Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  dom,   25/outubro/2020     
política

Candidatos a vereador que não deixaram cargo até ontem não poderão ser candidatos

08/04/2012 11:48
 
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar
Os magistrados, defensores públicos, secretários estaduais e municipais que vão concorrer ao cargo de vereador este ano tinham até o dia de ontem, sábado (7), para deixar suas funções – seis meses antes das eleições.

O prazo está definido na Lei Complementar nº 64/1990. Para disputar a Prefeitura, quem exerce essas funções deve sair de seus cargos quatro meses antes da votação.

Quem descumprir os prazos estabelecidos em lei fica automaticamente fora da disputa nas eleições de 2012. A Constituição Federal, por sua vez, estabelece que não podem ser candidatos cônjuges de prefeitos além de parentes consanguíneos ou afins até segundo grau ou adotados, que pretendem concorrer na mesma cidade do chefe do Executivo. A regra vale aos substitutos dos prefeitos que assumiram o cargo até seis meses antes das eleições.

De acordo com o calendário eleitoral elaborado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), os prazos para desimcompatibilização (saída de cargos públicos) que devem ser obedecidos pelos candidatos variam, em regra, de três a seis meses. Os candidatos à reeleição, no entanto, não se incluem nesses prazos, uma vez que, por lei, podem concorrer a um novo mandato no comando das Prefeituras. A mesma regra vale para parlamentares candidatos a prefeitos.

Prefeitos

Os prefeitos que estão exercendo o primeiro mandato não precisam deixar o cargo para concorrer à reeleição, segundo o TSE. Os parlamentares que querem concorrer à Prefeitura também não precisam sair do Congresso Nacional e nem das Assembleias Legislativas e das Câmaras Municipais. Os candidatos que têm atividades divulgadas na mídia, como atores e jogadores de futebol, também não precisam interromper suas atividades.

Outros chefes do Executivo, como governador, por exemplo, que quiserem concorrer à Prefeitura, também tinham até sábado (7) para deixar a atual função. O vice-governador e o vice-prefeito que não substituiu o titular nos seis meses anteriores ao pleito nem o sucedeu não precisa sair do cargo para concorrer a prefeito.

Em 7 de junho deste ano, quatro meses antes da eleição, devem sair de seus postos aqueles que querem uma vaga de prefeito e são ministros de Estado, membros do Ministério Público, defensores públicos, magistrados, militares em geral, secretários estaduais e municipais, os que ocupam a presidência, a diretoria ou a superintendência de autarquia ou empresa pública, os que são chefes de órgãos de assessoramento direto, civil e militar da Presidência da República e os dirigentes sindicais, entre outros.

A três meses do pleito municipal (7 de julho), quem tem de se afastar dos respectivos cargos para concorrer à Prefeitura são os servidores públicos em geral, estatutários ou não, dos órgãos da administração direta ou indireta da União, Estados, Distrito Federal e municípios.



Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: