Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  qui,   16/julho/2020     
artigos

Ferocidade de Leo nas vinhetas da TV objetivam colocar grilo na cabeça do eleitorado

21/10/2016 11:41:50
Gessi Taborda da Costa
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar

FILOSOFANDO

Os miseráveis não têm outro remédio a não ser a esperança.WILLIAM SHAKESPEARE (1564/1616), foi poeta, dramaturgo e ator inglês, considerado o mais influente dramaturgo do mundo.

 

REAÇÃO DESESPERADA

Faltam apenas 10 dias para o eleitorado de Porto Velho ir novamente às urnas para escolher definitivamente o próximo prefeito da capital rondoniense. E até o encerramento da campanha o desfile de baixarias provocado pelos partidários do candidato que terminou o primeiro turno em segundo lugar, deve continuar.

Querem reverter o cenário de derrota. Difícil pelo fato de que o vencedor do primeiro turno manteve na pesquisa do Ibope do segundo turno, a posição por larga margem de votos.

É, portanto, uma reação natural de desespero dos quem perdeu a capacidade de convencer com propostas os eleitores.

 

VELHA TÁTICA

A tática da guerrilha psicológica chegou ao nível (já tentado outras vezes) da utilização de pesquisas feitas por “empresas” sem nenhuma credibilidade. Tudo para colocar um grilo na cabeça daqueles eleitores mais suscetíveis a mudar de opinião.

Ao optar pela baixaria nas redes sociais e na transformação dos programas do horário eleitoral de propositivos para o disparo de agressões, algumas claramente torpes, os coordenadores de quem terminou o primeiro turno na segunda posição cometem uma estupidez digna de amadores, inexperientes nesses embates.

 

FEROCIDADE

Para aqueles que se ocupam em estudar campanhas eleitorais, o cenário reforça ainda mais o erro de quem imagina ser possível mudar o jogo espalhando maledicências contra um concorrente que jamais praticou o encontro eleitoral diretamente com o eleitor. Especialmente nessa altura do campeonato.

 

NÃO-POLÍTICO

Afinal, o tucano é debutante. E dono de um passado ilibado como ex-servidor público, com mais de 22 anos integrando o MP, onde entrou pela porta da frente, passando num concurso público.

E se hoje é um importante e bem sucedido empresário no competitivo setor educacional, prova que soube conduzir seus negócios com competência e feeling. Garantia de que poderá fazer isso também na gestão dos recursos municipais. Simplesmente ataca-lo nesse final de jogo não deverá reduzir a expectativa de sua votação.

 

DIFÍCIL DAR ZEBRA

Faltam apenas 12 dias para o resultado final. Ele (o resultado) pode confirmar aquilo que tem sido praxe nas disputas políticas. Quem usou o palanque eleitoral simplesmente para atingir o adversário na base do escracho, das acusações maldosas e pessoais, das intrigas pré-fabricadas nunca se deu bem no final.

Se as urnas não repetir esse ensinamento estaremos assistindo aqui em Porto Velho a autêntica zebra.

 

ESTERILIZADOR CANINO

Mas, só para lembrar um fato não tão distante, não foi isso o que aconteceu quando um “gênio” das operações eleitorais inventou o inesquecível slogan do “Sou chique e voto Chiquilito”.

A tentativa de desqualificar o concorrente de Chiquilito Erse produziu efeito contrário. É mais ou menos o mesmo dessa lorota de hospital de animais para a castração em massa de cães e gatos.

 

PERDIDO

O marketing do tudo ou nada usado pelo petebista tem, como se sabe,  influência das figuras mais soturnas da política rondoniense (não faltando nem mesmo clãs apodrecidos de como soem ser o de Carlão de Oliveira) gravitando em torno do jovem da mãozinha entreaberta.

Usar uma pesquisa sem credibilidade e feita por encomenda, na esperança de reduzir os efeitos dos resultados avassaladores do Ibope é sinal de que estão perdidos. É algo como vestir um escudo “para atacar” ainda mais quem liderou no primeiro turno e se mantém na mesma posição no turno final.

 

BASTA

Ninguém tem a menor dúvida da ineficiência da gestão do estado de Rondônia. É claro que a maioria da população não tem a menor ideia dos ralos por onde escorrem uma soma enorme do dinheiro tirado dos contribuintes e nem sabe o tamanho do desperdício praticado pela atual e anteriores gestões do estado, já que esse tipo de informação não aparece no esboço de “Portal da Transparência” que dizem existir.

Um segmento do descalabro na gestão dos recursos públicos é certamente o da publicidade oficial. Quem paga impostos não tem ideia de quanto o governo gasta com isso e nem sabe o nome dos poucos beneficiados (sugadores) dessa tal “publicidade” (dispensável na maior parte das vezes) gerida por “agências” escolhidas quase sempre num processo de cartas marcadas.

 

FECHANDO A TORNEIRA

Dessa vez o Conselheiro Wilber Coimbra, do Tribunal de Contas do Estado, demonstra interesse em fechar essa torneira escandalosa. Ele mandou suspender a publicidade do governo Confúcio enquanto não se esclarecer pontos negros na contratação da agência que controla essa verba pública por vários anos. É assunto para ser detalhado em várias colunas.

Queira Deus que o valoroso Wilber (o mesmo que está cuidando dos desvios na contratação emergencial para o transporte urbano) procure analisar também o descalabro de uma publicidade pública, veiculada como um acinte contra o contribuinte.

Para falar da suposta excelência dos membros do legislativo, a publicidade só falta colocar modelos seminuas praticando canoagem em alguma corredeira perdida na hinterlândia amazônica. Um horror de ineficiência criado apenas para queimar recursos arrancados do contribuinte espoliado pela arrecadação do estado.

 

FUNDO DEMAIS

Certamente para quem nunca caiu no conto do vigário inventado pelo PT, não surpreende saber que após seis meses da queda de Dilma a situação permaneça crítica. O PT deixou o país praticamente no fundo do abismo. Todos os indicadores recentes estão mostrando que o Brasil continua atolado no poço. Muitas mudanças precisam acontecer para livrar o país do desastre cometido pelo lulopetismo. O impeachment não tirou o país da rota de recessão. Há uma necessidade de exterminar o discurso esquerdopata que ainda resiste em áreas sensíveis da gestão pública.

 

DEBATE

Espero que uma fonte da coluna não esteja correta. Segundo ela o jovem candidato do PTB pretende ampliar no debate de domingo (a ser realizado pelo Sistema Imagem, retransmissor da Record) os ataques contra Hildon Chaves na tentativa de desconstruir sua posição de líder da disputa pela prefeitura de Porto Velho.

 




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: