Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  sáb,   4/abril/2020     
artigos

Só agora Cláudio Carvalho descobre o óbvio: a saúde do Estado é um caos

08/06/2013 15:57:15
Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar
DESCOBRINDO A AMÉRICA

Com todo respeito que merece o deputado Cláudio Carvalho, até parece que ele descobriu a América, ao denunciar a superlotação no Hospital João Paulo II. Ora, disso até a dona Zuzú, do Jardim Santana – assim como a grande maioria do povo rondoniense – está careca de saber.

Cláudio foi, como disse, fazer uma fiscalização surpresa no hospital. Engraçado, anos a fio como vereador, uns meses como deputado estadual e somente agora o parlamentar decidiu fazer a tal “incerta” para verificar aquilo que todo mundo sabe, há muito tempo: o João Paulo II é o exemplo claro do caos da saúde pública rondoniense.

Muito antes do deputado finalmente descobrir, doentes sempre foram tratados de forma desumana, deixados nos corredores pela falta de vagas nas enfermarias.

E o deputado – barrado por seguranças truculentos, despreparados – sentiu na pele o esforço do aparelho do estado para esconder a situação descabida e vergonhosa da saúde pública rondoniense, que acabou não permitindo, mais uma vez, o acesso da imprensa. Certamente o deputado deve saber que os “guardas” que tratam sem qualquer sensibilidade o povo que precisa do atendimento do João Paulo II, faz parte daquele time fornecido por uma empresa de segurança do clã do político cassado em seu último mandato e que, para prestar “esse serviço” fatura algo como 60 milhões por ano. Dinheiro que sai do bolso do sofrido cidadão-contribuinte-eleitor.


FORA DE TEMPO

Mário Português está em plena campanha. Ainda não pegou o espírito da coisa, por isso corre o risco de ver seu plano ir prô vinagre se a Justiça eleitoral entender suas ações como antecipação de campanha eleitoral e até de propaganda. O idoso dono da Distribuidora Coimbra tomou gosto pela coisa ao debutar na disputa para a prefeitura e conseguir uma votação expressiva (37.650 sufrágios).

Português não perde oportunidade de tentar ganhar a simpatia do eleitorado. Primeiro foi com a propaganda da Páscoa. Os pontos de maior visibilidade estiveram ocupados com a mensagem do miliardário senhor, na sua – com certeza – primeira mensagem de Páscoa ao povo.

Agora mais uma demonstração de antecipação de campanha: uma entrevista, ontem (7) ao colega Arimar Souza Sá, onde espinafrou Nazif, o prefeito com quem teve áspera discussão na campanha passada. Como todo cidadão, Mário Português pode ser entrevistado em qualquer programa de rádio e pode emitir todo tipo de opinião. O que não pode é o milionário Português dar entrevista como tática para vender o peixe de quem acredita que será candidato a deputado estadual no próximo ano. A Justiça Eleitoral não é boba, fácil de ser enganada. Se quiser, com o negócio dos outdoors da Páscoa e as afirmações do Português sobre a pretensa candidatura, poderá matar seu voo no ninho.


ULULANTE

Se não fosse a falta de profissionalismo e o excesso de puxasaquismo, certamente os jornalistas não receberiam um factoide com o objetivo de destacar essa parte do discurso do prefeito Mauro Nazif ao participar da solenidade de 30 anos de instalação do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia.

E disse o prefeito: “Estou na vida pública há muitos anos e vi esse Tribunal crescer. Vejo de maneira positiva os avanços alcançados, avanços que deram credibilidade ao órgão que hoje orienta também ao invés de só fiscalizar e cobrar”. Ora, dr. Mauro, isso é apenas o óbvio e ululante.

E para ficar na bruxuleante conversa arrematou com a unha: “O trabalho do Tribunal tem que continuar para que o Estado e Município cresçam de maneira ordeira e que os recursos sejam usados com responsabilidade”. Se o prefeito não faz essa declaração, o povo não iria acreditar nessa premissa. E bate o bumbo.


REVOLTANTE

O governo do PMDB rondoniense rasga a tradição democrática do partido, ao permitir que a truculência seja utilizada contra servidores grevistas, em manifestação pacífica realizada essa semana no interior. Essa prática repressora depõe contra a história do velho PMDB e mostra o risco do governo Confúcio Moura se definir cada vez mais como um ditadorzinho agindo contra o povo. Ora, assim ficará cada vez mais difícil para o governador pedir votos em favor da reeleição.

Até o momento não se ouviu nenhuma declaração oficial de repúdio à repressão contra servidores em greve. O deputado José Hermínio, única voz que se fez ouvir condenando a truculência, disse que “a situação demonstrou a falta de preparo técnico-operacional e da falta de controle sobre esse pessoal do aparato de segurança pública que age emocionalmente promovendo um ataque desnecessário à população”.


DITADURA

Para a coluna o deputado lembrou que “somente nas ditaduras é que o governo impede manifestações contra as injustiças praticadas pelo próprio governo”. Para o deputado, a população tem de ficar ao lado dos professores e dos servidores de um modo geral, “condenando as práticas de regime de exceção capaz, piorando ainda mais o cenário político rondoniense, em uma ditadura disfarçada, com a ajuda da mídia financiada pelo próprio governo”.

Nenhum dos chamados “grandes jornais” deu manchete sobre esse exercício de ditadura, contra um protesto legítimo. Como disse o deputado, se houve baderna, ela foi feita pela polícia truculenta a serviço do governador.


AMERICANAS

A rede varejista Lojas Americanas foi condenada em R$ 3 milhões por submeter seus empregados à jornada móvel variável. A decisão é da 9ª Vara do Trabalho de Natal em ação civil pública do Ministério Público do Trabalho no Rio Grande do Norte (MPT-RN). A empresa terá que adotar em todas suas lojas no país a jornada fixa de trabalho e a elaborar novo padrão de contrato, com descrição das funções de cada cargo. Também foi obrigada a regularizar o registro de ponto e conceder repouso semanal remunerado sob pena de multa de R$ 5 mil por empregado encontrado em situação irregular.

Na ação, há registros de empregados que trabalharam em oito horários distintos no período de 30 dias e de trabalhador que passou 24 dias sem repouso semanal remunerado. Foi apurado que há aprendiz sendo submetido à jornada variável e tendo que realizar compensação de horários, prática proibida por lei, pois prejudica a frequência às aulas.


ANÚNCIO

A prefeitura de Nazif anuncia: “Três bairros da zona lesta recebem serviço de limpeza”. Que vergonha! Só três? E ai vem aquele nhennhennhen interminável. Dá para esperar alguma coisa realmente significativa de uma prefeitura que considera limpar bairros a manchete do dia? Com certeza, leitor, você já assistiu esse filme,


ESFINGE
Afinal, responda quem puder, o Mário Calixto fugiu ou foi para o tal presídio de segurança máxima de Campo Grande? Quando outros escroques e corruptos de seu naipe se juntarão a ele? O pessoal do Carlão de Oliveira está espalhando por ai que o dito cujo tem muita influência e por isso jamais verá o sol nascer quadrado. Será???



Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: