Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  dom,   13/outubro/2019     
artigos

Justiça confirma condenação de Cassol por tramoias do tempo de prefeito de Rolim

06/05/2015 09:53:04
Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar
CONDENAÇÃO CONFIRMADA

A 5ª Turma do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região rejeitou recurso apresentado pelo senador Ivo Cassol (PP-RO) e confirmou decisão da 2ª Vara Federal de Rondônia que condenou o parlamentar e a Construtora Terraplanagem a ressarcir R$ 1,565 milhão aos cofres públicos por danos morais, além da indenização de R$ 391,4 mil por danos materiais.


FRAUDE COM 8 EMPRESAS

Os valores se referem a irregularidades nas licitações realizadas pela prefeitura de Rolim de Moura (RO), no período em que Cassol foi prefeito da cidade. O Ministério Público Federal apontou que os contratos eram firmados com empresas que pertenciam ao próprio político, mas estavam registradas em nome de aliados. De acordo com o MPF, pelo menos oito empresas participavam do esquema de fraudes.


CORDA BAMBA

Cassol já foi condenado pelo STF na esfera criminal por fraudes em licitações relativas ao seu mandato como prefeito de Rolim de Moura. O Supremo estipulou pena de 4 anos, 8 meses e 26 dias de prisão, mas não determinou a cassação imediata do mandato do parlamentar, que aguarda resultado de recurso em liberdade.


NINGUÉM MORRE NA POLÍTICA

Isso é o que dizem os entendidos no assunto. A própria coluna noticiou na última semana de abril que o próprio Roberto Sobrinho, com condenações na Justiça em decorrência da sua desastrada gestão no comando do município de Porto Velho tem espalhado por ai que sonha em ressuscitar politicamente para a disputa do próximo ano, acreditando ser possível retornar ao comando da prefeitura. Então o sujeito não está morto como boa parte imaginava.


PARA 2018

E agora quem revela que tem gente sonhando alto no PPS, diante da anunciada fusão com o PSB, o partido que em Rondônia tem como cacique nada menos que Mauro Nazif. Se a fusão acontecer no sonho anunciado estará o nome de João Cahulla como candidato ao governo em 2018. No entanto há controvérsias sobre a elegibilidade do ex-vice de Ivo Cassol que acabou assumindo o governo e disputando a reeleição, que perdeu para Confúcio, no seu primeiro mandato.


PESSIMISMO CRESCENTE

O brasileiro está pessimista quanto à economia do país e pretende conter gastos em 2015, segundo pesquisa promovida pela Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi) e pela empresa TNS Brasil, em que 66% dos entrevistados avaliam como “ruim” ou “péssima” a situação do Brasil, enquanto no ano passado 37% dos entrevistados tiveram a mesma avaliação. Ao mesmo tempo, 64% acham que o crescimento do país vai piorar, contra 13% que acreditam em melhora. Em 2014, esses números eram 31% e 38%, respectivamente. Além disso, 81% dos entrevistados acreditam que o desemprego vai aumentar nos próximos meses.


QUESTÃO DE LÍNGUA

No final da semana que passou fui abordado por um leitor preocupado com a preservação do idioma pátrio. Perguntou-me se a expressão “lava jato” deve ser escrita com ou sem hífen. Atendendo sua sugestão abordemos esse tema.

Em alguns postos de combustível e em algumas oficinas mecânicas, encontramos incorretamente essa expressão ora com, ora sem hífen. Na verdade, não lavam jatos, mas carros por meio de jatos d’água. Portanto o termo deveria ser “a jato”, pois se trata de uma locução adverbial na indicação de modo. A expressão correta seria “Lava a jato”, sem crase.


ENTENDENDO O VERBO

O verbo “lavar” é transitivo direto, isto é, pede um complemento sem o emprego de uma preposição obrigatória. Lavar as mãos, lavar a roupa. E até “se lava dinheiro” - em sentido denotativo e conotativo. Uma operação foi “batizada” pela Polícia Federal de “Lava Jato”. Nesse caso, deve-se respeitar o nome dado pelos pais da criança. No site da corporação, está escrito: Operação Lava Jato. E como se refere a uma ação específica, o termo funciona como um substantivo próprio, por isso deve ser escrito com as iniciais maiúsculas.

Essa operação encontrou, no processo de investigação, uma rede de lavanderias e postos de gasolina envolvidos no esquema de lavagem de dinheiro. E por esse motivo, foi sugerido o referido nome.


COISAS DA GRAMÁTICA

Sei que a língua é do povo e não dos gramáticos. Mas tanto na grafia quanto na pronúncia é necessário uma padronização do emprego das palavras. Assim, aproveito esta oportunidade para citar outro caso interessante: era comum encontrar a expressão “entrega a domicílio”, quando deveria ser empregado o termo “entrega em domicílio”. Agora, para simplificar mais, passaram a empregar uma palavra inglesa: Delivery, resolvendo de vez o caso da pronúncia correta.



MPF FECHA POR 8 DIAS

Em virtude da mudança da sede do Ministério Público Federal, que passará a funcionar na rua José Camacho, 3307, no bairro Embratel, o atendimento ao público externo estará suspenso (menos para casos urgentes) até o próximo dia 18 de maio.



FAVAS CONTADAS

A correção do FGTS pela inflação são favas contadas. O compromisso de Eduardo Cunha, o presidente da Câmara dos Deputados, no 1º de maio tem velocidade de aprovação garantida pela tramitação de projetos de lei do mesmo escopo dos deputados Vicentinho do PT e Rodrigo Maia do DEM.



LIBERDADE AMEAÇADA

O pensamento único - totalitário e resultante de vários fatores, entre eles, de forma mais recente, o chamado politicamente correto - é uma ameaça à liberdade de expressão. É o que afirma a ministra Cármen Lúcia, vice-presidente do STF.



FOMENTAR O DEBATE
“Como cidadãos, os jornalistas têm o dever social e político de discutir, chegar a um consenso na categoria e fazer com que a discussão chegue à sociedade, fomentando o debate, comentou Cármen Lúcia. “Temos tido, no Brasil, muitas situações de cerceamento da liberdade de imprensa. Pensar livremente é a primeira forma de nos posicionarmos como uma identidade humana, sublinhou a ministra ao participar do 7º Fórum de Liberdade de Imprensa e Democracia, em Brasília.



Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: