Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  qua,   3/junho/2020     
artigos

Na passarela dos nomes para o Governo, já se fala em Padre Tom

22/03/2013 17:11:59
Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar

FORA DE TOM

E cada vez vão surgindo mais nomes no caldeirão das especulações sobre aspirantes ao governo em 2014. Até o momento se dizem pré-candidatos ao governo Ivo Cassol, o próprio Confúcio Moura, Acir Gurgacz, só para citar os pesos-pesados desse ringue. Tudo bem, evidentemente muita água vai rolar por baixo da ponte até que as convenções partidárias definam as coligações e os nomes que vão disputar as eleições de 2014.
Mas enquanto a hora certa pela legislação eleitoral não chega, os partidos, grupos políticos e pretensos pré-candidatos fazem suas articulação. Aliás, como não existe impedimento a pré-candidaturas, qualquer um pode se dizer pré-candidato — neste momento, nem precisa estar filiado a algum partido.

E assim, por mais inverossímil que seja, aparece nas especulações o nome do Padre Tom, atual deputado federal de primeiro mandato do PT. Com a morte de Eduardo Valverde, a implosão da ex-senadora Fátima Cleide e a derrocada do ex-prefeito Roberto Ali-Babá afogando-se no pântano da corrupção só sobrou no panteão do partido em Rondônia esse padreco do interior que, açulado pelos áulicos de sempre, já estaria – mesmo de forma atabalhoada – ampliando articulações no interior.

RELEVÂNCIA

Quem está se mexendo com maior desenvoltura neste momento é o deputado do PSD, Hermínio Coelho, atual presidente da Assembléia. Ontem, ao participar de mais uma sessão itinerante da Assembléia, na cidade de Ji-Paraná, Hermínio repetiu o sucesso político de sua ação parlamentar, vitaminando ainda mais as especulações de sua eventual candidatura na disputa sucessória. O cacife político desse parlamentar aumenta a olhos vistos e nem por isso ele força a barra, “porque tudo na minha vida pública acontece de forma natural”, acentua.

POLARIZAÇÃO

Na sua maneira franca de expor seu pensamento político, José Hermínio é quem verdadeiramente alimenta a polarização com o governo do peemedebista Confúcio Moura. Para a coluna o deputado as explicações do deputado não tem nada a ver com sucessão. “Continuamos combatendo os retrocessos, por meio das ações legislativas de cobrança, fiscalização e até mesmo de embate”, sublinha.
E em seguida acrescenta: “Eu pessoalmente e o segmento de oposição parlamentar não defende o quanto pior melhor. Desejamos que o Governo seja bem sucedido e eficiente. O Parlamento, para ser forte, deve ser auto-suficiente, não pode ficar a reboque das vontades do Executivo, não pode ser uma Casa do amém”.

DENÚNCIAS

E firmando sua posição de independência, de agir com responsabilidade e respeito em relação aos seus eleitores, o deputado Hermínio é reconhecidamente o responsável pelas denúncias dos desvios mais graves do governo, quase todas confirmadas depois em investigações do Ministério Público e até da Polícia Federal.
A publicidade do governo não esconde as arapucas e maracutáias em órgãos como a Secretaria da Educação e até da PGE, destaca Hermínio. Para ele, o estado não pode continuar convivendo, por exemplo, com os índices alarmantes da criminalidade, inclusive de homicídios. E enquanto o governo fala de recuperação das estradas do estado, o que “a gente escuta dos produtores rurais são alertas de prejuízo milionário na produtividade agropecuária pela condição ruim de nossas rodovias”.
Hermínio diz que o governo, precisa trabalhar mais e agir com responsabilidade na aplicação dos recursos, “de tal maneira que não se ouça mais essas bizarrices de que falta até combustível para movimentar a frota da polícia no combate ao crime”.

NO LIXO

É por isso que não me ufano mais desse nosso macunaímico país. As justificativas do MEC para as notas altíssimas dadas nas redações de quem prestou o recente ENEM são absurdas. É por causa desse pensamento pedagógico absurdo – de que os nossos alunos estão em fase de letramento e por isso podem escrever de qualquer jeito – que temos alunos chegando ao ensino médio sem saber redigir um texto com mais de cinco linhas. O MEC está jogando a nossa língua-mãe no lixo.

ABSURDO

Nosso estado não conquistou, ainda, o respeito das demais unidades da Federação. E, pelo visto não será fácil mudar essa imagem ruim. É um absurdo a presença de um deputado estadual com um chapéu de texano no plenário da Assembléia. Até quando os demais parlamentares vão aturar essas manifestações que depõem contra a instituição da qual fazem parte. É dolorido, mas, como se diz, poderia ser pior. Imaginem se o tal sujeito fosse “striper” de boate gay?

NA CÂMARA

Tiririca – que ficou desanimado com a política e vai cair fora – é palhaço profissional. Nem por isso vai para o plenário da Câmara dos Deputados com os paramentos do picadeiro. Esse tipo de deputado fantasiado de cowboy acaba sendo uma vergonha para Rondônia.




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: