Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  ter,   15/outubro/2019     
artigos

Dilma faz sem cerimônia o que Itamar não faria jamais

24/12/2015 03:18
Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 


 
PARA REFLETIR
“A que ponto chegamos... Um presidente como Itamar Franco jamais assinaria esta nomeação. Mas a presidente Dilma é diferente. Julga-se acima da lei e da ordem, do bem e do mal. Trata-se de um caso psiquiátrico, que nem Freud explicaria”. Carlos Newton Leitão de Azevedo, jornalista carioca da velha guarda, com passagem pelas principais redações cariocas.
 
É DO BARALHO
O novo secretário executivo do Ministério da Fazenda, Dyogo Henrique Oliveira é alvo da Operação Zelotes, que apura suposto esquema de compra de medidas provisórias nos governos Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. Oliveira é citado na investigação como possível elo, no governo federal, dos lobistas suspeitos de “comprar” medidas provisórias.
 
E O NATAL CHEGOU
Até que foi rápido. Hoje é véspera de natal. Como já previmos aqui mesmo na coluna, chegamos à data de hoje, prontos para mais uma virada de ano, em meio a tantos desafios, alguns assustadores. Meu desejo é que possamos aproveitar a união e a partilha que ocorre nessa ocasião. Que a paz e a esperança imperem em cada lar. Que, ao lado de nossos familiares e amigos, possamos experimentar momentos de felicidade e de harmonia.
 
MEQUETREFES
Não adianta pedir a Papai Noel alguns heróis para salvar a pátria que, como nunca se viu, vive as dores dos escândalos de corrupção e rombos do erário, patrocinados pelos dirigentes públicos mequetrefes que incompreensivelmente deitam e rolam em nosso país, a grande maioria beneficiada pela impunidade, praxe de longos e longos anos na vida de nossa pátria.
Mas nem sempre foi assim nesse país que já chegou a ter no seu comando uma criança, como registra nossa história.
 
DEFENSOR
Pedro I entregou uma criança, de apenas cinco anos para ser nosso “Imperador Constitucional e Defensor Perpétuo do Brasil”. Pedro II assumiu o poder de fato aos 15 anos. Bem mais novo, como se vê que o “poste” inventado por Lula.
Por sua postura equilibrada, o estadista brasileiro jamais se deixou confundir com o mito português de D. Sebastião, que teria sido morto aos 24 anos na Batalha de Alcácer-Quibir, no norte da África. Expulso do país, não assumiu o estilo de herói. A República Brasileira, porém, conseguiu criar seus mitos. Na versão tupiniquim, construímos nosso próprio sebastianismo.
 
HERÓIS CARICATOS
Ocorre que o ‘mártir da independência’ não conquistou a liberdade. Foi enforcado e esquartejado. ‘A redentora’, um ano depois de redimir, também foi expulsa do país. O ‘pai dos pobres’ governou sob ditadura e não acabou com a pobreza. Suicidou-se. O ‘varre-varre, vassourinha’ não varreu nada. Renunciou. O ‘caçador de marajás’... A ‘mãe do PAC’...
Lula de cara legou ao país “o mensalão” e Dilma está se debatendo nesse cenário de pixuleco. E mesmo assim nós, pelo visto, iludidos mais teimosos, continuamos em busca de heróis.
 
PRECISAMOS APRENDER
Não há dúvidas de que o país precisa e carece hoje de líderes, que, com postura republicana e motivadora, apontem o caminho e levem o Brasil a um efetivo desenvolvimento e prosperidade. Erramos todos os brasileiros, não obstante, quando esperamos um novo mito, alguém que, em um passe de mágica, resolva os nossos problemas. Sinto muito. O sebastianismo não nos livrará de continuarmos essa marcha que não vai dar em lugar algum, que não vai nos tirar desse atraso terceiro-mundista.
 
ATENTA E ATUANTE
Da atual crise e de suas consequências, talvez uma boa lição possamos tirar. Não há resultado sem esforço, não há sucesso sem trabalho. Quanto mais atenta e atuante estiver a sociedade, melhor será nossa política e democracia. Urge uma participação maior de todos em todas as esferas. Não de segmentos apenas. Repito, de todos. Da atual crise e de suas consequências, talvez uma boa lição possamos tirar. Não há resultado sem esforço, não há sucesso sem trabalho. Quanto mais atenta e atuante estiver a sociedade, melhor será nossa política e democracia. Urge uma participação maior de todos em todas as esferas. Não de segmentos apenas. Repito, de todos.
 
PARTICIPAÇÃO
Essa participação se dará com manifestações como as realizadas neste ano, mas vai muito além. Com os pais atuando nas atividades escolares de seus filhos. Com o engajamento da comunidade nos conselhos de segurança em suas regiões, ajudando a polícia em ações de prevenção e alerta. Com o cuidado do motorista com os pedestres, do jovem com os idosos. Com as ações sociais.
Cada um precisa fazer sua parte. Infelizmente, isso exige empenho, disposição que nem sempre nós os brasileiros temos mostrado até aqui. Herança talvez dessa cultura lusitana de espera, do Estado provedor. É uma mudança paulatina, cultural, que se dará passo a passo. Mas que é necessária. É preciso iniciá-la. E ela começa por mim, por você, por todos nós.
 
COISA DE POLÍTICO
A Deputada Estadual, do Paraná, Maria Victória (PP) causou polêmica ao defender o corte de R$ 10 bilhões nos recursos do Bolsa Família, proposto pelo pai da parlamentar, o Deputado Federal Ricardo Barros (PP) na proposta orçamentária  de 2016. No entanto, a mesma deputada, que acha que o governo repassar R$ 77 reais a famílias carentes é “dar o peixe e não ensinar a pescar” votou a favor do auxílio moradia para o judiciário de R$ 4 mil reais, aquele que é conhecido como “Bolsa Miami”. Para ela, bolsa terno pode, bolsa comida não pode.
 
A VENEZUELA AI GENTE!
Como o PT ama os trabalhadores já está definida as perspectivas para o novo ano. Trabalhador terá que aceitar salário até 40% menor. É a Venezuela chegando aí, gente! Desemprego, inflação galopante, quebradeira de empresas, achatamento de salários, cada vez mais gente na fila do bolsa família, desabastecimento geral de tudo...
 
SEM SURPRESAS
Não há surpresa, exceto para idiotas. O nome disso é "socialismo", a sociedade "justa e igualitária" com a qual sonham os petistas e demais partidos de esquerda do mundo.
A elite do partido vivendo no luxo e distribuindo migalhas através de um aparato estatal que mantém todo mundo com fome, com frio, com doença e, se alguém pensar em reclamar, cadeia, trabalho escravo, tortura e paredón. E se o petróleo não der mais, é só comandar o narcotráfico.
 
COMO O DIABO GOSTA
Você não acha lindo? É, você mesmo que defende os petralhas que vibra com a decoração natalina onde o prefeito torrou mais 2,5 milhões, aguarde. Breve, breve, bem pertinho de você!



Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: