Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  qui,   17/outubro/2019     
artigos

Assembleia será palco da lavação de roupa suja do 'Minha Casa, Minha Vida'

15/10/2015 10:28:17
Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar
FILOSOFANDO

“Se você não age contra a Injustiça, você é a Injustiça”. Gandhi, líder responsável pela independência da Índia.


PÃO DO DIABO

Não é mole ser brasileiro, especialmente se não estiver abrigado nas asas de algum político influente para garantir um cargo melhor remunerado nas engrenagens do estado.

Agora, no plano nacional, tudo gira em torno de salvar uma economia erodida por ações irresponsáveis de quem dizia controlá-la, e o lado mais fraco da corda, ou seja, a maioria esmagadora da população, tem que comer o pão que tantos diabos amassaram, perdendo empregos, benefícios sociais e pagando tudo cada vez mais caro.


NAUSEABUNDO

O que a patuleia tem assistido nesse cenário de degradação? Um nauseante espetáculo de barganhas políticas (do qual participam, também, os principais políticos rondonienses) pelos cargos de maior poder financeiro da Esplanada dos Mistérios e dos órgãos federais nos estados, nessa forma explícita adota pela presidente Dilma na distribuição de cargos a fim de escapar de um processo de impeachment.


ABOBRINHAS

Enquanto isso, do lado de cá, nessa Rondônia paralisada e sem perspectivas de avançar numa rota de desenvolvimento sustentado e real, ficamos assistindo certas entidades fazendo seminários para discutir abobrinhas.

Com nomes pomposos do tipo “Apoio aos Investimentos de Rondônia” (seminário realizado ontem no auditório da Fiero), essas ações não resolvem nada enquanto nós, os cidadãos-contribuintes-eleitores, continuamos na esperar de ser sorteados na fila do SUS para um atendimento de saúde pelo qual se espera há meses ou enfrentar as mazelas da falta de saneamento, e lutar para pagar contas cada vez mais caras, desviando do avanço crescente do desemprego.



LONGE

Na verdade temas sobre as mazelas existentes aqui mesmo no dia a dia de Rondônia (como o recente caso da balbúrdia do transporte coletivo da capital) passam longe do debate acalorado de instituições como o parlamento. Preferem travestir-se de paladinos em torno do confronto existente entre DENIT e IBAMA sobre a reconstrução da rodovia que liga Porto Velho a Manaus, enquanto nada se faz de concreto por coisas mais importantes, como a ligação entre Guajará-Mirim e a BR-364, precária durante as últimas três décadas.



NA CÂMARA

Na coluna de ontem registramos uma clara demonstração de debate pobre sobre as propostas medíocres apresentadas por parte da edilidade, demonstrando a importância de renovação naquela Casa, nas eleições do próximo ano. A praxe no palco do legislativo rondoniense é de tudo girar em torno de quem vai ficar com o quê.

Em relação à nossa tão abandonada cidade de Porto Velho, a preocupação da maioria dos vereadores e dos gestores da prefeitura, nos últimos anos, não ultrapassa os limites dos edifícios que compõem o núcleo do poder.

A coluna tratou recentemente da questão dos lixões (incluindo os clandestinos) existentes na capital. E o assunto mais uma vez interessou apenas ao vereador Everaldo Fogaça, que assim vai se consolidando como a mais sólida exceção do parlamento portovelhense, se tornando merecedor de uma reeleição no próximo ano.



PLANO ESTADUAL

O cenário não é muito diferente em relação à representação estadual. A maioria dos deputados viajam com frequência para as comunidades interioranas. Nem por isso as imensas populações da hinterlândia deixam de amargar de amargar o enfrentamento diário da violência, da corrupção, da saúde erodida, e todos os outros serviços públicos de péssima qualidade.

Tudo isso acontecendo nas barbas dos que mandam e legislam em nome do povo. E nós, repito, do lado de cá, assistindo e torcendo por isso ou aquilo, como palhaços num circo onde só tem fera num picadeiro no qual alguns fingem ser domadores, mas são domados.



SELETISTAS

A percepção do aumento da falta de segurança na capital rondoniense faz com profissionais do serviço de táxis e mototáxis tomem, adotem por conta própria métodos para evitar furtos e roubos, especialmente no período noturno, rejeitando passageiros “suspeitos” ou corridas a bairros considerados mais perigosos. Um taxista com vários anos na profissão contou à coluna que evita trabalhar com relógios, correntes ou outros objetos que possam chamar a atenção dos assaltantes. Nesse método de seleção, taxistas estão evitando ir a bairros com iluminação deficiente e “locais com fama de pontos de tráfico de drogas”. Ir nas “quebradas” nos dias de hoje, disse um mototaxista “é muito perigoso”.


FALTAM BLITZES

Na opinião dos dois profissionais que entraram em contato com a coluna, a PM realiza poucas blitzes, principalmente em período noturno. Somente a presença da polícia nas ruas, fazendo esse tipo de trabalho, poderia elevar a sensação de segurança dos taxistas da cidade. “A gente precisa garantir o nosso pão de cada dia, mas nem assim de que há pouca ação preventiva da polícia contra quem pode entrar no taxi para assaltar e até matar”.


AUDIÊNCIAS

O deputado Jesuino Boabaid espera ter um grande público participando das audiências públicas marcadas para o próximo dia 19, na Assembleia Legislativa, que vai tratar de denúncias sobre os projetos sociais do Minha Casa Minha Vida, bem como da Morada Nova. Segundo consta, os imóveis desses projetos não estão sendo entregues às famílias carentes inscritas. No mesmo dia, porém às 15 horas, o tema “Saúde e Violência contra a mulher” será analisado na segunda audiência pública do dia.


ISONOMIA

A Justiça Estadual condenou a Defensoria Pública do Estado de Rondônia a cumprir a determinação de substituir os ocupantes de cargos comissionados por aprovados no concurso público, cargos efetivos, de nível médio e superior. Agora se espera que a decisão da Justiça seja estendida às demais instituições públicas rondonienses, especialmente naquelas onde o número de servidores comissionados é muito maior do que os escolhidos por concurso público.



IRRESPONSABILIDADE

Segundo uma fonte acostumada a manejar os diários oficiais do estado, é fácil constatar a existência de uma farra de diárias nos três níveis de governo em Rondônia. Se algum órgão de controle externo decidir por uma rígida investigação vai acabar concluindo que as diárias viraram complementação de salário. É inconcebível que a farra continue mesmo com o avanço da crise nas finanças públicas.



CONVITE
A coluna agradece convite feito pelo presidente do PMDB, Tomas Correia, para assistir a Convenção Partidária Estadual, que será realizada no próximo sábado, em Ji-Paraná, quando haverá eleição do Diretório Estadual para o biênio 2015/2017.



Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: