Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  seg,   6/abril/2020     
artigos

Mauro faz boca de siri sobre recomendação do MPF para expurgar acusados de corrupção e deixa população ansiosa por explicações

31/01/2014 03:49
Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar

SEM BLOQUEIO

O judiciário rejeitou o pedido do MP e não vai, como se comentou tanto, bloquear os bens do deputado José Hermínio, presidente da Assembleia Legislativa. A acusação feita contra Hermínio, ainda do tempo em que era vereador e presidente da Câmara Municipal não combina com o perfil desse político transparente e democrático, de origem muito humilde.
Certamente um cidadão que sente orgulho de seu passado e de carregar o rótulo de aríete da corrupção, como é o caso de Hermínio, jamais participaria de uma coisa tão provinciana para desviar dinheiro público (merreca) da publicidade da Câmara Municipal orquestrada pelo então doublé de vereador e apresentador de televisão, Marcelo Regis. Foi, isso sim, um erro deixar esse negócio nas mãos do sujeito que entrou na vida pública com a ansiedade do enriquecimento rápido, usando métodos que o levou à cadeia e certamente ainda o mantém no alvo dos órgãos de investigação.

DESLIZE

Não consigo ficar à vontade com essa coisa provinciana, que é a propaganda mantida pela Assembleia (inservível, em todos os sentidos) e executada pela tal agência Pna. Não promove deputados e não contribui para melhorar a imagem do legislativo. Essa agência sofreu várias críticas nas gestões passadas, inclusive a de direcionar o dinheiro gasto pela ALE para veículos “amigos” do dono da agência.
Isso é um deslize do deputado. Como foi colocar, no caso da vereança, fé no vereador negocista. Quem teve na maior parte do tempo um Mário Calixto como guru não será, nunca, bem intencionado.
Escrevo essas linhas com dor no coração. Hermínio é um camarada decente, incapaz de convalidar qualquer manobra ilegal ou antirrepublicana. Por ser humilde (e isso é marca dos fortes) saberá refletir e recuar dessas ligações perigosas.

HÁBITO INFELIZ

Não há (pelo visto) nenhuma possibilidade de Mauro Nazif deixar o comportamento padrão da maioria dos políticos desse estado de confraternizar com agentes públicos envolvidos em ruidosos escândalos do passado recente.

Se não fosse assim, o lerdíssimo prefeito da capital rondoniense não teria se fechado em copas sobre a manifestação do Ministério Público Federal que pediu o imediato afastamento de servidores de Bob Ali-Babá, seu antecessor.
Nazif está se revelando um prefeito camuflador. É por isso que rejeitou, sempre, cumprir com a obrigação de abrir sindicâncias (logo que assumiu o cargo) para apurar as muitas denúncias de falcatruas que fizeram da prefeitura a “Caverna do Ali Babá”.

AS MOTIVAÇÕES

A população espera um esclarecimento de Mauro. Ele vai manter ainda na folha do município (como Israel Xavier) esse pessoal que causou sérios prejuízos ao município. Qual a motivação de Mauro para continuar se confraternizando com esse clã petralha, a ponto de ser cobrado pelo Ministério Público Federal?
Certamente o povo da capital rondoniense tem a sensação de ser enganado por esse político matreiro e camuflador. E reza pedindo que as autoridades de controle externo, e de investigação das maracutáias evitem novas grandes falcatruas em nosso município.
Ao manter na folha de pagamento do município os nomes listados pelo MPF como aqueles que precisam ser demitidos imediatamente, o prefeito Mauro da ideia de ter rompido com o papel desempenhado no passado, de defensor da ética.

MAIS MULTAS

Não há como negar: a capital rondoniense convive com uma proliferação absurda de terrenos baldios. E essa ocorrência não é comum apenas aos bairros da periferia. Também no centro e áreas nobres é possível verificar inúmeros terrenos baldios, que só atendem à especulação imobiliária.
Para tentar modificar essa situação a prefeitura aplicou 2097 multas no ano que passou. E a mesma prefeitura anuncia que em 2014 as multas serão intensificadas. Tem gente que não dá a mínima para as notificações sobre seus terrenos baldios. São pessoas que não acreditam na execução dessas multas. Acabarão descobrindo o tamanho do prejuízo quando tentar regularizar a propriedade. Há pelo menos 22 fiscais da prefeitura percorrendo a cidade para cadastrar os terrenos baldios e multar seus proprietários.

ILUSÃO

Mário Português ainda não se convenceu da inviabilidade de ser guindado ao governo rondoniense. Ainda espera ver seu nome indicado para disputar uma convenção partidária de onde possa sair ungido como “o candidato”. Ele, mais até que os amigos incentivadores dessa aventura, imagina estar cacifado para a atividade de governar por ter obtido sucesso na atividade privada, tornando-se um dos maiores milionários do estado.
É positivo que homens dessa estirpe sejam atraídos para a vida pública. Eles devem não contar muito com o “ovo”, pois estão mais sujeitos à frustração eleitoral. Talvez por compreender esse risco o PMDB resiste a ser usado como fachada para esse comerciante lusitano.

CAPILARIDADE

E inegável. O nome do ex-senador cassado por compra de votos, Expedito Júnior, é o de maior capilaridade política com presença na passarela eleitoral no momento. Ele tem sido abraçado por boa parte dos “escribas” políticos rondonienses. Todavia o nome de Expedito até agora não causa vibração entre (vá lá!) as elites rondonienses. Quando o processo eleitoral avançar em debates e críticas, Expedito terá dificuldades para quebrar a desconfiança natural do eleitor que desconhece alguma coisa importante para Rondônia feita por ele. À ausência do que apresentar ao eleitorado, Expedito corre o risco de despencar nas pesquisas que até agora colocavam seu nome lá no alto.

PARALISAÇÕES

A federação nacional dos policiais federais anuncia que a agenda de paralisações será confirmada em assembleias estaduais nos próximos dias 4 e 5. Os agentes federais reclamam do descaso do Ministério da Justiça, lembrando que apesar do nível acadêmico exigido para o ingresso em todos os cargos policiais desde 1996, eles ainda são tratados como servidores de nível médio.

AGENDA

Dia 1º de fevereiro é o Dia do Tomate. Não faz muito tempo Rondônia caminhava para ser tornar grande produtora desse fruto, especialmente com a plasticultura iniciada em Vilhena. A produção de tomate é importante na economia. Tente imaginar a gastronomia mundial sem tomate. Nada de vinagrete, pizzas deliciosas, molhos e mais molhos... E o pior: adeus ketchup. Felizmente essa fruta foi descoberta bem aqui, na América do Sul, e hoje é um ingrediente básico de quase todas as culinárias do mundo. Melhor ainda, ele não é só usado no preparo de pratos, mas também em drinks clássicos. Se sumiu da cesta de produção agrícola rondoniense foi, claro, por falta de fomento e apoio do governo. Agora, depois desse malogro, começa a despontar por aqui o cultivo de uvas. Mas pela ousadia dos produtores rurais e não pelo planejamento (inexistente) do governo.

IMPOSTOS

O peso dos tributos, como o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), Cofins e PIS, chega a elevar o preço dos medicamentos pagos pelo consumidor brasileiros em até 34%. Isso torna o Brasil um dos campeões mundiais de taxação de remédio. Somente no ano passado, a arrecadação com a fabricação e venda de medicamentos atingiu R$ 15 bilhões. É hora dos eleitores de Rondônia perguntar aos deputados federais em busca de um novo mandato o que ele fez para combater essa tragédia que impede a redução do preço dos medicamentos, sobretudo os de uso contínuo.




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: