Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  seg,   16/dezembro/2019     
artigos

É claro que Rondônia não vai bem. Os fatos desmentem a maquiagem feita pelos marqueteiros

05/09/2014 12:34:27
Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar
PARA PENSAR

É claro que Rondônia não vai bem. Os fatos desmentem a maquiagem feita pelos marqueteiros. E para o ano a situação não será melhor, mesmo se houver uma gestão mais capacitada. São tantas notícias ruins na nossa economia que devemos rezar pelo fim do continuísmo.

E agora, com essa ferida exposta da Hidrelétrica de Santo Antonio (que nem começou e já beira à falência) a situação vai piorar. Sem gestão de qualidade, o que ainda resiste em termos de desenvolvimento pode ser reduzido a pó. É melhor o eleitor votar consciente de que já estamos vivendo um momento de estagnação de nossa economia.


INDUSTRIALIZAÇÃO

O padre Ton, candidato do PT ao governo rondoniense, assumiu o compromisso de, caso eleito, adotar políticas que favoreçam a industrialização de matérias primas. O padre foi o entrevistado de um programa da Rede TV em Porto Velho.

“Apenas cerca de 20% do Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços vem da agricultura e da pecuária, bases da nossa economia. Não podemos mais admitir que as nossas matérias primas sejam levadas para fora. Temos de beneficiar, industrializar nossos produtos, para gerar riquezas, emprego e renda, ou seja, o crescimento da economia”, disse Padre Ton.


PEÇA SEM IMPORTÂNCIA

As ruas estão cheias do clima eleitoral, que hoje é apenas isso: a poluição visual das centenas (ou milhares) de painéis com as caras risonhas dos candidatos. A maioria faz parte daquele capítulo que ninguém sabe e ninguém viu.

As eleições de hoje não têm nada da “festa cívica” do passado, quando a militância era feita por voluntários, que seguiam os partidos como os torcedores de futebol.

Sem os grandes comícios de antigamente pouca coisa restou para chamarmos isso que está ai de “festa”, e muito menos cívica.

Com tristeza, cada vez mais constatamos que a peça menos importante dessa (qua!qua!qua!qua!) “festa” é o eleitor.


REFORMA

Nesse período em curso, podemos notar a falta que faz uma reforma política ampla, geral e irrestrita para a saúde cívica da Nação.

Só uma reforma verdadeira poderia livrar o processo eleitoral da presença dos chamados partidos nanicos, sempre prontos a se unir a qualquer plataforma que seja um negócio vantajoso, independente do conteúdo ideológico, pois não estão presos a qualquer valor moral.

A prova disso está aqui mesmo em Rondônia. O rumo das eleições é decidido pelos partidos grandes. Os pequenos fazem (quando muito) barulho, mas não passam de coadjuvantes. Sem a tal reforma política (de verdade) é isso que teremos em cada eleição: a construção de alianças caóticas, sem nenhum viés programático ou ideológico.


INCITATUS

E no cenário de poluição visual surge até um painel destacando um vistoso é um cavalo. Mas o cavalo não é o candidato.

É uma sacada relembrando o Incitatus, cavalo que foi nomeado Senador na Roma Antiga. O que pretende o candidato com essa sacada cavalar?

Será que visa esconder sua falta de recursos de retórica e oratória (importantes para o exercício parlamentar). Ou o show cavalar objetiva conquistar eleitores mais ingênuos e testar a paciência dos que raciocinam um pouco mais?


O CAVALO NO DF

Talvez o ginete candidato cre que a “imagem é tudo” numa campanha. Mas, pergunta-se, o que um homem montado num cavalo tem de consistência para ser um bom parlamentar federal?

Numa terra em que personagens boiadeiros e tucuras consegue maravilhar os eleitores, talvez o cavalo acabe desembarcando em Brasília para, mais uma vez, colocar o estado no anedotário.


APOIO DE EYMAEL

Até o fechamento da coluna, ontem, ninguém do diretório estadual do PSDC soube dizer o dia exato em que o presidente nacional do partido e candidato à presidência da República, José Maria Eymael desembarcaria na capital rondoniense para falar de seu programa e também apoiar os candidatos do partido, especialmente Edgar do Boi, candidato a deputado federal e presidente regional do PSDC. A visita de Eymael à região foi anunciada ontem, em São Paulo, após sua sabatina a jornalistas da rádio CBN.


DIA DA AMAZÔNIA

Uma efeméride pouco lembrada. Hoje é comemorado o Dia da Amazônia. Aqui, na maior floresta tropical do mundo, as diversidades mostram um Brasil de muitas caras. Na Amazônia não há somente a cultura indígena, mas muitas culturas diferentes. Influenciadas pelas características geográficas, históricas e econômicas da região.


MULTIDÃO

Jaqueline Cassol, segundo informe de sua assessoria, conseguiu reviver uma tradição política, em Vilhena, onde promoveu um grande comício, atraindo mais 3 mil pessoas ao evento. A assessoria não informou se ela pretende fazer evento dessa natureza na capital.


FACTÓIDE

A fábrica de factóides da prefeitura distribuiu o seguinte informe: “Defesa Civil avalia situação de áreas atingidas por enchente”. Pô, se até hoje estão avaliando os efeitos da cheia que terminou praticamente em maio, imagine quanto tempo vão gastar para fazer as obras de recuperação, etc, etc. Parece que essas obras vão ter de esperar um novo prefeito.


IMPORTANTE
Única informação verdadeiramente importante para a coletividade, saída dos arautos da prefeitura nessa semana: “Campanha de vacinação contra a raiva” terá início a partir do sábado, amanhã. Equipes do Departamento de Controle de Zoonoses (DCZ) da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) percorrerão regiões da cidade a cada fim de semana com postos de vacinação disponíveis para imunizar cães e gatos domésticos a partir de 90 dias de vida contra o vírus causador da raiva.



Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: