Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  qui,   17/outubro/2019     
artigos

Fortalecido com adesões de peso, PMDB quer seduzir outros deputados estaduais

16/03/2016 11:27:57
Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar

FILOSOFANDO

“Se o homem nasceu livre, deve governar-se; se ele tem tiranos, deve destrona-los”. François Marie Arouet, mais conhecido como Voltaire (1694/1778), filósofo iluminista nascido em Paris (França), escritor político autor de aproximadamente 70 livros.

 

PMDB ALIVIADO

Quem assistiu o evento de filiação do presidente da Assembleia, deputado Maurão de Carvalho, na noite de segunda feira, percebeu que na luxuosa sede do partido em Porto Velho, o sentimento de alívio dominou os dirigentes do partido, num reconhecimento de que o presidente do legislativo rondoniense é um nome forte na política para a disputa de 2018.

E, pelo menos agora, o partido onde o Valdir Raupp é quem dá as cartas, se comprometeu, nos discursos dos membros da cúpula, avalizar o projeto de Maurão de se tornar o próximo governador.

O alívio peemedebista era justificado: além de conquistar a filiação de Maurão, também levou de contra peso o deputado Lebrão, sempre uma carta importante no baralho da disputa eleitoral de 2018, especialmente pela localização geográfica do grosso de sua base eleitoral, no sul do estado.

 

DESIDRATAÇÃO

O ato da noite de segunda na sede do PMDB serviu para demonstrar claramente a crescente desidratação do clã de Ivo Cassol na política rondoniense.

Até o político ariquemense Tiziu, que chegou a ser líder de Cassol na Assembleia e vice na chapa de Caúla, ex-candidato do esquema Cassol, também se filiou ao PMDB, sendo ungido como o nome do partido para disputar a prefeitura de Ariquemes nesse ano.

 

TENTÁCULOS

Robustecido pelas adesões de peso conseguidas na noite da 2ª feira, o PMDB pretende cooptar outros deputados estaduais. O partido presidido nesse momento por Tomás Correia faz um grande esforço para cooptar a deputada Glaucione, de Cacoal, considerada hoje uma das forças eleitorais na região da “Capital do Café”.

 

ERA PEEMEDEBISTA

A deputada está no PSDC onde é muito prestigiada, tendo inclusive o cargo presidente nacional de secção feminina do partido. Na sede do PSDC, onde fica Edgar (do Boi) Tonial, sua foto decora a parede ao lado de José Maria Eymael, o presidente nacional.

Segundo consta, Glaucione pode decidir voltar ao PMDB ainda esta semana e ocupará o espaço que antes pertenceu a Suely Aragão.

 

AFUNDAMENTO

É claro que existe gente apostando numa improvável recuperação do governo petista com Lula integrando o governo de Dilma. São as pessoas incapazes de aceitar a ideia de que Lula apenas assume uma posição no ministério para escapar das encrencas com as investigações da Lava Jato, ganhando o tão deseja foro privilegiado.

Todavia, a realidade é muito diferente. Os problemas da economia do país são de assustar até os mais otimistas. Segundo estatísticas oficiais que ainda serão revisadas, a queda da economia foi de 3,8%. Este ano, será de, no mínimo, 3,5% segundo o FMI, que em geral calcula por baixo. Para o próximo ano a probabilidade é que essas médias se repitam, já que não há perspectiva, até o fim deste ano, de retomada do investimento público.

 

FORA DO BARALHO

Do ponto de vista político, se não houver mudança na política econômica que está por trás dessa tragédia econômica e social, o PT e os partidos da base do governo serão varridos do mapa nas eleições de 2018. No meu modo de entender, isso aconteceria mesmo que Lula viesse a se desvencilhar do cerco judicial implacável que lhe estão fazendo e confirmasse a candidatura à Presidência que já anunciou. Ainda mais com a homologação da denúncia premiada de Delcídio, no de ontem.

 

MUDANÇA DRÁSTICA

A coluna não aposta numa candidatura competitiva do PT nem em Porto Velho. Muito menos na disputa presidencial.

Para ser candidato em 2018, Lula teria de se desvencilhar do cerco judicial implacável que lhe estão fazendo. A blindagem que Lula poderá conseguir tornando-se ministro não lhe dará um discurso para convencer a opinião pública. Nesse caso, qual seria seu discurso? Que a culpa é da crise mundial? Que a culpa é das oposições? Que a culpa é de Dilma, como de fato seria?

 

SEM RESPALDO

Vai ser difícil para o PT e seus aliados convencer a opinião pública sobre a transformação de Lula em ministro do “poste” que ele mesmo inventou e colocou no Planalto.

Não sou especialista em movimentos de massa, mesmo assim creio que a opinião pública não receberá com naturalidade essa manobra em gestação no governo petista para garantir blindagem ao ex-presidente, nem com o argumento tendo foco na economia.

 

AFUNDAMENTO

Duvido que, a despeito do carisma inegável de Lula, a maioria do eleitorado apostaria novamente nele para vencer a situação de catástrofe em que Dilma e seus aliados meteram o Brasil. Estamos num ponto de afundamento completo do projeto com o qual o PT conseguiu ficar até agora no governo brasileiro, provando um brutal quadro de desemprego que não tem como ser mudado com mudanças perfunctórias.

 

VONTADE COLETIVA

É uma simples constatação. E por isso a coluna afirmou e reafirma a impossibilidade do PT vencer a eleição de 2018.

Em todo o Brasil viu-se no último domingo, dia 13, o reencontro dos cidadãos com a sua Pátria. Aqui na capital rondoniense não foi diferente. Milhares de rondonienses entoaram gritos exigindo o fim da corrupção e a saída de cena dos petistas. A manifestação rondoniense esteve coalhada de faixas e cartazes com inscrições de “Basta de Corrupção”, de “Lula Ladrão” e até de “Petralhas na Cadeia”.

 

CINISMO

Então fatos como o lançamento da candidatura do petista Roberto Sobrinho para disputar novamente a prefeitura de Porto Velho é como o anúncio do retorno de Lula ao comando da presidência da República (como uma espécie de primeiro ministro): são reflexos do enorme cinismo dos petistas que fingem não entender o recado do povo de que está cansado da roubalheira e dos agentes petralhas agora desqualificados, desequilibrados e irresponsáveis.

 

OFENSA GRAVE

O lançamento do famigerado Roberto Sobrinho, apelidado pelo povo como “Prefeito Ali-Babá”, candidato soa como ofensa das mais graves aos ouvidos de um povo que todos os dias testemunha, entre outras heranças do petismo, a manada de elefantes brancos humilhando a cidadania e enfeando o cenário da capital rondoniense. Para a maioria da população rondoniense Roberto e seus asseclas merecem estar na cadeia e não participado de um ato de civismo, como soem ser a disputa eleitoral.

 

DESEJO NACIONAL

E no cenário nacional o anúncio de Lula como ministro da gestão (???) Dilma também soa como ofensa grave ao povo brasileiro, como um tapa na cara das instituições e um deboche da própria Justiça. Diante da insistência do noticiário garantindo que Lula vai realmente para o comando do governo, como o mandachuva da presidência leva o povo a fazer as seguintes perguntas: Até quando vamos ter aguentar tanta imundície? Tantos absurdos?



Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: