Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  qua,   17/outubro/2018     
artigos

Suspeitas de desvios em obra faraônica faz surgir o “Bloco do Rivotril”

06/02/2018 10:29:33
Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    

 



Clique para ampliar

FILOSOFANDO

O sistema político brasileiro é um cadáver, apodrecendo em céu aberto.DANIEL AARÃO REIS, escritor e professor de História Contemporânea da UFF, ganhador do prêmio literário Jabuti, de 2015.

 

DATA

Hoje, dia 6 de fevereiro, comemora-se o Dia Mundial da Internet Segura, criado para o uso responsável, ético e seguro da plataforma. O Brasil ocupa hoje o primeiro lugar em um ranking indesejável e temível: o de número de fraudes cometidas na internet. Segundo pesquisa realizada pela empresa Kaspersky Lab, o delito se dá principalmente no roubo de dados pessoais oferecido às empresas durante compras online.

 

FORO

O governador Confúcio Moura tem pendências na esfera do judiciário, inclusive com inquérito que parece paralisado no âmbito do STJ, oriundo de uma investigação sobre suposto ato corrupto praticado na primeira gestão do emedebista. Ao desocupar o Palácio do governo rondoniense, para concorrer a um cargo (fala-se no Senado) nas eleições desse ano, o “filósofo caipira” vai perder o foro privilegiado. As acusações existentes contra ele nos na esfera superior da Justiça devem descer para primeira instância. Se “não estiver tudo dominado”, pode aumentar a fervura na chapa em que sua batata está assando por vários anos...

 

FANTASIA

Pelo que andou revelando o jornalista Nilton Salinas, um dos importantes arautos da Assembleia Legislativa de Rondônia, os vereadores da capital, Porto Velho, deverão entrar nesse carnaval com fantasias bem relembrando o mitológico Rei Midas, que tinha o dom de transformar tudo em ouro. Salinas alertou, ainda ontem, para um esquema em de desfile de um autêntico bloco de sujos pronto a desfilar na Câmara Municipal da cidade, num evento (tipo folia em clube) que pode acontecer na noite dessa terça. No enredo, contou o experiente repórter Salinas, estaria a aprovação de uma mensagem do prefeito, autorizando o pagamento de um precatório (parcela de 50 milhões) a uma empresa (???) com créditos a receber no valor total de 200 milhões de reais.

 

RISCO ENORME

Difícil acreditar no envolvimento do prefeito (que já foi procurador do MP) num esquema dessa monta. Seria, ou é muito arriscado. Tirar esse enorme volume de dinheiro dos cofres públicos do município certamente acabará atraindo a acurada atenção dos tais órgãos do controle externo. Isso sem contar o enorme desgaste político para uma gestão vitoriosa exatamente pelos compromissos assumidos com a moralidade, o resgate da ética e a modernização do sistema da gestão municipal. Que vereadores, historicamente, sempre preferiram seguia a “Lei de Gerson” todo mundo sabe. Dai a importância dos homens de bem ficarem atentos e, inclusive, cobrar das autoridades do tal controle externo ações preventivas para evitar a implosão do erário.

 

RIVOTRIL

Há no ar muita ansiedade das pessoas diretamente envolvidas com as obras da suntuosa nova sede da Assembleia Legislativa de Rondônia. Esse pessoal da Assembleia está sendo chamado de “O Bloco do Rivotril”. Foi o que me contou um engenheiro (e também político) que a cerca de uns 5 anos andou coordenando a construção da obra ali na Esplanada das Secretarias. Tomadas de conta (tipo especial) estão em andamento. As descobertas vão demolir carreiras de políticos e de “servidores”, ligados à obra faraônica. Tem até empresário apavorado, tomando vários comprimidos antidepressivos. Tá feia a coisa.

 

DÓI

Dói saber que, enquanto Estados atrasam o salário dos funcionários, enquanto não há dinheiro para manter os hospitais em boas condições de uso, enquanto faltam verbas para equipar direito a Polícia, há juízes – que têm vencimentos próximos de R$ 30 mil mensais – que dão um jeito de receber até mais de R$ 100 mil, fora carro e motoristas.

 

DEPUTADOS

E não pensem que essa situação persiste só no Judiciário. Não, aqui mesmo no Estado de Rondônia, onde a situação não tão diferente, economicamente, do resto do Brasil, não há exemplos de desfaçatez no setor público, principalmente entre agentes políticos. Deputados estaduais multiplicam seus salários com penduricalhos vários, incluindo assessores que lhes prestam serviços privados.

E o que não falar dos estipêndios dos vereadores, dos gastos com viagens inúteis, diárias exorbitantes, excesso de assessores, etc, etc. É fundamental cortar essas despesas inúteis, para servir de exemplo para todos. Afinal, qual a justificativa para existir numa casa legislativa (e não só na Assembleia) frota de veículos para seus membros, custeada pelo dinheiro do contribuinte?

 

MENTIRAS

O governo insiste que a previdência está quebrada e quebrando o país. Vários especialistas na matéria contestam o déficit alegado e, ao contrário, sustentam com números do próprio governo que a seguridade social é superavitária. Mas o que causa perplexidade é o fato do governo Temer mentir tanto. E para cabalar votos para a tal reforma da previdência, gasta verdadeira fortuna. Para tentar obter respaldo popular , torra uma grana velhaca.  Já gastou mais de R$ 100 milhões só este ano, em propaganda enganosa no Google, YouTube, TV aberta e redes sociais.

 

PRIVILEGIADO

Foi arquivado, após 14 anos, um inquérito aberto no STF para investigar o líder do governo do (P)MDB, Romero Jucá, pela prática de corrupção, por prescrição. O caso foi denunciado em 2002, começou a ser apurado na Justiça Federal de Roraima, mas, como Jucá tem foro privilegiado, chegou ao STF em 2004. É por decisões desse tipo que o Supremo está completamente desmoralizado. O Supremo precisa dar um basta a essa crise institucional que cresce diante da ideia de que a impunidade continua sendo a praxe no Brasil.

 

EMPENHO

O ano só está começando e é ano eleitoral. Ainda mantenho minha crença de que o prefeito de Porto Velho vai fazer a sintonia fina de sua gestão, recuperando o alto índice de aprovação obtido no ano passado. É claro que ao prefeito Hildon Chaves – eleito com claros compromissos de ser o divisor de águas na gestão da capital rondoniense – não interessa o crescimento de uma avaliação negativa de sua administração. Com certeza Hildon vai (ele ainda tem tudo para assim proceder) qualificar o nível de seus principais assessores e acionar mecanismos de respostas às reivindicações da população de forma mais rápida.



Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: