Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  qua,   28/outubro/2020     
artigos

Garçon, de volta pro Candeias, em busca de onde pendurar as chuteiras

30/10/2012 08:51:29
Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar
O DESAFIO

Ao cumprimentarmos o prefeito eleito Mauro Nazif, aproveitamos para reafirmar o que escrevemos na coluna de 25 abril, sobre os desafios à espera do sucessor de Roberto Sobrinho.
Na coluna daquele dia falamos também do desafio da própria população: “dar à cidade políticos e dirigentes com mais qualidade, especialmente moral”. Mauro, o novo prefeito, vem de muitos anos vangloriando-se de sua superioridade moral. A decisão do povo nas urnas é uma demonstração de crença nessa característica tão marcante do novo prefeito do PSB.

E ASSIM

Porto Velho certamente será, após a posse de Mauro, reposicionada num lugar de destaque na economia brasileira. Depois de uma votação tão extraordinária dada ao novo prefeito, os moradores da capital rondoniense não tem por que duvidar de um futuro glorioso para o município. Certamente o dr. Mauro vai resgatar todas as suas promessas e todos os compromissos firmados durante o pleito.
Certamente não vai ceder às cobranças dos áulicos e dos financiadores da batalha. E ai, dizem os potins, não irá aceitar passivamente que certas “cobras” decidam soprar no seu cangote.

DEMANDAS

Mauro – diziam ontem eleitores do homem do PSB – está comprometido em atender demandas do povo, elegendo a ética e a transparência como método de gestão, consolidando nossa prefeitura como um ambiente permanente de renovação e inovação.
E como Mauro deve acabar com essa caricatura de gestão; com esses malabaristas interessados só em saciar sua ganância na manipulação dos orçamentos e nos conchavos dos negócios mal cheirosos, a administração municipal vai inspirar confiança em seus melhores parceiros, em quem pode investir nas suas diversas oportunidades de inovação e renovação, tanto no segmento da indústria, como dos serviços.
Afinal, não foi isso que o próprio dr. Mauro garantiu nos seus programas, nos debates: a geração de empregos e atração de novas e importantes indústrias?

ERA CASCATA

O dr. Mauro está certo: É preciso apostar na geração de empregos de qualidade. E isso não aconteceria se tivéssemos de novo um prefeito mquetrefe; que em oito anos no comando do município não foi capaz, sequer, de construir uma central de abastecimento (Ceasa), uma via expressa (não vou nem falar de rodoanel), um centro de convenções... Convenhamos: como consolidar espaço para o empreendedorismo, para atração de investimentos se a próxima gestão for uma porcaria como a atual. É claro que não será mais assim: agora temos o super Mauro, o homem que derrotou as fanforrinices de Lindomar...

PRIVILEGIADA

Nossa amada Porto Velho é naturalmente privilegiada. Só deu azar até aqui com seus prefeitos. Mas agora, com o super Mauro, vai ser tudo diferente. Temos algo que nenhuma outra cidade tem: a posição geográfica que nos coloca estrategicamente como centro da América Andina e América Central. Não precisamos ser apenas caminho de passagem.
Temos tudo para se converter no grande corredor logístico, no seu acesso ao Pacífico e até ao Caribe. Há, assim, um enorme espaço (e ainda mais, agora, com energia abundante e confiável) para assumirmos o protagonismo econômico, fundamental na conquista da importância política de Porto Velho.

APELO

A mudança da qualidade política – responsável pela qualidade de vida das nossas cidades – será obra de uma opinião pública esclarecida e militante. Na prefeitura, diante das muitas denúncias veiculadas na mídia até agora, a idéia que fica é de um ambiente político tido como um ninho de trambiqueiros, onde as pessoas honradas, honestas, dignas, qualificadas e vocacionadas para servir o povo e a democracia, acabam sendo sufocadas pelas ervas daninhas difíceis de extirpar.
Certamente não tão difíceis para o super Mauro. Afinal, ele teve uma vitória com números altíssimos, mesmo para quem viajou por uma seara onde a proliferação de candidatos ridículos e medíocres foi grande.

PREVISÃO ANTIGA

A primeira vez que a coluna registrou a inviabilidade de Lindomar Garçom como candidato capaz de vencer uma disputa pela prefeitura de Porto Velho ocorreu no dia 3 de maio. Naquele dia, tasquei: “Garçom não é o candidato dos sonhos de nenhuma agremiação. Já tentou a mesma jornada e acabou colecionando derrotas”. E acrescentei: “Se confirmar dessa vez seu nome como candidato do PV, estará por conta própria, mas nem por isso é “um poste”, como imaginam alguns”.
E para fechar ainda disse mais: “Garçom começou seu vôo político no PSDB. Possivelmente pegou a mania tucana de não se posicionar. Ele não é nem oposição e nem situação. Disputou as últimas eleições como oposição a Confúcio. E assim que perdeu o mandato de deputado federal, foi pedir arreglo ao governador, conseguindo um cargo bem remunerado para enfrentar com mais comodidade o período sem mandato”.

ABATIDO

“Lindomar Garçom nunca se posicionou criticamente sobre essa malfadada gestão (do PT). Garçom sempre preferiu ficar do lado que a vaca deita. Na verdade o que ele sonha mesmo é voar até o governo do estado. Se conseguisse uma vitória em outubro, automaticamente estaria no rol dos candidatos a governo em 2014.
Entre a chamada “intelectualidade” e a classe mais politizada Lindomar Garçom não é bem visto, exatamente por não demonstrar comprometimento ideológico e agir como simples oportunista.
Uma derrota em outubro enterra suas pretensões para vôos mais altos. Nesse caso teria de retornar a Candeias procurando um caminho onde pendurar as chuteiras.
Todos esses tópicos foram publicados na análise de coluna publicada em três de maio desse ano.



Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: