Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  qui,   9/julho/2020     
artigos

Cadê o MP eleitoral que não fala nada das promessas estapafúrdias de Gurgacz?

30/09/2014 12:21:51
Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar
NOVO PRESIDENTE

Domingos Meirelles foi eleito na última semana (26) o novo presidente da Associação Brasileira de Imprensa. Pela primeira vez na história de entidade um repórter assume a presidência da Casa dos Jornalistas.


ACIRRADA

Com apenas uma vaga no Senado em jogo, a disputa promete ser acirrada até o apito final. No campo da política o candidato que disputa a reeleição (embora nunca tenha sido eleito senador) adotou a tática de fazer uma campanha prometendo executar todo tipo de obras, como se estivesse disputando um cargo executivo e não legislativo. Essa tática parece ter o desejo deliberado de enganar o eleitor.

Não há similaridades entre os candidatos que disputam essa unida vaga do Senado. Enquanto dona Ivone Cassol sua primeira eleição, há, por exemplo, o Moreira Mendes que já cumpriu parte de um mandato de senador, deixando uma boa impressão no Congresso. Poucos poderiam dizer que têm seu preparo para um cargo de tamanha importância.


DEBUTANDO

Dona Ivone Cassol está na disputa inspirada pelo marido, Ivo Cassol, seu principal cabo eleitoral. Ela só está nessa batalha porque o marido se tornou inelegível. Simpática, humilde e sangue bom, terá certamente uma votação expressiva em todo o estado.

Há, também, o candidato Aloísio Vidal, do PSOL, reconhecido como de melhor nível cultural entre todos que disputam. Já teve, em eleições anteriores, um bom desempenho nas urnas, o que pode repetir agora.

Ivone Cassol é debutante. Mesmo assim pode surpreender se tiver consciência de que não se faz política sozinha. Terá de ser muito bem assessorada e buscar se aprimorar nas coisas do congresso. De uma coisa esse repórter está convencido: votos para o senado só é decidido na última hora.


ATRIBUIÇÕES

O senador, ao contrário do que procurou transmitir Acir Gurgacz em sua propaganda, não tem atribuições para executar obras públicas. Não pode assumir aquilo que é competência do governador. Entre as atribuições do cargo, com mandato de oito anos, estão: fiscalizar os atos da Presidência da República, definir o limite de endividamento dos estados e municípios e defender os interesses de sua região.

Se o objetivo de Acir Gurgacz fosse o de esclarecer os eleitores teria, ao contrário de fazer promessas que não pode cumprir, deveria mostrar o que fez (se realmente fez alguma coisa) no sentido de defender a reforma fiscal, a reforma política, a luta pela valorização dos servidores, a luta para garantir que Rondônia tenha direito aos royalties do petróleo, etc. É impossível ser um bom senador se o camarada é do tipo que vai para a tribuna sem conhecer profundamente o assunto a ser tratado.


APELO

Aos trancos e barrancos, o Rondônia sobrevive. Errar é humano, mas repetir o erro é burrice. Já passou da hora de mudar e só depende de nós, eleitores. Chega de desgoverno e corrupção!


VERGONHA

O anunciado espetáculo da cantora Gaby Amarantos, que no próximo dia 1º, abre as celebrações do primeiro centenário de Porto Velho não será capaz de esconder a situação vergonhosa de uma capital de estado vítimas de prefeitos que não souberam realizar suas potencialidades e ainda tem na prefeitura Mauro Nazif, um político que vai de mal a pior.

Pode até ser que Gaby, a nova estrela paraense que está na moda graças ao poder da mídia seja uma boa cantora. Mas não é o que uma cidade, capital de estado, deveria querer para marcar com glamour seu primeiro centenário. Que pena! Certamente para um prefeito que se revela totalmente divorciado da cultura e da arte, pensar, por exemplo, num concerto com uma grande orquestra sinfônica era mesmo coisa fora de cogitação.

Os trinados de Gaby em Porto Velho, custeada pelo patrocínio de um dos consórcios hidrelétricos do Madeira, não abafará o sentimento de vergonha de uma cidade sem saneamento básico, sem asfaltamento de qualidade em suas ruas, com um baixíssimo índice de qualidade de vida. E sua população sabe que enquanto o bendito saneamento não chegar, sua péssima rede de saúde pública continuará abarrotada de vítimas do desprezo com que os prefeitos encaram nossos principais dramas urbanos.


INCAPAZ

Ao seguir a velha máxima do “pão e circo”, o prefeito Mauro Nazif vai inscrevendo seu nome na galeria dos maus e estúpidos prefeitos incapazes até de compreender as potencialidades dessa cidade centenária.

Como Porto Velho poderá se desenvolver como uma cidade civilizada se o prefeito de seu centenário fica discutindo besteiras como a inversão do trânsito no trecho central da avenida Sete de Setembro, como se isso fosse a grande prioridade da população?

Seria pura perda de tempo esperar que esse prefeito abrisse chances para o desenvolvimento do turismo (de verdade), para a criação de um polo cultural na capital rondoniense.


PRISIONEIRA DAS TREVAS

A cidade chega ao seu primeiro centenário com mais um mau prefeito na gestão do Executivo. Não há nem mesmo alternativas para o estímulo à produção, capaz de gerar emprego e renda, emancipando sua população.

A programação festeira, de qualidade duvidosa, não deverá apagar a indignação dos portovelhenses com as praças e ruas cheias de lixo, sujas, esburacadas, sem os equipamentos comunitários, sem jardins e nem arborização.

Diante desse cenário de real abandono, nem acredito que o prefeito vá aparecer num desses eventos, onde poderá receber sonora vaia popular. Que esse primeiro centenário sirva para aumentar a consciência do povo de que é necessário libertar Porto Velho das trevas.


ISSO PODE

Estamos vendo as falas do candidato mais rico ao Senado enganando a credulidade dos mais simples, com promessas mirabolantes de que vai construir creches, hospitais, escolas se ganhar o mandato de senador, quando sabemos que fazer obras é competência de governos, na esperança de ganhar os votos dos mais ignorantes com essas mentiras descaradas. Isso pode? Com a palavra o Ministério Público Eleitoral. É claro que com todas essas promessas mentirosas faz um grande estrago na campanha dos adversários. É muito desonestidade!


SEM DIFERENÇA

Qual a diferença entre candidatos sujos, como aquele pego em fragrante metendo dinheiro da corrupção na cueca, e o “irmão” Valter, agora no Urso Branco, que foi cassado por liderar esquema de corrupção na Assembleia? Nenhuma, são como irmãos siameses.



APELO (II)

Eleitor: vote consciente, só assim teremos um futuro melhor para Rondônia, que somos todos nós.



GUERRA
Na reta as eleições em Rondônia parecem estar reproduzindo cena de guerra, onde a verdade é quase sempre a primeira vítima, e o cenário é marcado por manipulação e inverdades.



Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: