Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  dom,   13/outubro/2019     
artigos

No dia da República, ainda estamos longe de ter um estado minimamente republicano

15/11/2013 14:15:30
Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar

POBREZA

A constante afirmação do governo brasileiro sobre o fim da pobreza não bate com a realidade vista aqui em Rondônia. É só perceber o número cada vez maior de pessoas jogada nas ruas, entregue ao consumo de drogas ou à simples vadiagem, enquanto vão tentando defender algum de qualquer maneira, em atividades como “olhar carros” em troca de algum dinheiro. E há, especialmente em locais como os mercados, número maior de pedintes, revelando o estigma do atraso pela completa irresponsabilidade de governantes que se conformam em ser simples personagens de periferia.

É o reflexo mais visível de um estado governado de forma medíocre, incapaz de gerar novas atividades para ampliar a oferta de empregos na escala de sua necessidade.

REPUBLICANO

A situação ainda não chegou ao descalabro total graças à iniciativa privada, responsável por investimentos em setores como a construção civil. Mas seguindo a tendência, esses investimentos estão cada vez mais reduzidos e se não houver uma mudança de rumo no comando do estado veremos (a contragosto) o crescimento da inadimplência nas ruas de nossa capital.
No dia de um feriado da importância desse 15 de novembro é bom refletir sobre a necessidade de que Rondônia tenha, na próxima gestão, um governo verdadeiramente republicano, capaz de gerar riquezas para toda a população do estado e não apenas para aqueles “premiados pela cooperação” com matizes antirepublicanas.
Esmola mantém a pobreza e, sem ge­rar riqueza, todos se tornam pobres. É preciso dar ao estado um governante sem medo de se posicionar na vanguarda.


ONDAS POSITIVAS

Por ter um governo agindo como se não tivesse entendido (até hoje) o espírito da coisa republicana, Rondônia não soube aproveitar as ondas positivas da economia (com o maior volume de investimentos de toda a sua história) e vive essa realidade que deprime seu povo, especialmente a periferia, diante da incerteza de condições de vida para a sua juventude que – para não deixar a terrinha – precisa de empregos e oportunidades de qualidade.
O estado precisa de um governo capaz, que não fique botando nos outros a culpa de sua própria mediocridade.
Exatamente por não ter adotado os dogmas do governo republicano, a gente vai vendo nossa terra perdendo outra vez a oportunidade de consolidar a economia sustentada sempre prometida.

MENTES BRILHANTES

É apenas uma questão de constatar. Certamente um governo capaz de acabar com programas como o da distribuição de sementes de feijão aos produtores ou mesmo achar estar na glória porque poderá anunciar uma (unicazinha) fábrica meio artesanal (em mais de 3 anos de mandato) de tratores está levando as perspectivas de uma economia crescente a se tornar novamente nanica.
Ora, um governo que tem entre os componentes de sua cúpula um Júlio Olivar da vida respondendo pelo Turismo, depois de flanar por um bom tempo na Educação não tem nenhum interesse em se socorrer do celeiro de mentes brilhantes existentes em Rondônia.

NIVELADO POR BAIXO

Num estado com centros de formação (Universidade Federal, Ifro e Faculdades particulares) de matemáticos, engenheiros, médicos, biólogos, a manutenção de um “staff” como esse que cerca o filósofo de Ariquemes é uma tragédia.
Apesar de todo seu currículo de médico e ex-deputado federal (sem falar de seus dois mandatos na prefeitura), o governo que ai está (talvez para garantir a “cooperação”) se nivela por baixo, com as mesmas gestões anteriores marcadas pela falta de ousadia e de espírito verdadeiramente republicano. É mais um que passado o tempo não será referência de nada importante.

ACONTECEU

O que muitos brasileiros acreditavam que não aconteceria acabou se materializando: a condenação e prisão da Turma do Mensalão. Agora falta o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa oficiar o Tribunal de Justiça do Distrito Federal para que sejam cumpridas as prisões de José Dirceu e companhia. Os advogados de defesa tentam agora livrar os condenados do constrangimento de serem algemados. Será um momento que entrará para a história do Brasil e de vergonha para o PT.

PATROCÍNIO

O BNDES já está recebendo propostas para patrocinar eventos culturais em todo o Brasil. O Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social receberá os projetos até o próximo dia 18 de dezembro. Deverão ser eventos culturais para serem realizados entre 1º de março e 30 de agosto de 2014. As ações de patrocínio do BNDES são focadas nas áreas de Cinema, Música, Literatura e Dança. O BNDES irá apoiar festivais, mostras, espetáculos, feiras e outras iniciativas que contribuam para a difusão e o fomento da cultura brasileira. Inscrições poderão ser feitas pela internet, no endereço www.bndes.gov.br/patrocinio.

HOJE

Está marcado para hoje (15) e amanhã (16) a realização do Encontro Estadual de Radialistas, com abertura às 9 horas, no prédio da Assembleia Legislativa rondoniense. Interessados em informações mais detalhadas poderão ligar para os seguintes telefones: 8413-7804; 9918-6442 e 9367-1112.




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: