Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  dom,   25/fevereiro/2018     
artigos

Petralhas querem manipular as massas desmoralizando as leis

27/01/2018 03:52:49
Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar

FILOSOFANDO

Usaremos o idiota útil na linha da frente. Incitaremos o ódio entre as classes. Destruiremos sua base moral, a família e a espiritualidade. Comerão as migalhas que caírem de nossas mesas. O Estado será Deus. VLADIMIR LENINE (1870/1924), na Rússia.

 

ESQUERDA

Com os episódios recentes culminando na consolidação da condenação de Lula por mais de 12 anos de cadeia (em regime fechado) voltou a ganhar relevância nas discussões políticas o confronto entre esquerda e direita. É um debate bizarro para um país em que boa parte de seu povo despreza. Afinal Lula é da esquerda? E o que é verdadeiramente “esquerda”. Ainda me lembro de uma definição dada em tempos idos pelo próprio Maluf – o mesmo agora preso na Papuda – numa disputa eleitoral: “no Brasil, esquerda é como sinal de trânsito”.

Isso numa época que os petistas fanatizados denominavam quem não rezava na sua cartilha como “louco da direita” e “conservador”

 

MENTE ESQUERDISTA

Não sei o leitor, mas às vezes dá para assustar-se com as declarações de Lula e de seus seguidores após a memorável condenação de Porto Alegre, posicionando-se abertamente a favor da desobediência civil, sem uma reação do mesmo nível das autoridades. Lula e seu séquito simplesmente afirma que não cumprirão as decisões da Justiça, que não respeitarão nada definido pela corte (por unanimidade) contra seu projeto de poder. A mente esquerdista tem um padrão, que se reflete tanto em um padrão comportamental, quanto um padrão de crenças e alegações. E nem é difícil saber disso. Basta observarmos que esse foi o padrão da política em Porto Velho, quando o PT teve o domínio do poder, principalmente no nível municipal, com o famigerado Roberto Sobrinho.

 

AINDA ME LEMBRO

O cenário daquela época está vivo no meu cérebro. Ainda me lembro dos personagens do núcleo petista que estava em voga. Eles tinham, na época, uma senadora, vários comandos na Câmara Municipal, tinham um palrante deputado federal e alguns deputados estaduais. Eram esquerdistas que demonstravam claramente agir demonstrando distúrbio de personalidades, quando davam endosso total aos líderes que acabaram indo para na cadeia, como José Dirceu, Delubio, etc, etc. Era fácil compreender que os personagens daquela época não continuariam tendo os sucessos episódicos do domínio do Poder. E aconteceu o que a coluna vaticinou.

 

A LEGALIDADE

No cenário rondoniense o esquerdismo teve entre seus principais protagonistas os radicais, com os quais realmente era impossível conviver. Aliás, a partir do desaparecimento dos esquerdistas benignos (como foi Odair Cordeiro e o próprio deputado Valverde) foi que o petismo desceu verdadeiramente a ladeira. As ações dos radicais causam maiores danos ao povo. O fim dos moderados foi, portanto, o fim do PT na política rondoniense.

O esquerdista, no geral, não defende a retidão moral ou sequer compreende o papel crítico da moralidade no relacionamento humano. A agenda esquerdista não compreende uma identidade de competência, nem aprecia sua importância, e muito menos avalia as condições e instituições sociais que permitam seu desenvolvimento ou que promovam sua realização. Em suma, a legislação de uma sociedade de liberdade organizada não é aceita pelo esquerdista radical.

 

NEUROSE

Basicamente, o esquerdismo pode ser caracterizado como uma neurose, baseada nos traumas do relacionamento com a família durante o desenvolvimento da personalidade. Sendo uma neurose de transferência, ela compreende as projeções inconscientes das psicodinâmicas da infância nas arenas políticas da vida adulta.

Sua neurose é evidente em seus ideais e fantasias, em sua auto-justiça, arrogância e grandiosidade. Assim, dá para compreender como os apoiadores de Lula repetirão sempre a ladainha de que “ele é um injustiçado”, não importando quantas vezes se provará seu cometimento criminoso.

 

ESQUERDISMO RADICAL

Mais notadamente, nas demandas do esquerdista radical, em seus protestos furiosos contra a liberdade econômica, em seu arrogante desprezo pela moralidade, em seu desafio repleto de ódio contra a civilidade, em seus ataques amargos à liberdade de associação, em seu ataque agressivo à liberdade individual. E, em última análise, a irracionalidade do esquerdista radical é mais aparente na defesa do uso cruel da força para controlar a vida dos outros.

 

PRESTE ATENÇÃO

O esquerdista em si a falta de confiança nos relacionamentos entre pessoas por consentimento mútuo. Por isso, o esquerdista age como se as pessoas não conseguissem criar boas vidas por si próprios, através da cooperação voluntária e iniciativa individual. Por isso, colocam toda essa coordenação nas mãos do estado, que funciona como um substituto para os pais. Veja o que acontece agora na Bolívia e na Venezuela. No primeiro o estado tenta regular (ou impedir) até manifestações religiosas...

O esquerdista é ingênuo perante o governo, que tem mais poder de coerção, enquanto suspeita dos relacionamentos humanos não arbitrados pelo governo. Dai essa ideia de criminalizar a orientação de gênero dada nos seios da família e coisas do tipo.

 

ESPERANDO BENESSES

É certo que o petismo (esquerda) está em crise. Todavia ainda há um enorme contingente de pessoas dispostas a defender o jogo da esquerda, como se viu nesses dias nas manifestações em defesa de Lula e como se vê nos “posts” das redes sociais. Como explicar isso?

Só defende comunismo quem não o sentiu na pele ou então espera receber alguma benesse do estado através da implantação deste regime… em alguns países da Europa que sofreram os mais atrozes tormentos comunistas essa palavra é inteligentemente CRIMINALIZADA, e quem se declarar comunista, responde perante a justiça por isso, podendo ser até preso. A Polônia e Hungria são exemplos.

 

REBANHOS

As pessoas que vivem sob um regime comunista, são reduzidas a rebanhos, tal qual gado ou ovelhas num pasto. Lamentável! Socialismo, terreno fértil para a ascensão de um tirano comunista. A história está aí para quem quiser ver. Agora, se o indivíduo gosta de pastar, fazer o que? Aí com certeza, precisa de um bom psiquiatra.

Uma prova irrefutável desta doença mental do mundo moderno decorrente do fim das relações familiares e da adoção de um membro da família por um professor esquerdista e sua maquiavélica e engenhosa pedagogia de alienação cujas sequelas são as mais nefastas possíveis para os leigos incautos e desavisados.




Comentários (1)
KKKKKKKKKKK

Quanta ignorância e clichês em um "artigo" só. Analfabetismo político!

José Arruda - Porteirinha/ MG.
Enviado em: 07/02/2018 11:28:15  [IP: 177.15.184.***]
Responda a este comentário

Mais Notícias
Publicidade: