comprometidas com a ética. Hermínio soube presidir com “P” maiúsculo a Câmara Municipal. Na Assembléia, com muito mais recursos, inclusive de pessoal, saberá rodear-se dos melhores quadros que serão partícipes desse marco de transformações verdadeiras.

Quem nesse momento negar apoio ao presidente José Hermínio é porque advoga o retorno das grandes maldades contra o povo mais humilde (os que mais sofrem com os milhões desviados pelos políticos bandidos) e contra os melhores quadros efetivos da Assembléia que, nos últimos anos, passou a ser passarela de tantas nulidades, cooptadas para participar na efetivação do esbulho.

Deputados e mídia com um mínimo de reflexão agirão sem açodamento contra a determinação de Hermínio de por um ponto final na ação deletéria daqueles que, com a política, desviaram milhões dos cofres públicos. Os eleitores – e não se enganem os parlamentares, saberão diferenciar como será o Legislativo após a implementação desse marco que poderá ser estabelecido a partir de agora.



Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: