Anuncie:  

Debate do Mês

Data: 20/5/2011

Que benefício trará para o povo a ida de deputados rondonienses para Santa Catarina?



Colunistas
Receba as matérias do site em seu e-mail

Cadastrar
Cancelar Cadastro

 

Porto Velho,  qua,   3/junho/2020     
artigos

O mundo político está invertido em relação à ética graças à impunidade que não acaba

01/04/2020 20:41:05
Gessi Taborda
Comente     versão para impressão     mandar para um amigo    



FILOSOFANDO - “Uma nação em crise não precisa de plano. Precisa de homens”. EUGÊNIO GUDIN, foi ministro da Fazenda entre no governo Café Filho. Também foi delegado brasileiro na Conferência Mundial Monetária, em Brentton Woods, nos Estados Unidos, quando se criou o Fundo Monetário Internacional, o FMI, e o Banco Mundial. Foi também vice-presidente da Fundação Getúlio Vargas. 



Clique para ampliar

EDITORIALZIM

Eu não sei por qual motivo a postura moralizadora da classe política e do Judiciário não consegue chegar de verdade a instituições republicanas e da democracia, como soem ser o poder legislativo, no que tange aos milionários gastos do parlamento com a mentirosa e desnecessária propaganda feita por todos os meios da mídia, como acontece agora mesmo, aqui em Rondônia.

Levando-se em consideração que essa prática nefanda do Legislativo e também do governo não entra no cardápio do Judiciário, mais austero nesse quesito as maiores barbaridades continuam acontecendo. Não dá para acreditar que isso vai continuar impunemente por muito mais tempo.

É isso mesmo: não dá para acreditar que o deputado Laerte Gomes já tenha conseguido uma blindagem para manter a prática perdulária e desrespeitosa com o cidadão que paga imposto; especialmente lembrando-se da mais recente operação da polícia e do MP, com buscas e apreensões nos suntuosos gabinetes da Assembleia e em agências de publicidade aqui na capital rondoniense.

O mundo político por essa parte do Brasil está invertido em relação à ética, austeridade, e responsabilidade social e econômica há muito tempo. Boa parte daqueles que foram guindados ao comando do legislativo rondoniense acabaram suas carreiras presos, desmoralizados e até foragido da Justiça. Certamente por acreditar na impunidade ou por confiar numa blindagem inexplicável o presidente da Assembleia continua queimando o dinheiro público promovendo com a propaganda a grande ilusão, a mentira inventada por um marqueteiro pago a peso de ouro.

A esperança de que o atual presidente Laerte Gomes faria uma gestão transparente do legislativo estadual, descartando os métodos anteriores de fabricar ficções publicitárias para manter na penumbra a péssima qualidade da representação popular do parlamento e a ruptura da classe política com os verdadeiros interesses da população está se esvaindo.

O deputado Laerte Gomes antes de chegar a Assembleia era crítico dos gastos de propaganda com o dinheiro público pelas instituições republicanas. Mas hoje, possivelmente pressionado por companheiros de parlamento e pelo lobby de agências de publicidade, que continuam funcionando a todo vapor, o velho Laerte esqueceu esse compromisso de campanha permitindo a queima de recursos públicos (isso tudo após a recente operação policial realizada em gabinetes da Assembleia e em agências de publicidade) em publicidade laudatória para dizer que a Assembleia rondoniense é referência nacional na seriedade e na austeridade, algo totalmente distante de comprovação.

E como os órgãos de controle externo do estado continuam tolerantes com aqueles que queimam o dinheiro do contribuinte também o governo de Marcos Rogério está queimando dinheiro público em propaganda que enriquece donos de agências de publicidade e veículos alinhados ao seu (des)governo, quando poderia aplicar essa pilha de dinheiro em benefício da população do estado.

Até quando?

Há uma pergunta que não quer calar: quando os tais órgãos da fiscalização externa; quando a Justiça vai tomar uma medida séria para impedir que esses gestores torrem milhões de dinheiro público com publicidade fake, com o único objetivo de fazer apologia a deputados e, no caso do Executivo, ao péssimo governador rondoniense, especialmente agora quando o estado está diante de uma enorme crise fiscal?

Os políticos que estão no poder agora aqui no estado continuam tão trapalhões como os anteriores. Esquecem dos antigos panacas que foram presos (na Assembleia vários) e processados. No caso da Assembleia o atual presidente vive falando em economia mas mantém o mesmo esquema trágico do passado. Exatamente por manter na folha uma maioria absoluta de comissionados não empossa em quantidade verdadeiramente significativa os escolhidos em concurso público, sempre postergados em seu direito ao cargo para o qual foram aprovados.

Se na Assembleia o atual presidente mantém no cargo mais importante (o de Diretor Geral) um petista comissionado, no governo do estado Marcos Rocha mantém como chefe de sua Casa Civil o sujeito que conseguiu falir uma rede de supermercados com mais 30 anos de existência. Enquanto órgãos da esfera do Judiciário não tomar medidas efetivas, esses dirigentes patetas continuarão pagando com dinheiro do contribuinte as propagandas mentirosas veiculadas nas emissoras de rádio, tv, e nas rede sociais. Com tanta burrice em prática, certamente esses políticos que hoje estão no comando das importantes instituições do estado não terão nunca mais a performance gloriosa que os colocou no poder.

ESTAGNAÇÃO

Embora o governo tente tapar o sol com a peneira usando uma massiva propaganda para dizer que a economia rondoniense vai muito bem o povo sabe, e não é de hoje, que a situação econômica do estado não é muito diferente da situação do país. A nossa economia é de intensa nebulosidade e de pouca expansão. É fácil constatar que ela vem de uma estagnação de praticamente 8 anos. E em determinados setores vivemos um sufoco paralisante. Isso é, por exemplo, o que acontece no segmento do saneamento básico, onde a estatal Caerd só andou para trás no cumprimento de sua obrigação de dotar o estado de água tratada e esgotamento sanitário.

JOGADO FORA

É oportuno lembrar que, caso a montanha de dinheiro usado para pagar os enormes salários da cúpula dessa empresa que sofreu tanto com o domínio do sindicalismo petista e muitas outras coisas inúteis, com certeza os rondonienses estariam numa situação melhor de saneamento básico.

Mas a gastança no governo sempre foi para as coisas mais inúteis (como a propaganda) que não significaram nada para o cidadão-contribuinte-eleitor.

A eficiência administrativa nunca esteve acima dos conchavos e interesses politiqueiros. Foi isso que permitiu a colocação de gente deplorável, no aspecto da competência, para dar as cartas naquela empresa usada como moeda de troca eleitoral. E foi isso que impediu investimentos nas áreas de infraestrutura sanitária no estado.

Segundo consta a paquidérmica Caerd está procurando, agora, dar uma cartada capaz de contribuir para novos rumos.

Trata-se de terceirizar o segmento do esgotamento sanitário, através de uma concorrência pública a ser aberta proximamente. Se servir para livrar aquela estatal de abrigo de apaniguados políticos e do número excessivo de chupins atuando numa mirífica gestão compartilhada pode até ser uma coisa boa.

JANELA

Termina sexta-feira (3) o prazo para trocas de partidos sem o risco da perda do mandato. Até agora poucas informações disponíveis entre os parlamentares de Porto Velho. Mas, diz uma fonte, elas devem acontecer já que pelo menos há uns 4 vereadores avaliando ganhos e perdas desse troca-troca.

HOSPITAL

A Escola do Legislativo foi criada aqui quando o mafioso do Carlão era o presidente da Assembleia. O objetivo nunca foi outro senão fazer política demagógica com uma camada da população fácil de ser enganada.

E como sempre, ninguém sabe quanto o legislativo gasta com aquela sinecura transformada num cabide de emprego para cabos eleitorais de “amigos do rei”.

A escola funcionou um tempão pagando régio aluguel em prédio alugado sem concorrência pública. Hoje a escola tem sua sede no antigo prédio da Assembleia. Na verdade não ensina nenhuma coisa verdadeiramente útil para formar mão de obra de jovens com idade para entrar no mercado de trabalho.

Se houvesse preocupação de fato em estar ao lado das verdadeiras aspirações do povo, aquele prédio poderia ter voltado à sua condições de hospital, reduzindo o iminente risco de um colapso maior da rede pública de saúde nesse momento de crise do Covid19.

Sabe-se lá quais o motivos que levam os deputados a descartar essa possibilidade de ampliar os leitos hospitalares em Rondônia. Talvez pelo fato de um hospital não servir para o empreguismo eleitoral e para gerar rendas transversas. Dar uma destinação dessa àquele histórico prédio é um outro desafio ao presidente Laerte Gomes.

SENTENÇA

Um notório picareta da mídia na web rondoniense, chamado de jornalista acaba de ser condenado por danos morais, em sentença do Juiz Luiz Delfino Cesar Júnior, numa ação movida pelo colunista.

O tal “jornalista” sempre foi ativo em negociatas, vendendo proteção a políticos em troca de verbas de publicidade e cargos para seus apaniguados, alguns membros de família.

Quando esse pulha levantava os piores fakes no seu “observador” (hahahaha!) contra esse jornalista agora aposentado, uma parte dos “coleguinhas” (alguns se diziam meus amigos) repercutiam as aleivosias do canalha contra mim. Pois bem: esses “coleguinhas” terão a hombridade de repercutir a decisão da Justiça favorável ao autor dessa coluna???

SEM PLANO

A decisão da Justiça determinando o arquivamento da decisão do governo Marcos Rocha flexibilizando as regras de isolamento em função da Covid19 em Rondônia foi uma derrota acachapante para o governador que, a grosso modo, não tem a menor credibilidade no judiciário. A juíza que acatou o pedido do MP e decidiu impedir a decisão anunciada pelo governador, de flexibilizar o isolamento, por entender que há um fracasso total desse governador no segmento da saúde. Foi a própria magistrada que concordou com os argumentos do MP de que o governo não tem plano nenhum.

FALTA TUDO

“Não há plano de combater à pandemia, não há garantias de kits de testes, não há EPI e não há UTIs suficientes”, afirmou a magistrada em sua decisão. Mas isso não é tudo: a juíza disse que não há profissionais da saúde suficientes nos hospitais e unidades de saúde do estado para atender uma previsível situação de colapso no sistema em virtude do coronavírus.

MEDIOCRE

O argumento da sentença judicial que proibiu o decreto de flexibilização do isolamento do Covid19 em Rondônia feito pelo governador foi uma revelação tácita de que este não é só um governo medíocre mas também patético. Aliado a tudo isso, ao secretariado medíocre mantido pelo coronel governador, há secretários municipais despreparados para a função e uma classe empresarial liderada por fantoches do governo sempre procurando benesses que agridem a moralidade e a ética.

SONEGADORES

São esses líderes empresariais que se aliam a uma classe política também irresponsável. Foi a Assembleia que permitiu, com a aprovação de leis oportunistas, atender agora a mais de170 mil sonegadores, a maioria milionários, que deixaram de recolher impostos cobrados dos cidadãos, livrando-os de pagar os impostos devidos mesmo após condenados, numa anistia por encomenda.

Se essa multidão de sonegadores anistiados pelos políticos pagassem o que devem ao tesouro, certamente haveria recursos para investir na saúde pública do estado e até em programas para o desenvolvimento econômico.

LADAINHAS

Os políticos vão abdicar dos salários e benefícios para ajudar a saúde pública? Vão cortar IMPOSTOS para produtos hospitalares? Vão facilitar a VIDA do enfermeiro, do médico, etc? Enquanto isso não acontecer, não me venham com ladainhas políticas.

IDIOTIA

Ontem fique sabendo ao ligar a televisão que uma pessoa morreu pelo Covid19 em El Salvador.

O que me interessa isso, eu que moro em Porto Velho, Rondônia, e nem conheço El Salvador? Essa é a prova inegável de que essa imprensa brasileira está disposta a atrapalhar o máximo e não ajudar o Brasil a sair dessa crise... A imprensa se transformou na último fronteira dos idiotas!

LIMPEZA

A Prefeitura de Porto Velho, através da Subsecretaria de Serviços Básicos (Semusb), continua realizando vários serviços de limpeza em diversos pontos da capital. Apenas duas equipes estão realizando os trabalhos, com o esquema de revezamento adotado pela secretaria para diminuir os riscos de disseminação do vírus. Em apoio ao combate ao coronavírus todos os servidores durante o trabalho estão usando EPI's, como máscaras e luvas para a proteção individual.

VACINAÇÃO

Começa hoje a vacinação de idosos (com mais de 60 anos) contra a gripe H1N1, H2N3 e Influenza B, pelo sistema drive thru (sem a necessidade de descer do carro) no pátio do Porto Velho Shopping. Essa vacinação é importante nestes tempos de Covid19. O vírus da Influenza também provoca complicações respiratórias graves em idosos, pacientes imunodeprimidos e pessoas com outras doenças, o mesmo público vulnerável ao coronavírus. A imunização contra a gripe garante menos casos que necessitem de cuidados intensivos, aumentando o número de leitos para quem contrair a nova doença. Também ajuda no diagnóstico.




Nenhum comentário sobre esta matéria

Mais Notícias
Publicidade: