Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  ter,   15/outubro/2019     
artigos

Praticamente com um pé no Palácio Getúlio Vargas, Expedido também se vê às voltas com a Justiça Eleitoral

29/04/2015 14:37:03
Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar
FILOSOFANDO

“Os principais sábios tentam não aborrecer os grandes e agradar ao povo” – Maquiavel.


OLHADINHA

Se investigadores com faro especial para detectar tramoias em negócios nas gestões públicas, tipo os do Gaeco, derem uma olhadinha no funcionamento das licitações em nível de município deverão ficar embatucados. Our man no paço garante que são sempre as mesmas “empresas” as vencedoras ao longo do tempo. Funcionam como uma verdadeira holding ligada aos tentáculos da família que manda na city.


LIVRO

Para quem é interessado nos temas da história política do Brasil, a coluna registra o lançamento de um livro fundamental da historiadora Karla Carloni, lançado nessa semana. “Marechal Lott: a Opção das Esquerdas” entra no circuito das boas livrarias. Ele conta a história do movimento liderado por Henrique Dufles Teixeira Lott, que impediu uma tentativa de golpe contra a posse de JK. O Marechal era chamado de “soldado da legalidade”. Lott disputou a presidência em 1960, quando perdeu para Jânio da Silva Quadros.


GESTÃO MEDIOCRE

Como é possível explicar a falta de remédios em toda a rede de saúde municipal de Porto Velho? Essa é uma pergunta que embatuca até o pessoal da área de saúde. Quem vence licitações acaba desistindo de entregar a encomenda quando é submetido ao aceite dos tradicionais 15 por cento do esquema batizado de “caixinha obrigado”. E assim, quem acaba se ferrando, sempre, são as pessoas mais simples e sem condições de comprar tudo na farmácia.

É o que acontece quando a mediocridade é marca da gestão sempre obrigada a devolver dinheiro vindo da de Brasília porque não se consegue sequer comprar remédios básicos.


BAÚ CHEIO

Não tem respaldo algum as maledicências sobre a situação de penúria em que estaria Denis Baú, aquele sujeito que prometeu um shopping na entrada da cidade, além de outros empreendimentos que nem saíram do papel. Denis já não é mais o CEO da Federação das Indústrias de Rondônia, mas continua nadando de braçada quando o assunto é grana prá valer. Afinal, pelo que se ouve nas quebradas desse mundaréu, ele é o cara que comprou a mansão de Toninho da Silvacar, na Abunã, pela qual pagou em dinheiro vivo uma montanha de milhões, sequer sonhado por meros mortais.


PARECIDOS COM ZUMBIS

A decisão de ontem proferida pelo colendo Tribunal Regional Eleitoral confirmando a cassação dos mandatos de Confúcio Moura e Daniel Pereira, transformou o Palácio Rio Madeira (???) no autêntico cenário onde zumbis se trombam pelos cantos sem rumo, graças a uma liminar concedida pelo TSE e ainda não derrubada, impedindo a imediata posse de Expedito Júnior.


VAIDADES

Enquanto no palácio os dois zumbis travam uma disputa pessoal para ver quem é mais vaidoso ou que ainda pode ostentar algum poder; um claudica por repartições e eventos tentando cobrir o sumiço do titular. E o titular vai rompendo a imagem do passado, quando era considerado modelo de virtude e ética entre políticos do estado. Hoje vai se consolidando como especialista em fazer mais e pior tudo o que antes condenava, nos outros políticos.

E ai tome anotações e reflexões na tosca forma de crônicas, em um blog onde o zumbi não consegue desfazer a ideia de que se aliou a saqueadores da riqueza do estado, em benefício próprio.


ENCALACRADO

Se até agora o ex-senador Expedito Júnior apenas rondava o Poder, agora com a manutenção da cassação dos governantes rondonienses, pode-se verdadeiramente imaginar-se com um pé dentro da corte palaciana, cada vez mais próximo do trono.

Porém (e sempre tem um porém!) o nobre (??) ex-senador nocauteado no famoso tapetão, está encalacrado numa denúncia do Ministério Público Eleitoral por falhas na prestação de contas da última campanha. Por tudo isso, mesmo tendo tempo de sobra para elucubrações, será difícil manter o fôlego até o zumbi filósofo beijar a lona, se a tal liminar for para o beleléu.


PÍFIO? COMO?

É fácil compreender. Trata-se de um secretariado onde não se sabe nem o nome da maioria. Muito menos o que fazem. Se é que fazem. São zumbis cujo único mérito é o servilismo. É a composição política de favores à custa do erário. Pobre Rondônia!


CADA VEZ PIOR

Parece impossível, mas quem vai à secretaria de obras municipal vê um cenário dando a exata dimensão da incapacidade de gestão dos ocupantes do paço. Muitas máquinas, algumas novinhas e erodidas, esperando consertos. E enquanto isso as ruas estão cada vez mais esburacadas. Algumas máquinas ainda não têm serventia por falta de operadores. Enquanto isso o “doutor” Mauro fica brincado de aplicar uma solução “Emergencial” para o complexo sistema do transporte público urbano...


NO PÁREO

Maurão de Carvalho, o presidente da Assembleia Legislativa está afivelando as malas para ir direção a outro partido. Na análise duas novas siglas. Maurão está decidido a entrar no páreo de 2018 para o governo do estado. Vai por um partido novo, onde não tenha o risco de sofrer nenhuma puxada de tapete, como aconteceu na disputa do ano passado, quando Ivo Cassol mexeu os pauzinhos colocando no lugar de Maurão a sua irmã, a advogada Jaqueline Cassol.


EVAPORANDO-SE

Como sexta-feira será feriado nacional (Dia do Trabalho), a Assembleia devera funcionar hoje em marcha lenta. Desde ontem boa parte dos deputados (especialmente aqueles com base eleitoral no interior) trataram de se evaporar, sabendo que não sofrerão nenhum desconto nos estipêndios. E assim se mantém essa costumeira generosidade com quem tem o mandato popular.


ATORDOADOS
Os petistas têm motivos justificados para estarem atordoados com todo o noticiário que vincula cada vez mais o partido ao oceano de corrupção e dilapidação das riquezas em todo o Brasil. E assim, nesse quadro de delírios ainda falam em candidaturas próprias para o ano nas principais cidades de Rondônia. Parece que os petistas da linha do padre derrotada na última eleição ainda acham possível ganhar o processo eleitoral no grito.



Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: