Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  qui,   23/novembro/2017     
política

Os cem por cento de saneamento básico ficou apenas na promessa e capital continua abandonada

23/03/2015 09:37:44
Por Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar
PENICO ENORME

Aproveite para pensar nesse país que pelo visto vai continuar ainda por muitos e muitos anos na mesma cantiga de sempre: o país do futuro!

O Brasil político é um penico de vagabundos.


O BURACO É MAIS EMBAIXO

Em 2010, quem quisesse comprar a Petrobras teria que desembolsar R$ 380 bilhões. Hoje a nossa petroleira vale R$ 114,8 bilhões. E nesse cenário de vergonha ainda temos de ouvir dona Dilma pedindo a nós brasileiros que tenhamos calma, que aceitemos os sacrifícios de seu ajuste (qua!qua!qua!qua!) que em breve, muito em breve vamos sair do abismo e voltar a crescer. Ora, mas não foram os petralhas, o time do lulismo e do dilmismo que torrou os bilhões da nossa empresa que foi orgulho nacional, sem pelo menos deixar o povo brasileiro saber para onde foi toda essa dinheirama.

Dá para acreditar na conversa dessa mulher e de seus asseclas. O Brasil que parecia ter futuro aí está na vergonha posição de botequim dessa “America Latíndia”, mais parecendo um bordel de esquina da economia mundial.

E pensar que sou do tempo em que saímos para as ruas gritando que “O petróleo é nosso!”. Mas esse pessoal da boina estrelada agiu como se a Petrobrás fosse deles, como se o petróleo pertencesse na verdade ao PT e seus principais partidos aliados.

Logo eles que sempre apontavam na direção dos outros partidos o dedo acusador, dizendo que “eram a burguesia disposta a privatizar a nossa petroleira...” E agora, não são exatamente eles quem estão privatizando e reduzindo a pó a nossa maior empresa?


ASSIM DIZIA STALIN

Dillma Rousseff, durante a última campanha eleitoral, assim como Lulla acusou o PSDB de querer privatizar a Petrobras, estendeu a acusação para o perigo de Aécio Neves acabar com alguns direitos dos trabalhadores. O que temos hoje: a Petrobras está com um rombo de R$ 265,4 bilhões; Dillma reduziu o seguro-desemprego, o seguro-defeso (subsídio para pescadores em época de proibição de pesca), aumentou os juros creditícios para 12,25%, elevou o IOF de 1,25% para 4%, tudo isso dentro daquele velho estratagema proposto pelo carniceiro comunista Stálin: "Se você quiser derrotar o seu adversário, acuse-o de fazer as coisas que você faz".

Mas não se esqueça do desenrolar dos fatos na nossa própria terrinha.


CADÊ O ESGOTO?

Porto Velho teve sua experiência dramática com o comando petista. Aí está nossa Capital sem o esgoto e a água tratada com ligação de lote a lote. Cem por cento de saneamento básico ficou apenas na promessa. O principal papel no travamento dessa conquista aconteceu com a chancela do PT, mais especialmente do então vereador Cláudio, agindo a mando do pior prefeito que passou por aqui.

Nem água, nem esgoto e nem nada.


DESALENTO CRESCENTE

É do jogo deles, bem sei, mas nem por isso deixa de doer quando vemos a nossa capital abandonada, cheia de elefantes brancos (batizados de viadutos) por onde torraram milhões e tantas outras coisas que ficaram apenas na promessa.

Cláudio e seu guru da época foram devidamente apeados da vida pública, mas ainda estão por ai outros petralhas aprofundando o cenário nada animador para o futuro de Porto Velho.

Com os governantes de hoje – que sempre estiveram atuando como coadjuvantes desse sistema petralha – o que está crescendo em nossa cidade é o desemprego, a violência urbana, o desalento brasileiro.


REGRAS SEM CLAREZA

É difícil acreditar que com esse time o País vai sair do buraco. As pessoas ao meu redor estão cada vez mais aterrorizadas, desiludidas e sofrendo o risco da inadimplência, entregando seus carros por falta de pagamento. É o retorno aos cadastros dos maus pagadores, ao Serasa, ao SPC, do enfrentar a dura vida dos endividados, do negociar com gerentes comerciais das casas da vida, das lojas que vendem mobiliários e que faturam como bancos que são. É do jogo capitalista, bem sei, mas com regras jamais explicitadas.

O Brasil brasileiro não é isso que se apresenta aos tribunais do País. E não é embaixo. Pelo contrário: é muito mais em cima. É um país que dá nojo esse que nos apresenta os envolvidos em roubo de bilhões de reais do contribuinte brasileiros, negociando suas penas em troca de delações premiadas.



BLINDAGEM

Dois dos menores envolvidos na roubalheira, Renato Duque, ex-diretor de serviços da Petrobras (indicado por Zé Dirceu, por que não me espanto?!), e Pedro Barusco, o gerente de área da petroleira, que sozinho promete devolver cerca de R$ 220 bilhões aos cofres públicos, estão enrolados até ao cabo das pontas da última estrela da galáxia da corrupção petista.

Enquanto isso, o ex-presidente da Petrobras Sérgio Gabrielli, bem como a ex-presidente do Conselho Administrativo da Petrobras, Dillma Rousseff — atual presidente da República — continuam blindados nos inquéritos.



TEMPORAS GRISALHAS

Em Rondônia perdemos o bucolismo sadio dos tempos em que este abençoado torrão de Deus começou a viver sua vida de estado, após longos anos como território federal.

Assim como o resto do Brasil, também começamos a descer a ladeira rapidamente. Nesses tão poucos anos de existência vimos crescer a corrupção, os conchavos empresariais, onde nasceram políticos safados.

Alguns, agora cobertos de cabelos brancos, colarinhos engomados e dentro de ternos bem cortados, ainda dão as cartas na vida pública rondoniense ou, é bom explicar, fazem isso na sucessão de filhos e parentes, eleitos sempre com as ferramentas do abuso do poder econômico e político.



OS GRANDES PAJÉS

Causa-me asco republicano confirmar que os grandes pajés dessa nossa aldeia política, vão dos grandes representantes do coronelismo com passagem pela cadeia ou ainda impunes, mesmo envolvidos nos mais profundos inquéritos feitos pela Polícia Federal, com a clara comprovação de suas mãos sujas no esbulho do dinheiro público.

Então é preciso apoiar os barnabés que nesse momento estão dispostos a ir novamente para as ruas, exigindo uma nova postura de quem lamentavelmente ainda ocupa o comando administrativo e político rondoniense.

Ou o povo de Rondônia vai para a rua exigir mudanças ou uma nova leva de corruptos aprenderá a nadar nesse mar cada vez mais corrompido do nosso jovem estado de orçamento miliardário.


DE FÁCIL COMPREENSÃO

Até tarimbados colunistas dos potins rondonienses ficaram embatucados com o grande interesse da debutante de deputada federal, Mariana Carvalho, em torno dos problemas causados pela incompetência do governo no programa do FIES.
Ora, mesmo percebendo que essa estória de Pátria Educadora não passa de mais um jogo do marketing político de dona Dilma, é preciso saber que o governo federal ajuda a manter os gigantescos lucros de grupos educacionais privados rondonienses que recebem subsídios do governo para bolsas de estudo. Então é só ligar os pontos: Mariana não é a charmosa dondoca filha de Aparício, que já foi (sem votos) vereador, deputado federal e até governador, sendo, agora, o mais importante pajé da educação privada tupiniquim?



Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: