Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  dom,   13/outubro/2019     
artigos

Não chegou a hora de Garçon. Ele pode já estar começando a trabalhar para o Senado

01/11/2012 01:08
Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar
ELE VIVE

Alguns leitores manifestaram-se indignados com a coluna pela afirmação de que teria chegado a hora do ex-deputado Lindomar Garçom voltar para o Candeias, para pendurar as chuteiras. Têm razão esses leitores. Não há justificativas em menosprezar a força eleitoral, a influência de Lindomar em certas camadas do eleitorado. Lindomar não está morto. Aliás, quando o assunto é política, não se pode falar em óbito definitivo. E o próprio Dalton di Franco é uma prova disso. Voltou e com certeza vai fazer uma grande articulação para garantir uma permanência na vida pública. Não se contentará simplesmente com a passagem pelo cargo de vice-prefeito.
E no caso de Lindomar, com seus mais de 80 mil votos em Porto Velho, provavelmente terá o passaporte carimbado para a Câmara dos Deputados se – e ele é bem capaz disso – se não começar a trabalhar já um projeto para o Senado, onde estarão em disputa duas cadeiras.

TERÁ PROTEÇÃO

Na análise anterior fomos superlativos em imaginar um futuro incerto para o ex-prefeito de Candeias. Verdade seja dita: Lindomar Garçom é um tipo de político que não tem preguiça. Ele sabe que se baixar a guarda, acaba indo para o beleléu de uma vez por todas. E assim, certamente já começou a trabalhar dedicadamente no projeto de retornar a Brasília, pelas urnas de 2014.
Com a votação conseguida na eleição do mês de outubro, ficou com o título de “A grande liderança do PV” no estado. Não poderá ser descartado por nenhum aspirante ao governo do Estado que, claro, tentará tê-lo como aliado. E assim, mais uma vez, o sortudo Lindomar Garçom não ficará na chuva sem proteção.

ASSUSTANDO LOBISOMEM

A maioria dos eleitores rondonienses ainda se lembra: O PMDB elegeu Confúcio Moura com uma campanha pela moralidade e pela ética. Hoje a gestão de Confúcio , na opinião de um parlamentar estadual, é uma coisa de arrepiar até lobisomem em noite de lua cheia.
O vazamento de que o governo tem um projeto para garantir ao clã Donadon a introdução de um tentáculo na família no na composição do poder municipal de Porto Velho é uma engenharia perigosa, e não contribuirá em nada para anabolizar o PMDB na capital.

ESCONJURADO

Esse tipo de manobra reduz ainda mais o apoio da sociedade local ao chefe do Executivo estadual. A mulher do deputado condenado Marco Donadon foi esconjurada mais uma vez pelo eleitorado portovelhense, com essa nova derrota. A infiltração de alguém desse clã não engrandece a política de nossa cidade e nem a empolgar o que ainda existe de militância do PMDB na capital.
Com esse jeito de fazer política, o governador vai ficando cada vez mais a ver navios. Se Confúcio continuar a dar ouvidos apenas aos bajuladores pavoneados de seu fraquíssimo governo acabará sendo entregue ao seu partido como mercadoria refugada pelo eleitorado. Bom, agora ele tem na Casa Civil um homem capaz de fazer observações serenas e realistas que certamente não agradará ao cordão dos áulicos.

COISAS DE PETRALHAS

A vitória do PT em São Paulo serviu, mais uma vez, ao cinismo. O PT aproveita para defender cinicamente a Turma do Mensalão condenada por corrupção e formação de quadrilha pelo Supremo Tribunal Federal. Os petistas sustentam que vitória de Haddad foi a resposta do povo ao Mensalão, segundo eles, inocentou o PT.
Numa afronta à inteligência da opinião pública chegam a afirmar que "o PT nunca esteve no banco dos réus". Leiam vocês mesmos:

"As urnas falaram alto abafando as vozes que tentaram fazer do julgamento do Supremo Tribunal Federal um instrumento de desgaste e até, como muitos alardearam, de destruição do PT. Os setores da imprensa que partidarizaram a leitura dos fatos também saíram derrotados com o resultado das eleições. A sociedade falou em alto e bom tom que o 'PT não está e nunca esteve no banco dos réus' e que o Partido dos Trabalhadores é o maior instrumento de construção de uma sociedade justa e igualitária".

NA MIRA

O governador Confúcio Moura continua na mira das denúncias do ex-governador e atual senador Ivo Cassol. Reagindo às tentativas do atual governo de responsabilizá-lo pelas dificuldades do momento, Cassol montou uma metralhadora giratória, disparada sempre que ocupa a tribuna do Senado. No seu mais recente pronunciamento o senador disse ter apresentado ao Ministério Público estadual e ao Ministério Público Federal documentos comprovando o de desvio de R$ 5,6 milhões dos cofres públicos na compra de material ortopédico pela Secretaria de Saúde de Rondônia.
Cassol também destacou a incapacidade do atual governo em administrar a dividida do Estado, que chega ao impressionante valor de 1 bilhão e 200 milhões de reais.
Até agora o governador não rebateu as denúncias de seu antecessor.

DECISÃO ABUSIVA

Considerado um dos mais respeitáveis causídicos de Rondônia, Orestes Muniz, importante membro da OAB, emitiu ontem uma nota de explicação sobre a ação da Polícia Federal (Operação Pretórium) em seu escritório, cumprindo mandado de busca e apreensão. A ação da PF está diretamente ligada ao escândalo dos precatórios, que investiga fraudes no pagamento de servidores do estado.
Indignado com os fatos, Orestes Muniz destacou “que a decisão foi arbitrária, abusiva, e completamente desnecessária”. De acordo com a nota distribuída, “os atos praticados pelo advogado Orestes Muniz estão todos registrados no processo. Todos revestidos da mais absoluta legalidade”.

NO INTERIOR

O presidente da OAB-RO, Hélio Vieira, também foi procurado pela ação da PF. Ele não se manifestou sobre o assunto porque esta cumprindo uma agenda de viagem no interior rondoniense. Em outras oportunidades, falando sobre o caso dos precatórios, Hélio frisou que em nenhum momento praticou qualquer ilegalidade na sua participação desse processo cujo patrono foi o Sintero.
Na operação de ontem, a PF prendeu o casal Elisiane de Lisieux Ferreira e José Ernandes Veloso, advogados, que supostamente inseriram beneficiários fictícios no título judicial.



Comentários (1)
É BOM

JÁ DISSE E VOU REPETIR, LINDOMAR GARÇON, JÁ PROVOU QUE É BOM.

cloves antonio - bh/ MG.
Enviado em: 03/11/2012 21:58:01  [IP: 189.83.112.***]
Responda a este comentário

Mais Notícias
Publicidade: