Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  qui,   20/fevereiro/2020     
artigos

Novos entraves vão atrasar a concorrência pública para o transporte urbano

29/01/2020 19:28:17
Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



FILOSOFANDO - “A guerra é a arte de destruir os homens, a política é a arte de enganá-los.” PARMENEDES DE ELEA, filósofo grego nascido em 530 a.C, na Elea, atual Itália. 



Clique para ampliar

EDITORIALZIM
Ontem um leitor veio falar comigo sobre as eleições do próximo outubro para demonstrar seu otimismo com “a melhor qualidade” do legislativo municipal a ser escolhido. Ao contrário do leitor, penso que diante de uma eleição em que não vigorará o processo de coligação para a disputa proporcional, corremos um risco de eleger uma câmara municipal pior do que a atual. No sistema que vai vigorar, a composição das próximas câmara municipais poderá ser mais exótica que a de hoje, mais fracionada, com bancadas sem disciplina interna e sem protagonistas de escol.
Quero estar enganado e para isso preciso acreditar numa evolução muito grande do eleitorado para fazer escolhas eliminando candidatos bárbaros e despreparados para o exercício da representação popular.
Em Porto Velho o quadro não é animador. Não sei em detalhes sem nas demais cidades do estado o cenário vai ser diferente. Tudo que vejo nesse cenário do momento é a receita para a montagem de circos de onde poderão se materializar barbaridades com potencial máximo de causar prejuízos econômicos e sociais aos municípios, sobretudo àqueles que necessitam de inversões e consumo privado.
Os agentes econômicos são sempre covardes em ambientes de incertezas políticas. Isso já ocorre hoje nos municípios rondonienses: A falta de seriedade e de credibilidade de imensa maioria de nossos políticos tem levado os rondonienses ao ambiente recessivo e de quebras amplamente visível nos principais pontos urbanos da capital do estado. É preciso defender uma profunda renovação nos legislativos municipais e isto deve levar em consideração a escolha de representantes mais preparados para defender bandeiras que interessam ao povo.
As atuais composições das Câmaras Municipais (salvo, possivelmente, honrosas exceções) estão desprestigiadas por se manterem longe das aspirações do próprio povo. É este eleitorado que irá despertar com alta desconfiança e fastio com vereadores que irá às urnas de outubro próximo fazer o câmbio necessário. Tomara que não faça o papelão de sempre colocando no cargo eletivo gente medíocre, interessada apenas no enriquecimento rápido com a manipulação do dinheiro público. A cada eleição o chamado parlamento mirim fica pior. Esse ano a torcida é para que o cambio não seja na base do seis por meia dúzia.

INCERTEZAS
Na prefeitura de Porto Velho fontes muito próximas do chefe da administração, Hildon Chaves, já passaram a admitir que força empresarial especializada em se aproveitar do cipoal burocrático conseguiu colocar um novo obstáculo no processo de concorrência pública do serviço de transporte coletivo urbano da capital rondoniense.
Com o novo entrave decidido no segmento jurídico, o processo terá de ser refeito e isso provocará no mínimo uns 40 dias para se resolver o caos do transporte urbano da capital, erodido pelo prefeitos anteriores. Continuará existindo o famigerado SIM, inventado pelo prefeito anterior com a justificativa de uma solução emergencial.

SEGURIDADE
O prefeito Chaves entende perfeitamente a necessidade de implementar um sistema definitivo para satisfazer as necessidades imediatas de toda a população afetada pelo péssimo serviço que, repito, herdou dos antecessores. Livrar-se desse calcanhar de Aquiles com a reconstrução sustentável desse segmento. Isso não pode ser feito em caráter “emergencial” como aconteceu na gestão anterior.
A devolução ao povo de Porto Velho do transporte urbano no cenário de seguridade e estabilidade só se dará com a escolha, pela caminho da concorrência pública, de uma empresa com expertise nesse serviço público que tenha também capacidade de colocar recursos para prover qualidade aos usuários e dentro de perspectivas de longo prazo, livre de incertezas.

VISÍVEL
Certamente o prefeito atual é quem mais aplicou serenidade e prudência na organização da Concorrência Pública com total transparência para atender aos reclamos de mais de década da população que necessita de um sistema de transporte sem o caos do atual.
O processo licitatório não atraiu, como seria desejável, vários grupos da iniciativa privada. Seguindo uma praxe dos tempos atuais nesses certames, aqui também apenas uma empresa apresentou uma proposta.

BEM COMUM
Contudo, a licitação foi atrasada em alguns dias até que fosse comprovada perante os órgãos de controle a viabilidade econômica da modelagem do serviço desenhada pela Prefeitura.
Os danos causados pela “solução emergencial” da gestão anterior responsável pela invenção do SIM são catastróficos. O prefeito sabe disso e sabe que a busca da solução desse caos depende de uma mística da supervisão responsável das instituições envolvidas nesse processo de resgatar a mobilidade de quem necessita dos transporte urbano.

TOTAL
Um deputado estadual tido como porta voz do lamentável governo rondoniense ganhou destaque nas redes sociais por gritar com todas as letras que “c* um monte” para todos os canais midiáticos ou “jornalistas” que lhe faça críticas. Esse parlamentar de primeiro mandato apoia-se na ideia de ter a seu favor total imunidade para cometer desatinos e gastar desbragadamente dinheiro do contribuinte, graças à blindagem do roteiro político mantido na Assembleia, apesar da prisão de vários parlamentares (incluindo ex-presidentes) pela constante prática da corrupção.

INSEGURANÇA
O sinal de insegurança da cidade pode ser conferido na construção dos muros altíssimos das escolas estaduais nos bairros da capital. Na escola Eloisa Bentes, localizada no bairro Flodoaldo Pontes Pinto, o muro ficou tão alto que a impressão que se tem ali não é de uma escola, mas sim de um presídio.

REUNIÃO
O diretório municipal do PSDB de Porto Velho começa, nessa semana, a realizar reuniões para falar das eleições desse ano e traçar ações de fortalecimento da legenda bem como deixar “absolutamente claro” o empenho dos tucanos na campanha de reeleição do prefeito Hildon Chaves.

QUERIDO
Para Lindomar Carreiro, o tucano emplumado do diretório de Porto Velho, o cenário político da capital é extremamente favorável ao grupo político do prefeito Chaves “que é um nome forte, muito querido em todos os quadrantes do município”. E disse mais: - Nós temos, internamente, um bom consenso e estamos examinando a melhor estratégia.

MARÇO
A CNN marcou a primeira quinzena de março a estreia de sua programação no Brasil.

DNIT
O jornal da rede TV apresentado por Boris Casoy, para todo o Brasil, deu destaque na edição da noite da última terça feira às péssimas condições da BR 364, no trecho que vai de Jacy às margens do Rio Madeira, em direção ao Acre, na travessia da balsa, e ao total descaso do DNIT e dos políticos rondonienses e acreanos para com a única ligação dos dois estados com o sul/sudeste.

ROTINA
O assunto apresentado como algo novo é, na verdade, rotina antiga conhecida por todos os usuários dessa rodovia. Embora seja conhecida nos dias de hoje como “Rodovia do Pacífico” a BR 364 é mais uma comprovação do incompetência do DNIT na solução desse gargalo no desenvolvimento de Rondônia e Acre.
Usado como moeda eleitoral, esse mesmo DNIT incompetente serviu de trampolim para vários políticos carreiristas. O exemplo claro disso foi Miguel de Souza. Com sua falácia chegou a ter mandatos de deputado federal e de vice-governador em Rondônia. Foi chefão do DNIT e não solucionou praticamente nenhum dos entraves rodoviários do estado.
Hoje o homem que recebeu láureas e mais láureas de instituições rondonienses simplesmente sumiu dessas plagas...

APOSENTADORIA
Quem se aposentou em 2019 com o maior salário pago pelo INSS receberá a quantia de 5 mil e 839 reais. Quem se aposentar em 2020 com o maior salário irá receber 6 mil e 79 reais.




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: